Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Também poderia dar a esse episódio o título “Um visual novo, um casal fofo e um desencontro doido” ou “A ‘confissão’ pela qual todos esperávamos” ou “E o troféu de melhor anime de romance do ano vai para… Just Because!”. Não importa qual seja o título, o que importa é o fato desse anime continuar ótimo, e não digo isso apenas porque eu gosto dele, mas por causa do que vou falar agora!

Curta o anime21 no facebook:

Pode parecer papo de quem está gostando muito do anime e já é fã de carteirinha dele, mas pensem aqui comigo, não é comum na vida que depois de uma “tempestade” venha uma “calmaria”? O acerto do anime é justamente entender que pode e deve balancear os acontecimentos dentro da narrativa sem deixar de fazer com que a história continue a avançar de forma coerente e satisfatória.

Depois de uma promessa de confissão que em si era uma clara confissão, é comum as coisas ficarem estranhas entre os envolvidos, não acham? Mas o que costuma acontecer nos animes é os personagens sequer conseguirem olhar um na cara do outro. Isso acontece na vida real? Olha, talvez, mas sem tanto exagero, o comum é a relação das duas pessoas ficar num impasse, num misto entre amizade e o que pode ser ou o que nunca será, e é essa incerteza angustiante a “graça” do romance!

Tente fugir do crush de forma mais engraçada e falhe miseravelmente kkk…

Foi bacana ver que mesmo com as brincadeiras e a vergonha, o Eita e a Komiya conseguiram manter uma conversa decente, falar sobre coisas normais, mas sem esquecer de flertar – mesmo que inconscientemente. Afinal, o que é uma história de romance sem a paquera, o sentimento eletrizante que é se equilibrar em cima de uma linha tênue que separa o amor da amizade? Ver esses personagens falando sobre chocolate de dia dos namorados depois de trocarem bebidas em um gesto fofo de gentileza só faz o público curtir mais a relação dos dois. Digo até que o roteirista desse anime é sádico, porque está construindo uma relação tão, mas tão bonita e agradável só para fazer ele ficar com a outra garota – isso se ele formar pares óbvios como em 100% 99.9% dos romances.

Sabe o que é pior? É que, até mesmo pelo que a Natsume fala no final desse episódio, mesmo que o roteiro siga a cartilha é difícil achar ruim, como também se ele resolvesse surpreender e fizesse mesmo a Komiya namorar o Eita no final duvido que isso deixasse alguém totalmente insatisfeito.

Aliás, o ponto alto desse episódio foi essa conversa da Natsume com a Horikawa, e não só pela declaração dela de que deixou o Haruto de lado e está gostando mesmo do Eita, mas por ter sido um momento importante para ambas as personagens, tanto no âmbito pessoal quanto romântico.

O olhar apaixonado de quem é a dona da p*rra toda!

De um lado uma Horikawa que já decidiu o que quer para vida e temia estar se colocando no caminho da Natsume ao se envolver com o Haruto, do outro uma Natsume que ainda não tinha certeza do que fazer e precisava de uma opinião alheia para ajudá-la a decidir o seu caminho – um caminho com a pessoa que ela gosta nele. Quer coisa mais realista que isso? Eu mesmo já abandonei um curso de ensino superior porque não sabia o que queria da vida e já procurei conciliar meus sentimentos com meus planos de futuro – mas a maior parte do tempo troquei os pés pelas mãos –, então entendo bem a dificuldade pela qual a Natsume está passando e diria que ela tomou a atitude certa ao não escolher ir para a faculdade da irmã – ato que, ao meu ver, só representaria acomodação da parte dela – e sim para a do Eita, se ele não estivesse fazendo a mesma coisa…

Situação forçada? De forma alguma! Se pensarmos que o povo japonês é conhecido por ser reservado mesmo com alguém próximo – e que estamos falando de dois jovens que gostam um do outro, mas ainda não tiveram coragem de se declarar – não é surreal imaginar que um tenha dito para o outro que tem uma opção de curso superior, mas na verdade esteja é estudando para passar no do outro, para assim só na faculdade tentar alguma coisa de verdade. Uma confusão que seria evitada se o Eita fosse um pouco mais direto como o Haruto, ao mesmo tempo em que o Haruto não tem nada de “Eita, já que me declarei para a garota agora vou dar o meu melhor para conquistá-la”.

