Grancrest é um anime de fantasia e ação que conta a história de um mundo governado pelo caos. Nesse mundo existem lordes que possuem o poder do selo sagrado para combater esse caos e proteger as pessoas. Bom, basicamente é isso, e após ver esse primeiro episódio eu posso dizer que ao menos dá para esperar algo bom dele. Não foi um primeiro episódio que explicou bem sobre o funcionamento do mundo e as outras coisas, mas para um primeiro episódio ele se saiu bem e acredito que entregou o necessário para fazer o público continuar a assistir.

Mas vamos falar sobre os personagens. Nada de protagonista super forte ou super fraco e inútil, porém com um poder oculto ou algo do tipo, temos dois protagonistas que possuem suas qualidades e talentos. A primeira a aparecer foi Siluca Meletes, uma maga que ao que parece era promissora, mas por decisão própria seguiu um caminho diferente daquilo que era esperado. Depois tivemos a aparição do outro protagonista, Theo Cornaro, um cavaleiro andante que busca evoluir seu poder e sua força para um dia livrar sua terra dos males que a assolam há muito tempo.

Em primeira instância eles podem não parecer grande coisa, mas a química que tivemos a partir da interação dos dois foi muito interessante. Theo pareceu ser um personagem calmo,  centrado em seu objetivo e longe dos clichês que nos cercam, Siluca é uma personagem alegre que se impõe e segue seus valores e crenças. E é isso que os junta, suas crenças e valores. Num mundo onde aqueles que têm o poder para ajudar e salvar as pessoas o usam para causas egoístas, ambos se juntam a fim de acabar com isso. Sim, parece clichê, mas a história mostrou ter muito mais além disso. O próprio Theo possui esse tal poder e segundo o mesmo, é criação própria, ou seja, ele não é apenas um cara aleatório que ganhou um poder do além. Ele criou com um objetivo claro em mente e com a ajuda da Siluca, irá evolui-lo.

Algo que me chamou a atenção também foi a questão dos brasões e demônios. Os brasões foram feitos para combater esses demônios que vêm de um mundo diferente e com isso fica a questão: como eles vieram parar nesse mundo? Quais são suas razões para tais atos (se é que precisam disso)? Fato é que esse sistema dos brasões é bem interessante pois essa coisa de absorver o brasão de outra pessoa e/ou evoluir o seu a partir do núcleo de um demônio após derrotá-lo, torna as dúvidas e possibilidades maiores para o decorrer da história. Fora que podemos especular a origem dos brasões, afinal, seu nível de poder depende da quantidade de caos e esse caos tem uma forte ligação com os demônios, assim como a magia tem alguma relação também.

Quanto aos detalhes técnicos, o anime não teve grandes lutas, mas nos combates que ocorreram, tivemos um jogo de posicionamento das câmeras interessante que de certa forma deu uma cara diferente para a luta. Não foi o episódio mais bem acabado da história, mas passou longe de conter erros facilmente perceptíveis e com isso, nada que incomodasse. E para quem se interessar, parece que temos 14 capítulos do mangá em português (só não esqueçam que originalmente a história vem de uma light novel que provavelmente será um pouco diferente do mangá).

Discussão