Como diz o nosso querido chefe (Mexicano-sama): comentar sobre um anime ruim molda o seu caráter. Ou é algo do tipo ou eu estou falando besteira. Mas o que importa é que Killing Bites não é um anime que você colocaria na sua lista de favoritos (ou colocaria?) e diria com orgulho que gostou ou algo assim. Fica a questão sobre o seu motivo para ver esse anime também. A minha é só pelo ecchi (tá faltando ultimamente, né?) e porque geralmente eu não preciso de muito para ter vontade de assistir um anime. Dito isso, vamos refletir sobre essa obra.

Sinceramente, eu já gostaria de expor a minha opinião, ou melhor, meu desgosto sobre algumas coisas desse anime. A primeira seria o protagonista. Sim, aquele personagem fruto de nossa reclamação em vários animes (vários mesmo). O motivo? É só mais um virjão, pervertido e cagão que não presta pra nada. Só está vivo pelo protagonismo de sua aliada e porque faz economia (ou seja, porque o autor quer ele vivo). Preciso citar a transformação corporal dos homens que é completa e das mulheres que é incompleta principalmente em certos lugares? ( ͡° ͜ʖ ͡°) Acho que não.

Não podemos esquecer também da superioridade do Ratel. Nada contra usar um animal forte e destemido, mas me incomodou a forma como as duas batalhas foram conduzidas. Ele apanhou que nem condenado e após isso, mostrou uma certa “imunidade” ao tipo de ataque usado por seu inimigo. É óbvio que isso irá parar num certo ponto, mas eu já cheguei a me perguntar se isso vai acontecer de fato. O Ratel não tem medo, sua pele não pode ser cortada por nenhuma “arma” animal e daria para dizer que por conta da sua falta de medo, ele também é destemido. Fora que eles podem desenvolver imunidade a venenos de insetos e répteis, ou seja, quando um aparecer, lembre-se que provavelmente ela poderá ter vantagem sobre um ataque do tipo.

Gostaria de falar sobre a explicação em relação a história do anime como um todo. Sinceramente eu ainda não entendi bem essa questão das facções e seus nomes. Ao menos para mim foi e está sendo confuso e mal explicado. Eu mal sei qual é a facção que a Hitomi aceitou fazer parte temporariamente e muito menos o nome das outras. E falando no diabo, eu até agora não vi grande coisa na Hitomi também. Claro que julgar ela por causa de dois episódios não é o ideal, mas a impressão inicial e as outras após ela não têm sido a melhor. Por outro lado eu acredito que ela se tornará mais agradável, diferente do vir…Yuuya.

E sobre esse episódio, tivemos apenas um gostinho do que vem por aí. Ao que parece a Hitomi entrará num campeonato onde todas as facções irão tentar atraí-la para seu lado (sendo por bem ou mal). Haverá oponentes que provavelmente serão fortes demais para o seu nível atual e por fim, parece que há uma recompensa pela cabeça da Hitomi. Como se isso não bastasse, parece que podemos esperar que exista outro Ratel, sendo que nesse caso seria um macho. Concluindo: vamos esperar por fortes emoções nesse que é um dos candidatos a melhor anime do ano (ou não).

  1. Respondendo à questão colocada no título do artigo, fanservice e vida animal.
    Das muitas centenas de animes que já vi, apanhei um punhado grande de animes maus, alguns deles moldaram-me de tal forma, que eu fiquei mais exigente, mas Killing Bites não é 100% um caso desses. Killing Bites tem algumas coisas meio trash (tipo o fanservice mais descarado), mas o que me mantém a ver o anime, é a esperança de ver todos os meio animais a se matarem, esfolarem etc. Mas também tenho curiosidade, para ver o que o mad cientist tem em mente, tal como a posição de cada um dos zaibatsu.
    Passando à parte da vida animal. o ratel, sem exagero nenhum é um animal imortal. Eu já vi alguns documentários no national geographic, sobre os ratel, e eles além de corajosos, suportam muito dano (num dos documentários, um ratel foi mordido por uma hiena e escapou com vida e depois disso é mordido por uma das cobras mais venenosas da savana e continuou vivo e ainda comeu a cobra que o mordeu).
    Agora é esperar até que ponto de trash este anime pode ir, mas pior do que já está não ficará.
    Excelente artigo Kirath.

