Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Episodiozinho miserável hein? Não vi eles ensaiarem direito nunca, e agora já chegou a apresentação oficial no concurso! Mesmo assim, nada musical no episódio inteiro. Nem a apresentação começou ainda. Será que vai ter alguma apresentação? O trecho de música de outra banda escolar que tocou no episódio pareceu uma gravação de CD, não algo feito, arranjado ou sequer adaptado para o anime. O que quero dizer é que parece raso, bidimensional. Som também pode ter múltiplas dimensões, sabia? Por isso seu home theater, se você for rico e tiver um, vai dizer que é 8.1 ou algo assim.

São os canais de áudio. O som é diferente em cada um deles, e a disposição espacial dos auto-falantes (e o tipo de cada auto-falante e caixa de som) criam uma experiência única, como se fossem várias dimensões. Que pode, deve e é usada para criar efeitos de imersão em qualquer produto audiovisual, como animes por exemplo. Vai dizer que, usando fones de ouvido (ou mesmo caixas de som, se estiverem bem dispostas), nunca reparou que o som de um objeto se movendo lateralmente parece ir de um lado para o outro? A apresentação da outra escola pareceu plana, não respeitou o espaço onde estavam, as mudanças de câmera, nada. A câmera se afasta, vira para o outro lado, e o som permanece inalterado. Foi uma gravação pronta colada no episódio. Só isso. Só isso em um anime onde a música deveria importar pelo menos um pouquinho.

Curta o anime21 no facebook:

Não vou dizer que foi um episódio que não me diverti assistindo, mas foi o pior episódio de Haruchika até agora. Do tipo que serve para passar o tempo e olhe lá, se a temporada inteira fosse assim nem isso. O mistério da vez era um cão perdido da raça mastim tibetano, uma raça gigante que pode chegar a pesar até 72Kg. Como o nome sugere, é natural do Tibete, ou mais genericamente do Himalaia, sendo usado como cão de guarda e pastor em regiões do norte da Índia, Nepal, e claro, o Tibete, entre outras. É curioso notar que, nesse uso tradicional, os cães raramente se tornam tão grandes porque ficariam caros demais para sustentar (72Kg é o peso de uma pessoa adulta, afinal), mas ainda assim são grandes, fortes e robustos.

Esse cachorro provavelmente é mais pesado e mais forte que a Chika

Esse cachorro provavelmente é mais pesado e mais forte que a Chika

O cão estava perdido, a raça é rara e cara, ninguém tem ideia de quem é o dono e, lógico, foi o Haruta quem o encontrou. Em seguida duas pessoas se apresentaram como seus supostos donos – só um deles poderia estar falando a verdade! Menininhas fofinhas não podem mentir, então era o homem adulto que estava tentando dar um golpe. Não importa muito, porque dessa vez o mistério não era solúvel pelo espectador – na verdade, até onde acompanhei os dois realmente poderiam estar dizendo a verdade. Me acompanhe:

Só um dos dois é o verdadeiro dono. O outro é um ladrão mentiroso e não é fofo

Só um dos dois é o verdadeiro dono. O outro é um ladrão mentiroso e não é fofo

A menininha sustentava que o cão havia sido presente de sua mãe, que havia se separado de seu pai, com quem ela vivia agora. Já o homem afirmava ter ganhado o cão de presente de um amigo. Não parece factível que um homem divorciado e rancoroso (foi um divórcio litigioso, afinal, senão a menina poderia simplesmente ligar para a mãe e resolver o assunto) desse para outra pessoa por puro despeito um presente que sua ex-esposa deu para a filha? Eu preferia mil vezes poder odiar o pai da menininha do que ter que odiar um completo desconhecido. Bom, o pai era desconhecido também, e mesmo a menininha nunca mais vai voltar, mas entende o que estou dizendo, não entende?

E todos viveram entediados para sempre

E todos viveram entediados para sempre

O anime se aproxima da história do professor sem realmente contar nada também. Ah, bem, esse sentimento de frustração foi comum nesse episódio, mas nesse caso pelo menos posso dizer com todo a tristeza que já acumulei que Haruchika vem sistematicamente se esquivando de uma das suas poucas histórias importantes, que é o passado do professor. Vai ser super divertido (não, vai ser broxante) ver tudo resolvido às pressas, talvez ao mesmo tempo (afinal “é só música”, os personagens podem falar e pensar por cima, quem liga?).

Para não dizer que não teve nada interessante, teve sim. Nenhuma história, mas a introdução de um tema que certamente o anime irá ignorar de agora em diante ou usará apenas como piada: o Haruta voltou a falar de sua sexualidade, só que essa foi a primeira vez que ele falou dela de forma realista – e triste. Ele está consciente de que provavelmente viverá a vida inteiro sozinho. Não quer um relacionamento falso (mas quando for adulto talvez se sinta forçado a assumir um) com uma mulher que será incapaz de amar e desejar, mas jamais será aceito e capaz de viver uma vida normal se assumir sua sexualidade. Não sei como é a realidade dos homossexuais no Japão, mas se for como o Haruta sugeriu nesse episódio parece horrível, muito pior do que aqui. E me pergunto agora se, sei lá, isso não tem a ver com a mudança no professor também. Será que ele é gay e portas se fecharam para ele, ou ele ficou com medo que elas se fechassem? O anime não se tornaria muito melhor por causa disso, mas pelo menos teria chance de terminar com uma mensagem positiva.

Mundo cão. Mesmo

Mundo cão. Mesmo

Comentários