Primeiramente, eu gostaria de dizer que, se vocês estão boiando na história e não entendendo nada, leiam o mangá até esta parte e/ou vejam o anime antigo, já que, se eu pegasse o bonde andando desse jeito, com certeza eu também ficaria perdida.

Segundo, as partes que eles quiseram unir não possuem relação umas com as outras, assim como aconteceu no primeiro episódio. Além do mais, este é um anime sobre espíritos, não é mesmo? Mas nenhum foi parar no Hoshindai ainda, e parece que aquele pergaminho não vai acabar com relação ao passo que o anime está caminhando. Ou seja, ele está correndo a ponto de pular várias partes importantes que nos manteriam mais inteirados sobre os detalhes. Então, como sabemos que a pressa é a inimiga da perfeição, é complicado dizer que o anime NÃO está criando lacunas e fazer o povo entender menos ainda.

Por último, gostaria de dizer que, depois mesmo que conferirem todas as outras mídias, para aí sim voltarem e lerem o artigo, porque o spoiler vai comer e não estou muito aí.

No primeiro episódio, no geral, Taikoubou foi visto como um personagem bobo, burro e inconsequente e que já chegou com tudo para tentar acabar com a moça Dakki. O problema é que a história é bem mais detalhada que isso, e até mesmo o anime antigo pegou parte dessas coisas importantes. A começar que, na verdade, Dakki possui duas irmãs: Ou Kijin e Ko Kibi. Mas por enquanto, não falarei delas. O negócio é que o anime fez parecer que Dakki trabalha sozinha, apenas com o seu poder de Tentação e nada mais. Há uma coisa muito importante também, e que no anime não passou, foi que, antes de parar na mansão da grande vilã, Taikoubou e Suupuuchan foram para Chouka, onde as pessoas estavam prestes a serem sacrificadas por ela, e isso ele apenas descobriu porque estava com dor de barriga e precisava de um remédio urgente. As taxas estavam muito caras para todos os cidadãos pagarem e ninguém estava conseguindo se sustentar ali (por isso também que Dakki estava querendo sacrificá-los), e o que eles queriam era que a promessa de transformar o rio de Chouka em saquê fosse cumprida, e Taikoubou conseguiu, principalmente para:

  1. Deixar todos relaxados;
  2. Armar um plano contra as tropas que iam buscar o povo;

Logicamente que parte do plano de sacrificá-los foi arquitetada por um dos comparsas da Dakki, cuja forma real é um gafanhoto. Após derrotá-lo, Shinkouhyou foi logo informar para a Dakki o ocorrido, já que Kokutenko tem aquele poder da clarividência. Sabendo disso, a raposa mandou sua irmã, Ou Kijin, para completar a missão de testar o protagonista. Taikoubou nessa luta se finge de sonso muitas vezes mas, por causa disso, conseguiu vencê-la (e o pior é que, às vezes, ela também fazia o mesmo joguinho com ele) e fez com que Kijin mostrasse sua real forma, um Shamisen. O protagonista continuava sem muitos planos, porém faria mais sentido ele chegar lá e falar que queria ser o músico do reino se tivesse algum instrumento em mãos, que no caso essa segunda adaptação não mostrou. Sendo assim, e Dakki sabendo dos planos de Taikoubou de derrotá-la, ela conseguiu fazer com que a vida do homem e de Suupuuchan se tornasse um inferno, até o dia em que ela resolveu dizimar a população inteira do lugar onde ele morava.

Mas aí ele já tinha um plano arquitetado: destruir o próprio quarto onde estava confinado, assim a Dakki ficaria enterrada, e poderia tirar o imperador Chuuou de seu transe pelo poder de Tentação da raposa. Mas nem tudo são flores, não é mesmo? Ele conseguiu explodir o quarto, sim, mas que enterrou não foi a Dakki em si, e sim a irmã dela, Kibi, a qual tem o poder de se transformar em quem ou em tudo o que quiser. Agora que as três irmãs estavam reunidas e Dakki recuperou toda a atenção que tinha de seu amado imperador, ela poderia tirar Taikoubou de circulação, então como castigo dizimou toda a população de seu antigo vilarejo. Terminado aquele show de horrores (que na segunda adaptação foi um horror mesmo, porque foi cheio de CG e mal adaptado), foi mostrado que Dakki perdeu o controle de si mesma, comendo as entranhas de todas aquelas pessoas que foram sacrificadas para ajudar a manter a sua forma (além dos banhos de lua e de sol que precisaria para continuar sendo o mesmo espírito nesse corpo e continuar tendo o seu poder de Tentação).

O que aconteceu nesta parte foi uma “reciclagem” da cena de Dakki devorando as entranhas das pessoas. É como se fosse uma censura, porém o intestino grosso de alguém não foi salvo de aparecer.

