Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Na reta final Tenshi arruma uma batalha entre bandas para tentar agitar um pouco as coisas, o que é uma ideia boa, pois pode causar impacto e emoção razoavelmente suficientes para dar um bom desfecho ao anime. O problema em si reside no que levou a isso, uma ideia da Kiriyume com uma motivação boba e idiota. Bem, agora vamos falar do começo do fim!

As verdadeiras best girls desse anime!

Anteriormente lembro que tinha falado que achava a Kiriyume uma personagem madura e que poderia acrescentar coisas boas ao anime, não poderia estar mais enganado. Desde o episódio passado o que vemos é um loli irritante que quer forçar um romance sem noção com o protagonista enquanto enche o saco de todo mundo a sua volta.

Sei que o plano de sabotar a banda já demostrava como ela poderia ser imatura, mas não imaginei que fosse tanto. Falo isso porque até o episódio 9 ela não tinha agido de forma tão idiota, mas a partir do 10, e nesse também, ela quis forçar um “noivado” com o protagonista enquanto continuava tentando roubar a atenção que ele dá à banda e até à sua irmã.

Assim fica parecendo que ela não amadureceu nada desde aquele show, que continua com as mesmas ideias idiotas de ter o Nukui só para si nem que tenha que passar por cima dos outros para isso. O “passa fora” que ele deu nela veio em boa hora e foi muito bem dado – ele soube escolher as palavras certas para usar nessa situação –, o problema é que ao invés de fazê-la se acalmar e se dar conta do quanto estava sendo tola, fez foi tacar ainda mais lenha na fogueira.

Se manca loli sem noção que desenha bem e tem a voz linda, mas é super irritante!

Não posso deixar de culpar um pouco o protagonista por deixar a situação chegar a tal ponto, mas se formos pensar que ela não levava a sério as investidas da loli e queria evitar ser duro com ela para não magoar seus sentimentos, até que é um pouco compreensível. No final o Nukui tem todo o jeitão de personagem bundão e gentil que geralmente não faz nada por conta própria, a diferença é que em momentos pontuais ele toma uma atitude e faz ao menos o mínimo do que se poderia esperar de uma pessoa sensata naquela situação.

A ideia da batalha de bandas em si é boa e deve ser divertida, ainda mais por envolver a Yuzuha e a sua bela voz, e a irmã do protagonista tocando piano e ficando de olho na sua cunhada postiça e grande rival no amor – é sério, esse anime é muito errado, meu deus kkk. Como disse antes, o problema é o que motivou à competição, me passando a sensação de que haveria inúmeras formas melhores de encontrar algo que desse algum objetivo ao anime.

Essa cena toda me parece tão errada, mas eu não consigo não me divertir com ela kkk…

Para um anime que alcançou seu objetivo inicial em um terço da sua duração é normal que a cada novo arco novos objetivos sejam traçados, o problema é que se eles não forem bem trabalhados, e não tiverem boas motivações, isso pode facilmente causar uma sensação de indiferença do público. “Por que é que eu estou vendo isso mesmo?”, foi algo que acabei me perguntando nesses dois últimos episódios. Ao menos o que aconteceu de bom neste serviu para me lembrar porque gosto desse anime, porque vale a pena vê-lo apesar de seus erros.

Pensava que aquele encontro com a Jun episódio passado – que, aliás, não rendeu mais encontros com as outras garotas, chorem lolicons de plantão! – não serviria para nada, mas não foi bem assim, pois por ela precisar fazer seu projeto de tema livre ter sido algo que foi trabalhado antes – mesmo que daquela forma bem boba – não foi nada estranho ela perceber que não conseguiria fazer mais nada além de algo em que ela é certamente boa: música.

Achei essa cena tão fofa que não tinha como não colocá-la aqui!

Tenshi no 3P! é um anime de música onde a música geralmente não é o foco e não é algo super bem trabalhado, mas que entrega ótimos momentos aqui e acolá, e movimenta o enredo de uma forma satisfatória, sendo assim, pôr a garota para compor uma música como desafio pessoal é bom para o desenvolvimento da personagem e melhor ainda por se conectar a batalha de bandas e, de certa forma, agir como uma razão complementar às vontades egoístas da Kiriyume – que foram o que motivaram essa competição. Confesso que quero ver as bandas se digladiando mais para ouvir a nova música do que pelos caprichos sem noção da “loli rosa”.

Um episódio mediano como esse não poderia deixar de ter ao menos uma “boa e velha” cena de duplo sentido já característica do anime e a Sakura aparecendo mais uma vez “de relance” só para não dizer que não estava ali. Isso é uma pena, pois o romance que imaginava que ela poderia ter com o protagonista – que o anime me fez acreditar que fosse possível – foi completamente por água abaixo – ao menos por hora – e a personagem perdeu relevância na trama, tempo de tela e o interesse do público – eu mesmo já estou indiferente quanto a ela, infelizmente.

Os lolicons vibram com uma cena dessas! Eu só dou risada, eu juro kkk…

Por fim, só posso dizer que espero que o último episódio seja bom; que quero que a Kiriyume cresça, apareça e amadureça; que torço para a música da Jun ser maravilhosa e desejo que o anime acabe sendo mesmo bom – como, mesmo aos trancos e barrancos, conseguiu ser até agora.

Até mais! Fiquem com uma melodia a ser cantarolada enquanto esperamos pelo final!

Faz sentido, ao menos para música, tenho que admitir…

Comentários