Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Sinceramente, iremos começar esse post um pouco decepcionados. Esperávamos que o episódio tivesse um conteúdo mais voltado à história principal do anime – que ao nosso ver seriam as cartas -, porém a realidade foi outra. Tivemos um episódio cheio de um slice of life bem leve, onde simplesmente vimos a vida dela na maior parte do tempo e tivemos apenas alguns poucos minutos de ação, que também foi um pouco decepcionante.


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


Sabemos que o anime ainda está no começo, e que – provavelmente – toda a parte tensa virá mais para a metade, ou final, da história, porém é bem decepcionante perceber que foi um episódio que pareceu não ter uma grande importância para a história em si, destacando o fato de que provavelmente o ponto alto de toda a história apresentada nesses vinte e poucos minutos foi o fato de que a arte era consideravelmente acima da média – palavras do nosso querido artista, Akuji.

Sakura usa a carta e me conta o que ela faz, por favor

É preciso apontar aqui, também, o fato de que não é como se a história fosse totalmente ruim. Foi legal ver a Sakura se divertindo com a sua amiga e discutindo com o seu irmão, porém simplesmente esperávamos que tivesse mais ação, já que, mesmo a batalha tendo sido tão esperada, a melhor parte dela foram todos os efeitos relacionados ao báculo, porque o desfecho disso tudo, como realmente ela resolveu seu problema, foi tão ridículo que não conseguimos nem achar cômico.

“Eu invoco a Sakura em modo de Ataque!”

Durante todo o episódio sentimos que faltava “ação”, no sentido de que faltava emoção para tornar o episódio algo memorável. Passava os minutos e ficávamos nos perguntando quando que ia acontecer o clímax. Até que veio o momento do clímax, mas não foi muito bem aproveitado. Acreditamos que é pelo fato dela não ter usado quase nenhum recurso do episódio anterior – entenda como recurso aqui a carta que ela já possuía.

No antigo anime, a Sakura usava as cartas que ela já tinha pra capturar as cartas selvagens, porém, nesse episódio não foi necessário, porque a Tomoyo simplesmente resolveu todos os problemas dela com um alfinete, o que aparentemente foi o suficiente pra Sakura capturar ela. Isso foi quase inacreditável de tão ridículo. Era como se a Clamp simplesmente pegasse a pior ideia de todas, por estar com preguiça, e colocasse ali.

Não importa quantos episódios passem, essa cena nunca perde a graça

Tudo bem que nessa situação talvez não era necessário usar a carta que ela já possuía, mas o problema é que não sabemos o que a carta que a Sakura pegou no episódio passado faz, e a função das cartas é uma das coisas mais chamativas do anime. Negar esse recurso é uma péssima escolha no nosso ponto de vista, já que parte da nostalgia vinha das cartas fazendo o dever delas. Fora que usar as cartas dá uma sensação de que esse episódio está conectado ao plot principal do anime, e não que é simplesmente um episódio avulso.

Entretanto, alguns pontos positivos do anime foi que aparentemente o Syaoran vai ser um dos pontos-chave dessa história, já que ele não pode desperdiçar tempo pros clubes por causa de algo que precisa resolver e que ainda não foi revelado. Esse episódio também deu a entender que os clubes são coisas bem importantes, pros personagens e não pra história. E por último, o cheesecake parecia ser muito bom.

Todas as garotas que eu – Akunji – conheço seguem essa frase

Por fim, concluímos que esse episódio foi abaixo da média do esperado, talvez pelo fato de que já chegamos nele com expectativas altas sobre a próxima carta que ela encontraria e tudo tenha sido resolvido por um simples alfinete. Ele foi o suficiente pra matar a nostalgia, porém nada mais do que isso. A notícia boa é que esse foi o segundo episódio, significando que ainda tem muitos episódios pro anime se tornar ótimo.

Ah sim, a animação de Sakura está muito linda, e se continuar assim nossos olhos agradecem.

Comentários