Apesar de Takagi ter motivos para ser a semente de todo o mal, nada justifica o que fez até hoje. Aquilo que, na cabeça dela, nunca ia ser convertido em algo que a faria se arrepender (até mesmo por conta da falta de pulso firme da professora anterior), hoje ela já se pergunta o porquê tem feito, e uma coisa lhe veio à cabeça: a sociedade quer que a gente haja de uma certa maneira, e por isso vou contra a maré e fazer com que tudo saia a perder. O problema é que ela não contava com um novo professor, o qual fez com que Takagi e as outras meninas que participaram diretamente ou indiretamente do bullying recebessem advertências.

E, mesmo assim, nós vemos que Takagi não se sente culpada por nada o que fez. E, na minha opinião, sua voz sem graça e sem vida demonstra o quão sem rumo ela estava. Mesmo o professor perguntando o porquê dela ter feito tudo aquilo com Hinata ou Chiho, a menina ainda conseguiu arranjar uma maneira de colocar toda confusão que possui em si mesma na sociedade. Com certeza, todos os dias somos cobrados por algo: “Estude direito!”, “Entre em uma boa faculdade!”, “Arranje um bom emprego”… essas e outras frases nos fazem questionar sobre o que é certo ou errado em fazer de nossas vidas.

Apenas tentando justificar a atitude

Porém, a maneira com que Takagi vê essas questões faz com que ela não tenha motivações para nada e que se sinta satisfeita vendo outras pessoas se dando mal. Com certeza, há outros motivos aqui que não consegui enxergar, mas a princípio, se sentir vívido com a desgraça alheia dava mais forças para a menina continuar na escola que qualquer outra coisa. Sabendo que no próximo ano ela teria que se esforçar e estudar para entrar em um colégio que é o que os seus pais desejam, sem nem mesmo questioná-la se quer ou não mesmo estudar no local exigido por eles, já é motivo suficiente para uma mente confusa e revoltas adolescentes.

Nem eu estou entendendo e você acha que ele vai entender?

Mesmo que a menina que começou todo o bullying explicando tudo isso para o professor, ele ainda não viu motivos para a mesma ter feito tudo aquilo. Mas por que então ela o fez? Simplesmente porque sua vida era entediante demais, e precisava de mais pessoas para compactuar com ela. E, mesmo assim, na minha opinião, Takagi fez que nem os seus pais: começou a fazer coisas sem o consentimento das pessoas, e estas, para não sofrerem do mesmo mal da colega de classe que está sofrendo, também resolveram fazer de tudo para infernizar (direta ou indiretamente) a vida dela.

O falso pedido de desculpas

Tanto que, depois de todas elas conversarem com os professores, algumas outras meninas foram pedir desculpas diretamente à Hinata, fazendo com que a amizade, de certa forma, fosse restaurada. O clima até mesmo mudou, e vemos que Kiriyama sentiu uma nova aura em volta da Hina. Não é aquela aura escura, aquela nuvem que parecia engolir todos à sua volta, e sim uma aura mais branda e límpida, que traz paz e esperança, porque toda a sua dor, sofrimento e solidão acabaram.

Ainda mais após receber uma carta da Chiho, pedindo desculpas por não se corresponder até aquele momento. O caso é que, além de tudo o que a mesma sofreu, não conseguia se relacionar da mesma maneira que antes. Por não conseguir entrar em uma nova escola após tudo o que passou, ficou esse tempo todo sendo tratada em um lugar que faz com que as pessoas se recuperem pouco a pouco. E a professora dessa instituição lhe disse que há 3 passos para fazer amizade:

  1.  Fazer amizade com os animais;
  2. Fazer amizade com os mais velhos (e isso a ajudou muito, já que onde ela mora agora tem muitos animais e pessoas mais velhas que ela) e, finalmente, depois de perder o medo de se relacionar com qualquer ser à sua volta, seguiu o último passo, que era:
  3. Fazer amizade com alguém de sua idade.

Sabendo disso, a primeira pessoa que lhe veio à mente foi a Hinata e a convidou para ir lá nas férias de verão. Eu sinceramente senti uma vontade louca de chorar, mas consegui segurar (estou trabalhando, afinal, chorar no trabalho é meio tenso), mas com certeza em qualquer outra situação eu abriria o berreiro.

Uma cena triste, porém agradável

Muito obrigada por lerem este artigo e nos vemos no próximo!

Discussão