Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Foi, mas não foi também… digo, na verdade, não foi, mas no final foi… hã? Até eu estou meio confuso, mas vocês são espertinhos e entenderam, não é mesmo? Bom, esse episódio 11 de Altair (penúltimo episódio dessa primeira temporada) foi basicamente como eu disse ainda pouco: paradão e com um final movimentado. O episódio teve “nada”, apenas a preparação da galera para o assassinato dos sultões; o verdadeiro tumulto se iniciou no final, mas não durou muito, porque o episódio já estava no fim (durrr).

Curta o anime21 no facebook:

Apesar do episódio ter sido mais parado que o trânsito de São Paulo, isso não quer dizer que ele tenha sido ruim, muito pelo contrário. Assim como o último episódio foi focado em preparação, esse episódio não foi muito diferente; apenas vimos a dedicação dos personagens — e da Turquia — para que nada de errado acontecesse com relação a esse plano de assassinato — já que ele é algo de extrema importância. Porém, apesar do plano já estar bem definido desde o último episódio, nada ocorreu como o planejado, na verdade, muitas mudanças ocorreram, e foi justamente isso que me fez gostar desse episódio — e que também está me fazendo gostar desse arco atual.

Antes de chegar nessas mudanças, primeiro preciso explicar a grande sinuca de bico onde os “rebeldes” da Turquia estão metidos. Eu aposto que muitos que estão acompanhando o anime, assim como alguns personagens de Altair, devem ter se perguntado pelo uma vez: “A morte dos sultões é realmente necessária?”; bom, a resposta para isso é mais que óbvia: sim.

  • Por que matar os sultões?

Sendo objetivo, para conquistar o que era deles, fazendo com que seus sultanatos — país governado por um sultão — voltem a oferecer auxílio a Turquia. Entretanto, meus caros leitores, vocês não acham tudo isso muito estranho? Certo, já entendemos a parte que os sultões serão mortos para que seus sultanatos voltem a apoiar a Turquia, mas… eu disse ali, não disse? Um sultanato é um país, ou seja, existe um povo ali; acham mesmo que o povo iria concordar com isso? Minha resposta para isso é tão absurdista quanto o mais sincero “talvez”: depende. Veja bem, se o sultão for um tirano ou autoritário, provavelmente o povo não irá nem mesmo ficar irritado por conta desse “golpe”, mas caso o cara seja um populista maneiro, que ajuda a população de maneira quase que perfeita — ou pelo menos que não seja tirano — eu tenho absoluta certeza que o povo não iria aceitar isso.

  • Então não seria melhor simplesmente não assassinar os sultões e arrumar uma solução mais diplomática?

Não existe mais qualquer possibilidade de diplomacia, a tentativa mais feroz foi aquela votação que ocorreu há alguns episódios, depois disso não se teve mais como arcar com qualquer ato de paz. Contudo, vamos supor que os sultões não morram, apenas sejam depostos do seu “cargo” de sultão: o que acha que iria acontecer? Isso poderia gerar uma guerra civil. Sim, o simples ato de deixar os sultões vivos poderia gerar uma guerra civil. Não é como se os sultões fossem perder o apoio que recebiam apenas porque foram depostos de forma inconstitucional (existia constituição na Antiguidade?), na verdade, facções e grupos — tendo os sultões como líderes — seriam formados, e basicamente lutariam para recolocar os sultões no poder. Além, claro, do povo provavelmente auxiliar os sultões destituídos.

  • Se assassinar e destituir, no fim, irá gerar comoção do povo, como resolver esse problema? 

Eu aposto que enquanto assistia algum telejornal, você já viu alguma reportagem onde algum jovem foi “aliciado” pelo tráfico de drogas. Por algum motivo X, o jovem pobre foi seduzido pelas oportunidades — que nunca teve — que poderia ter junto ao tráfico. Mas, e daí? O que isso tem a ver com o atual contexto de Altair? Para o plano de Mahmut dar certo, ele certamente precisará do apoio do povo, só que isso não é algo tão simples, não é como se o povo fosse simplesmente aceitar um discurso de um estrangeiro qualquer. Então… COMO?! O protagonista simplesmente “aliciou” a população; através de uma peça teatral expondo atos de corrupção (creio que tenha sido isso) dos sultões, o povo começou a ver o outro lado da moeda, um lado onde os sultões na verdade não são tão bonzinhos quanto aparentam. Com isso, Mahmut seduziu a população para o seu lado, fazendo com que caso ocorra alguma espécie de golpe, a aceitação do povo não seja tão negativa quanto o esperado. Aliás, essa peça teatral permanecerá rolando por uns 6 meses direto, tendo exatamente como foco propagar a ideia de que os sultões não são tão bonzinhos para TODA população.

Apesar de toda Turquia estar ansiosa para pôr o plano em prática, um dos Pashas cagou no pau e pagou de x9, entregando o plano para o sultão ruivo. O mesmo, não sendo burro, avisou aos outros sultões e partiu — ao lado deles — em direção ao sultanato do sultão mascarado — onde as mentes por trás desse plano se encontram. Agora, se aproveitando da mesma estratégia da Turquia, que era basicamente de matar os sultões e tomar controle dos sultanatos, os sultões — que seriam assassinados — pretendem esmagar Kuluch (cidade onde está o sultão mascarado) e em seguida invadir a Turquia.

  • Esse plano do ruivinho pode dar certo?

Sei lá, rapaz! Não é como se o exército da Turquia fosse sumir do nada apenas porque Kuluch caiu, na verdade, caso as três nações em conjunto invadissem a Turquia, teria uma grande guerra, e eu aposto que no fim a Turquia venceria. Entretanto, isso daria brecha para o Império atacar, então… sei lá, né?

Continuando… Quando o sultão mascarado percebeu que ia ser DIZIMADO pelos três outros sultões, o desespero bateu e o cara tentou prender a princesa e os rebeldes para que fossem entregues — como se fosse um pedido de desculpas — aos sultões. Acho que na mente dele, esse ato iria fazê-los parar, e ele não tá errado em pensar assim. O problema é que o filho dele não gostou muito da ideia e… bom, vocês sabem o que aconteceu, não sabem? Admito que essa parte foi muito boa, eu realmente gostei.

Só pra concluir, agora o plano de Mahmut foi simplesmente por água a baixo, não tem mais o que fazer, a Turquia terá que enfrentar os três sultões de frente — e isso pode dar muito errado. Com apenas o exército de Kuluch e Mahmut — e sua trupe — não sei bem se será possível parar um gigantesco exército em conjunto de três sultanatos, mas eles vão ter que dar o jeito deles, né? Só espero que o Império não apareça lá do nada e faça algo mirabolante, isso me irritaria bastante, pois não aguento mais aquele Ministro que mais parece o Macaco Louco do que qualquer outra coisa. Esse atual arco de Altair está sendo o melhor até então, e eu espero que a conclusão dele seja tão boa quanto o desenvolvimento está sendo.


Comentários