Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Olá Leitores! Nesse momento que vos escrevo são exatamente 20:32 do dia 11/07/2017, e apesar de meio cansado eu decidi escrever sobre algum anime, no caso, Aiura.

Para esta resenha eu resolvi adotar um formato um pouco diferente do que normalmente faço, que é o de perguntas e respostas.

1 – Do que se trata esse anime?

Esse anime gira em torno da vida cotidiana de três garotas com personalidades distintas.

2- Qual a fonte do anime?

Mangá.

3 – Qual o estúdio que produziu essa obra?

Liden Films.

4 – Esse é um anime de “garotas fofas fazendo coisas”? Se sim, o que elas fazem?

Não, porque elas não fazem “nada” . E com “nada” eu quero dizer que o anime mostra apenas o cotidiano das personagens sem dramas ou algum tipo de urgência.

5 – Assistir personagens não fazendo “nada” não parece algo muito chato?

Na verdade não é como se as personagens não fizessem nada num sentindo literal. Elas fazem bastantes coisas, mas são coisas comuns que qualquer pessoa pode fazer, além do mais, o cotidiano dos personagens desse tipo de anime são geralmente divertidos.

6 – Qual a duração de Aiura?

Menos de 5 minutos.

7 – Essa obra é recomendada para quem? 

Para qualquer pessoa que queira relaxar, assistir algo leve ou gosta de animes moe.

8 – Vale a pena assisti-lo?

Essa é talvez a mais importante pergunta já feita até agora, e a resposta é sim, caso você, leitor(a), queira algo leve e divertido para assistir. A simplicidade é o charme desse anime, pois nele podemos ver que a vida comum também pode ser algo agradável de assistir. Além disso, temos personagens simpáticas e divertidas, sendo cada uma com uma personalidade diferente, fazendo com que o público se identifique com pelo menos uma delas.

Este artigo vai ficando por aqui. Espero que tenham gostado do formato, e principalmente do artigo a respeito desse anime muito simples feito para relaxar.

Eu tenho bode com o termo “bruxa”, como usado pelo anime. Faz parecer que são garotas más, ou que tomaram a decisão que tomaram em pleno gozo de suas capacidades mentais e em um momento em que possuem várias outras alternativas melhores. Como esse não foi o caso de nenhuma delas até agora, chamá-las de bruxas apenas desloca a culpa para as vítimas. Eu entendo que o anime faz isso de propósito, mas se eu apenas repetir isso aqui estarei fazendo o oposto do que me proponho – não estarei criticando. Se essa é uma forma do anime mostrar a sua crítica, tão melhor que eu aponte isso, não é?

Nesse episódio viu-se como surge uma bruxa.

Ler o artigo →