Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Pare, pense, absorva e melhore! Isso foi exatamente o que o episódio 10 passou ao Luke e claro, acho que isso não ficou oculto, foi um episódio simples, calmo em sua maior parte e direto quando teve que mostrar situações mais complicadas, por assim dizer. Em comparação aos últimos três ou quatro episódios, este episódio 10 de Garo: Vanishing Line foi relativamente mais simples, visto que é justamente um episódio evolutivo para um dos personagens mais importantes a esta altura da temporada e também nos deu a origem simples e muito aceitável do vilão dos últimos episódios.

Curta o anime21 no facebook:

“Poder é sempre perigoso. Atrai os piores e corrompe os melhores.” Essa frase da série Vikings é extremamente bem encaixada neste episódio, onde, o Cavaleiro Negro foi corrompido por uma falsa interpretação de utilidade do poder. Claro, interpretação é algo muito subjetivo, no entanto, creio que é uma boa linha de raciocínio; e também temos o lado do Luke, que por um determinado tempo agiu como se estivesse mais ou menos trilhando um caminho parecido com o do pai, mas que neste episódio conseguiu reavaliar seus métodos e pensamentos ao lembrar do passado, assim ele pôde resgatar um ensinamento que sua mãe o passou pouco antes de morrer.

Muitas vezes eu critiquei o Luke, o desenvolvimento dele era quase nulo alguns episódios atrás, e por ser um dos personagens principais, eu fiquei não com um, mas com os dois pés atrás com ele. Mas devo dizer que o Luke se tornou um dos, senão o personagem mais interessante e cheio de camadas de Garo: Vanishing Line, pelo menos até agora. Nos resta ver nos próximos episódios o desenvolvimento dos demais.

No episódio anterior tivemos aquelas partes do animal machucado e da Sophie e Sword cuidando dele e assim, ao ficar sadio e ter que ir embora com sua mãe, o animalzinho os deixa e só então, a Sophie desmorona deixando toda sua tristeza reprimida sair e se aliviar. Neste episódio, tivemos a parte do resgate da criança presa de baixo dos entulhos, e isso serviu para que o Luke desenvolvesse um pouco seu pensamento. Tem sido muito interessante ver como situações simples têm ajudado os personagens a evoluírem de algum modo.

Não foi exigido muito da parte técnica do anime, o episódio em si teve apenas uma sequência de luta, claro, tirando aquela da introdução entre o Cavaleiro Negro e o Sword porque foi uma luta dos episódios anteriores. A trilha sonora também não apareceu como nos últimos episódios, e creio que nem faria tanta diferença se fosse, visto que a intenção do episódio não me pareceu ser empolgar os telespectadores deste modo.

No demais, foi sim um episódio interessante e importante para a temporada e foi executado de forma simples e direta com perfeição como tinha que ser.

Até mais pessoal, nos falamos nos comentários ou na semana que vem!

  1. E para nossa alegria, um episódio focado no Luke e pistas esclarecidas sobre seus pais, de como houve a morte da mãe dele – e o quanto ela era badass, diga-se de passagem – e de ver o quanto devia seguir em frente e desgarrar do passado. A cena do resgate da garota e o fato de um dos que a ajudou a manter viva falece, remeteu aos que morreram resgatando e ajudando nos escombros das torres gêmeas de 2011, foi o que me passou ao ver as cenas. História tranquila e ajudou a dar mais corpo ao enredo da série.
    Que bom que a série tem mantido um bom ritmo, era somente questão de tempo pra ficar nos eixos.

    • Sim, entrou nos eixos e está entregando bons episódios! Nos resta esperar que continue melhorando ou se mantenha como está. Obrigado pelo comentário, até a próxima!

Comentários