Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Olá pessoal, é hora de falar sério! Não, eu não estou ficando louco, é hora de falar do quarto episódio de Tenshi no 3P! aqui com vocês!

Esse episódio me deixou um pouquinho dividido, eu gostei dele e até me surpreendi com os acontecimentos, mas também fiquei com uma sensação de que foi rápido demais. Só que no final das contas isso pode ter sido bom, pois passar 12 episódios – acho que o anime só terá isso – às voltas com o show na igreja não parecia algo tão interessante – em algum momento iriam enrolar demais, aposto! –, mas usar isso como trampolim para um objetivo maior, sim!

Que desafios as aguardam além de um horizonte não imaginado?

Sim, como podem supor pelo título do artigo, nesse episódio já tivemos o show na igreja – a realização do objetivo apresentado no começo –, só que isso se deu de forma rápida, não houve mais partes de ensaio ou de preparação para o que achávamos que seria o grande clímax do anime. Em compensação, o que ajudou o show a acontecer com sucesso foi o amadurecimento e desenvolvimento do personagem principal.

Talvez isso tenha sido meio rápido, mas se formos parar para pensar que o drama dele não era assim tão complexo – e nem tão difícil de se lidar, na minha opinião –, ele ter percebido que só poderia ajudá-las a fazer um bom show – assim como fazê-las se socializarem melhor com outras pessoas – se ele mesmo fizesse algo para mudar foi algo muito bom!

Quem canta seus males espanta!

A atitude dele me surpreendeu não só por ter decidido encarar seus problemas ao ir para a escola, como também por ter chegado lá tocando e cantando, mostrando quem ele era de verdade, sem ter que criar uma máscara para que as pessoas o aceitassem e não mexessem mais com ele. Ele foi corajoso e fez – ao meu ver – o certo, pois só assim – fazendo o mesmo – ele poderia pedir para que as garotas chamassem seus colegas para ver o show, só assim ele poderia dizer que estava tudo bem em se comunicar com outras pessoas e pedir ajuda a elas.

Não há nada como um conselho dado com experiência própria!

Ele não queria ser hipócrita e nem poderia, pois assim as coisas só tenderiam ao fracasso e isso magoaria as garotas. O episódio foi tão, de certa forma, sério, que até a comédia vinda do duplo sentido ficou de lado para focar na superação do problema pessoal do Nukui, na formação da amizade dele com a Toriumi – que espero que acabe em romance! – e com o show em si – fechando esse momento com o bom e velho rock n’ roll!.

Eu vi essa deixa para um romance, hein! Estou de olho O.O!!

Como citei antes, o “algo maior” suponho que seja ele querendo fazer com que a banda não pare ali, mas continue até se tornar profissional. Isso denota um sentido maior de desafio e dá margem para que novos personagens apareçam – como aquela mulher com a qual ele falou no primeiro episódio – ou tenham mais importância na série – a irmã dele tocar piano não é por acaso, né –, o que é bom, pois abre um leque de possibilidades maior e mais interessante.

“Quero fazer com que elas toquem no Budokan!”, ele pensou

No final acho que o saldo desse começo é positivo. Teve moe – não que isso seja ruim, eu adoro kkk – e duplo sentido até não dar mais? Teve! Mas também teve dramas simples que foram minimamente bem trabalhados, personagens que se não carismáticos também não incomodam e seriedade nos momentos certos – o que me faz achar que o anime até agora pode se levar a sério sim, mesmo que em muitos momentos tendo sido bem “zoado”.

Como esse episódio representou um ponto de virada para a obra, posso dizer que daqui em diante espero que ela melhore; que tenha mais música, que volte o duplo sentido – eu sei que é errado, mas me diverte kkk – e que surjam novos problemas com um bom desenvolvimento – só espero que não pareça meio abrupto – para se resolvê-los, além de romance – torço para que ele seja desenvolvido, apesar de temer que isso não aconteça.

Bem, por hoje é só! Até mais adoradores de loli n’ roll! Kkk

Extra

Citem uma banda de rock e eu estarei lá!!!

Essa banda realmente existe – já tinha ouvido falar dela, mas não conhecia o som – e como extra vou deixar aqui as duas músicas citadas pela Jun. Espero que curtam e imaginem elas na voz fofa que ela tem!

P.S.: A segunda música se chama “Lover Soul”, a legenda que errou mesmo.

Comentários