Grancrest tem uma boa premissa, personagens carismáticos e para não citar o resto, daria para resumir tudo dizendo que tinha um belo potencial. E esse belo potencial está sendo jogado no lixo numa velocidade bem grande. Claro que se você é do tipo de pessoa que gosta de batalhas e acontecimentos sem parar, pode acabar gostando, mas ainda assim, do modo que tudo isso vem sendo entregue, está complicado. Tudo acontece precocemente e você acaba não entendendo como as coisas acontecem de fato, apenas vê o problema inicial e a resolução final, não há um caminho e se há, ele está sendo omitido.

Se no segundo episódio tivemos um Barão sendo derrotado, nesse tivemos um Rei. SIM, um Rei foi derrotado em tempo recorde. Eu nunca vi uma batalha dessa magnitude tão rápida e sem graça. O Rei chega no campo onde ocorrerá a batalha, não há diálogo ou interação com o inimigo, aparecem aliados, a batalha acontece, a ajuda aparece e no fim o combate é vencido. Theo, que infelizmente parece apenas um fantoche, está cada vez mais forte e influente; tudo isso sem o menor treino, preparação ou planejamento. Ou melhor, há um planejamento, uma preparação e um treino, porém nada disso nos foi mostrado e nisso, tudo parece raso, sem desenvolvimento e precoce.

Aquela batalha “de respeito” que dura menos de 3 minutos…

Como comentei hoje com minha irmã: saudades da adaptação do mangá. Ou melhor, saudades de um desenvolvimento geral. E apesar de tentar achar algo para elogiar, infelizmente eu não consigo. Tivemos até uma seita entrando do nada, sumindo do nada e aparecendo do nada sem mais nem menos. Foi algo bem aleatório e que não serviu para muita coisa (exceto no incêndio onde teve uma certa utilidade em dois casos). E nesse processo todo, os protagonistas acabam sendo mal compreendidos e se tornam”ruins”. Theo para muito é uma porta e Siluca, uma manipuladora. Não que isso esteja completamente errado.

A animação continua na mesma: inconsistente, e nas batalhas mostrando algo decente de vez em quando. Provavelmente o número de episódios versus o orçamento seja um fator dominante nisso, mas independente disso, continuamos infelizmente tendo um show de horrores em algumas cenas de menor importância. E se tem algo que o anime de grancrest está fazendo é me deixar intrigado para saber sobre os acontecimentos que vêm por aí (seja com boas expectativas ou não).

Discussão