Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Bom dia!

Não sou especialista em horror, é um gênero complicado, principalmente quando o autor opta por uma abordagem mais expressiva, como é o caso do Junji Ito, cujo próprio nome dá o título desse anime que será uma coletânea de seus contos e obras.

Essa estreia certamente não foi das mais assustadoras ou melhores, mas será que dá para ter uma ideia do que está para vir só com isso?


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


A história do Souichi, o garoto sinistro, com poderes sobrenaturais que só perdem para sua auto-estima injustificadamente inflada, é muito mais uma comédia do que horror. Na verdade, é um horror-comédia, ou como já vi escrito por aí (sobre os filmes do Zé do Caixão), é “terrir”, com o significado sendo exatamente o que a junção das palavras “terror” e “rir” leva a crer. Com certeza parte do trabalho de Junji Ito é assim, em sua longa carreira dedicada ao horror, e só por isso já se faz justiça que esteja representado em uma antologia – esse anime é uma Collection, afinal, não um Best of.

Souichi “aterrorizando” sua irmã com uma aranha

Histórias realmente assustadoras, simplesmente grotescas, ou até mesmo algumas que não dão medo mas sim apenas deixam triste ou pensativo devem vir nos próximos episódios. Mas a narrativa não deve ser muito diferente do visto em Maldições Convenientes de Souichi: focado no protagonista (seja ele mocinho ou vilão, uma pessoa normal, uma vítima, ou possuidor de poderes sobrenaturais), em estilo quase narrado que pode passar por expositivo às vezes, e os momentos de terror frequentemente telegrafados, quase previsíveis, mas não sem algum twist vez ou outra, que fazem questionar se aquilo que está acontecendo é mesmo sobrenatural.

No caso desse episódio, por exemplo, o garoto no banheiro viu uma aranha gigante e foi atacado (ou será que estamos vendo o que Souichi imagina?) mas depois viu-se que estava apenas enrolado em papel higiênico. Será que a dor de barriga que o personagem no começo do episódio sentiu teve mesmo relação de causa e consequência com a boneca que Souichi pregou na árvore? A forma infantil com a qual Souichi molesta sua irmã e sua fantasia ridícula no final da esquete somam argumentos contra a paranormalidade do protagonista. Por outro lado, teve aquele garoto que foi enterrado. Não há boa explicação para isso excluindo o sobrenatural.

A esquete que encerrou o episódio foi curta demais, então acredito que não funcionou como deveria mas serviu para dar uma ideia do grotesco inexplicável que caracteriza vários contos do Junji Ito. O mangá que ele adapta é bastante curto também, mas o ritmo é diferente então acho que ficou melhor no mangá, mas não é exatamente um dos mais brilhantes do autor de todo modo.

Isso é… outra coisa

O anime sem dúvida poderia ter começado com histórias melhores, mais fortes, mais assustadoras. Mas, como eu disse, isso é uma antologia da obra de Junji Ito, não suas melhores obras. Claro que não vou aplaudir e dar cinco estrelas para um episódio como esse, mas começar com algo como O Enigma da Falha de Amigara poderia passar uma ideia errada e criar falsas expectativas. Confesso que eu estava com falsas expectativas, agora devidamente reajustadas. Continuo ansioso pelo resto do anime.

Comentários