Entrando no último ponto importante do episódio, o novo visual da Horikawa arrebatou corações e provocou burburinho, mas o que o Haruto fez quanto a isso? Praticamente nada! Ele é do tipo que se deixa levar no embalo e se declara para alguém, mas não sabe o que fazer em seguida após receber um “talvez.” A verdade é que a Horikawa também parece não saber o que fazer nessa situação, mas depois de mais um episódio em que a “história” deles não “sai do papel”, é fato que um dos dois vai ter que se esforçar mais para fazer as coisas rolarem ou veremos um impensável final em que um casal óbvio não se forma ou Just Because! comete erros que passou longe de cometer até agora.

10 melhores transformações dos animes. Sim, com certeza!!!

O fato é que a história avançou significativamente após esse episódio, pois enquanto a Komiya cresce cada vez mais no coração do público, a Natsume também deve passar a ter algum apelo se ela passar a agir mais de acordo com o que falou, sem falar no outro casal que tem que sair do ponto morto logo e dar a partida para essa relação dar certo de algum jeito. Enquanto sentimentos se “encontram”, as atitudes dos personagens se “desencontram”, dando um tempero necessário a um romance genuinamente realista, sem, contudo, tornar seu gosto artificial ou destoante.

Se atentaram para a foto de papel de parede do Eita? Aposto que aquilo vai causar um ataque de ciúmes na Natsume. Viram aquela cara desconfortável da Horikawa no finalzinho? Aposto que aquilo vai causar uma agitação no “flerte fantasma” dela com o Haruto. Viram a Komiya sendo a best girl de novo? Komiya essa que deve dar chocolate ao Eita, o que pode causar um choque direto com a Natsume caso ela dê chocolate para ele também. Confesso que torço para que as coisas se resolvam aí mesmo e não chegue ao ponto dos personagens terem que ir para faculdades diferentes para isso.

Uma última coisa interessante a se falar sobre o anime é que a construção que ele faz para aquilo que ele quer passar está sendo ótima. Por exemplo, nós não vimos a Natsume refletindo sobre o que a levou a admitir que sentia algo pelo Eita, mas desde o sétimo episódio suas ações, caras e bocas, falas e pensamentos, acusavam que ela estava finalmente vendo o Eita de outra forma, sendo assim, seria injusto dizer que a sua declaração foi “do nada” quando todo o processo que a levou a “despertar” seus sentimentos estava sim acontecendo – mesmo que de uma forma não tão clara.

É bom desenvolver coisas assim às vezes, pois, como no caso desse episódio, isso ajuda a dar mais impacto e um certo tom de surpresa a certas ações dos personagens. Quem esperava que a Natsume fosse dizer ali que gostava do Eita que atire a primeira pedra! Confesso que já desconfiava que isso fosse acontecer, mas não logo após a Komiya se declarar para ele. Aliás, foram dois episódios com dois ótimos finais nos quais as garotas se declararam para o protagonista – cada uma de um jeito que condiz com a sua personalidade, uma sendo indiretamente direta e a outra nem falando para ele.

Esse foi outro ótimo episódio que serviu como preparação para coisas ainda mais interessantes que devem acontecer a partir de agora. Só porque o artigo está acabando não quer dizer que o amor a este anime esteja no fim! Façam suas apostas, peguem a pipoca e aguardem ansiosos até a próxima!

Não dizem que você só se encontra ao olhar para dentro de si?!

Comentários