Taikoubou, sabendo que não é qualquer coisa que a derrotaria, resolveu procurar por mais aliados que o ajudassem a deter os planos da Dakki e, enquanto estavam pescando, um homem chegou correndo, pedindo a ajuda dos dois. Sendo assim, eles resolveram saber a história, mas uma coisa o anime não citou: além de ser pai de um Paopei humano, ele também treinava no mesmo local onde Taikoubou treina, e até tinha o mesmo título, porém foi expulso por mau comportamento. E, depois que todos conseguiram fugir de Nataku, a versão da história do homem foi contada, e essa parte foi que nem a segunda adaptação mostrou mesmo. A mulher dele estava tendo uma gestação prolongada (até demais) de 3 anos e meio, e então, através de um sonho, um Sennin lhe disse que o que ela tinha na barriga não passava nada mais, nada menos que uma bola de carne, mas que se ela desejasse muito, ele tomaria forma e viveria normalmente. Após ver o que a esposa gestou, o pai de Nataku o olhou como se fosse uma coisa grotesca, então o cortou e o que viu foi um menino coberto de Paopeis.

Nataku, o Paopei humano.

Como ele era uma criança diferente, seu corpo cresceu rapidamente, então embora tenha tamanho de um adulto, ainda é uma criança que come direito (rabanete) e estuda todo dia (quanto é 2 + 1?). Mas, um dia, por conta de seus Paopeis, enquanto ele e sua mãe estavam em um rio, Nataku acabou matando todos os seres de lá, e um deus ficou bravo, querendo matá-lo, mas por causa do amor que tem por sua genitora, acabou matando-o, dizendo que o deus queria matá-la. Por causa disso, nos próximos dias aconteceram coisas estranhas por causa de vingança, e então Nataku se suicidou para proteger sua família mãe. Sendo assim, o corpo dele morreu, porém o seu espírito estava vivo. Como ele sucumbiu e ficou trancafiado dentro daquele Paopei que o Sennin deu para que o mesmo nascesse, sua mãe fez um túmulo e, assim, sua alma descansou em paz… até que seu pai resolveu quebrar tudo e o jogar no rio para se livrar dele. Mas como Nataku estava vivo de certa forma, conseguiu renascer em uma flor de lótus. Por causa de tudo isso, ele resolveu matar o seu pai por causa de um suposto ódio que tem pelo mesmo.

Certamente ele conseguiria matar o seu pai, mas por conta dos laços familiares (não por ligação de sangue, já que ele renasceu em outro lugar, e sim por causa do amor que sente por sua mãe) não conseguiu matá-lo. Taikoubou sabia disso e, quanto mais perturbado Nataku se sentia, mais seu poder ficava descontrolado, já que sua mente estava a mil, e não funcionasse de maneira satisfatória. Sendo assim, o Paopei humano desistiu de realizar a sua vingança após uma conversa que teve com o protagonista (a qual envolvia crises existenciais e complexo de Édipo, já que o amor que o Nataku sente por sua mãe supera o de simplesmente vê-la como mãe) e o Sennin que ajudou com que Nataku nascesse apareceu, dizendo que ele precisava amadurecer e que ainda era uma criança, e que o treinaria por enquanto. Logicamente que Taikoubou e o Sennin se conheciam, e as besteiras que este falaram ficaram marcadas na cabeça do protagonista, já que fazia muitos anos que os dois não se viam.

O alívio cômico do episódio.

Posso dizer também que no segundo episódio misturaram duas passagens, uma nada mais a ver com a outra. O que deveria ser contado vários episódios à frente foi contado agora, e de forma corrida, já que tiveram a PACHORRA de não mostrar os motivos da irmã do imperador Chuuou ter se suicidado, e nem mesmo a forma pela qual fez isso, sendo apenas citado. A maneira fria pela qual isso foi feita me revoltou, e não foi simplesmente o poder da Dakki que o fez ser tão indiferente perante a morte de sua irmã, como também foi erro da direção do anime, não mostrando os reais sentimentos que os personagens estavam tendo. Claro que Bunchuu foi quem teve mais ódio ali o tempo todo, porém nenhum outro personagem foi retratado de uma forma mais fiel que ele. Nem Dakki, nem o imperador covarde, muito menos Hiko. Todos ali são falsos.

Apenas os sentimentos de Bunchuu são reais.

Inclusive eu gostaria de fazer mais um comentário. Taikoubou está em busca de novos aliados, certo? Porém acredito que não terá um personagem que fazia parte de sua equipe: Thunderbolt. Ele não tinha nada de especial, porém era um bom alívio cômico e tinha um poder bem legal… é uma pena mesmo.

Uma imagem deles para vocês, caso o mesmo não acabe aparecendo.

Discussão