    • Primeiramente muito obrigado pelo elogio e o comentário. Sobre o anime… eu acho que ele se encaixa bem naquela história de quando você dá uma nota baseada na diversão que ele te proporcionou, apenas isso. Desligue seu cérebro e aprecie o fan-service com a pancadaria tudo junto e misturado. Simples assim. E ainda assim ele consegue ser mais divertido que muito anime de comédia por ai (pop team cof~cof).
      Já em relação ao Ratel eu tenho esquecido mas pretendo pesquisar para entender mais sobre ele. Já tinha ouvido falar e aprendido algo sobre mas sinceramente eu não lembro de nenhuma informação relevante além daquilo já mostrado no anime.

      • É impossível avaliar Pop Team Epic na minha opinião, aquele troço é estranho e só piora com o passar do tempo (ele tem algumas coisas divertidas, mas em 90% do tempo é bem trash).
        Eu quando começo a ver um novo episódio de Killing Bites, o meu senso crítico é posto de parte, o que me interessa é a diversão que conseguirei retirar do episódio (se bem que eu não gosto muito de fanservice descarado, mas o fanservice em Killing Bites, dá para tolerar de forma razoável).

  2. O que me leva a assistir killing bites são as meninas colegiais de 15 anos ficarem peladas e ou semi peladas, fazerem caras e bocas e realizarem vários fetiches sexuais e quantos ângulos as cenas podem extrair de seus belos corpos. Não gosto de lutas, porradas e nem pancadaria e não estou nem aí para os grupos zaibatsu, só quero ver meninas colegiais fazendo sexo e aproveitando sua juventude ao máximo. nota 2 episódio: 10/10 obra prima, que belos peitos da menina porca espinha, fiquei duro!

  3. Sim com certeza o anime Killing bites está na minha lista de animes favoritos de animes da temporada de inverno 2018 como obra prima em todos os sentidos! ecchi com muito fanservice.

  4. Achei um descaramento a transformação das mulheres, dava pra ser ecchi sem ser de mal gosto não? Mano! Ao menos fazia os caras “meio” transformados tbm! Eu tava esperando as garotas vivarem animais por INTEIRO e vir muito sangue disso, a parte ecchi na minha cabeça seria quando elas se transformassem em humanas novamente, fiquei brava para um senhor caramba.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      É bem tosco mesmo, mas … eu acho que dá para explicar dentro da história porque as transformações dos homens são mais completas que as das mulheres? A primeira luta da Ratel já entregou, na verdade, quando aquele gordo nojento lambeu (ECA!) o monitor: aquilo é um espetáculo, e embora existam algumas mulheres em posição de poder, ainda é um sistema essencialmente patriarcal, governado por homens, e portanto é um espetáculo para homens. Por isso homens se transformam completamente (e assim parecem mais poderosos) enquanto mulheres se transformam apenas parcialmente (e assim parecem mais sexy). Há pelo menos uma exceção, porém: a Lagartixa se transformou completamente (e isso espantou até mesmo outra jogadora mulher, a Chita), rosto incluso (embora tenha mantido o cabelo, o que só a deixou ainda mais bizarra).

      Claro que nada disso faz com que deixe de ser um ecchi descarado, e é assim que tem que ser entendido por quem pretende assistir, gostando ou não.

    • É normal meninas inocentes e virgens não curtirem animes ecchi com muito fanservice, pois é um espet´´aculo para os garotos! se quer ver algo para você, assista free:

Discussão