Um episódio lindo, apesar de triste, pois soube dosar bem cada sentimento que tentou provocar no público e assim afastou o maior medo que eu tinha sobre a obra. Mesmo que Uma Musume siga à risca fatos reais das carreiras dos cavalos que inspiraram as personagens, o anime consegue ter seu brilho próprio ao nos presentear com sua história simples de execução simples, porém, gratificante.

Gosto de animes que sabem a hora de colocar acontecimentos em off de quem o protagoniza para focar nos outros personagens importantes e deixar a derrota da Spe-chan em segundo plano foi bem isso. Só espero que a Tokai Teio seja mais explorada na segunda metade – assim como suas colegas de time. E aproveitando o gancho da derrota, nada melhor que um treinamento diferenciado, não é?

Com um banquete desses fica até difícil pensar em coisa ruim 😂…

Assim como o Treinador que prepara todo um clima para a notícia da partida de uma das garotas, o anime sabe tornar esse momento agradável, ainda que tristonho, justamente por causa da interação entre essas garotas e a forma positiva que elas encaram essa situação – aceitando bem a parte ruim.

Por outro lado, as garotas do time Rigil sentem a evolução do time Spica e também se esforçam para não ficarem para trás. É com diálogos objetivos entre as garotas e com sua técnica que podemos ver como as derrotas as impactaram e qual é a filosofia de trabalho do time – derrotar suas adversárias.

Que o time rival também seja desenvolvido e ganhe cada vez mais a empatia do público!

Isso me leva a perguntar, uma estratégia só é uma estratégia se for encarada como tal? Correr dando o máximo de si por se divertir também não pode ser encarado como um tipo de estratégia? Acredito que possa, assim como jogar o mesmo jogo que a Suzuka também é uma forma válida de se tentar vencer a corrida. Lembram da corrida da Spe-chan com a Taiki Shuttle? Não foi ao igualar seu ritmo que a protagonista foi capaz de enfrentá-la em pé de igualdade? Então, por que não fazer o mesmo?

Como um torpedo silencioso ela domina as pistas de corrida por onde passa!

O problema é a atleta ter capacidade para isso e quando começa a Tennoushou o que logo fica claro é a diferença de ritmo e velocidade entre a Silence e as outras corredoras. É aqui que a filosofia de trabalho do Treinador se fez valer, pois foi através de treino duro e de um ambiente favorável que sua corredora foi capaz de fortalecer a mente e o corpo para assim explorar melhor o seu potencial. É verdade que logo em seguida ela se machuca, mas ainda é cedo para apontar uma causa para isso.

A estratégia de não ter estratégia foi assimilada e bem aproveitada pelo time Spica. É verdade que nem sempre as vitórias virão – a Spe-chan acabou de perder uma corrida, né –, mas mesmo com as derrotas a estabilidade emocional e mental desenvolvida em torno dessas garotas se mostrou ainda mais necessária após a inesperada e angustiante lesão de sua estrela. A qual escancarou expressões tristes e desoladas no rosto de vários, mas não impediu suas amigas de tentarem aliviar a tensão.

A insatisfação com a vitória circunstancial também é uma forma de esportividade.

A obra não tenta forçar o riso no telespectador, mas em nenhum episódio ele abriu mão de seu tom leve e descontraído e é justamente por conta disso que mesmo falando sério ou quando as coisas não dão certo que a existência de momentos cômicos é justificável e até necessária apesar da dor. As lágrimas não precisam ser contidas para isso, basta se entender como e quando favorecer esse riso.

Sorrir e mostrar confiança, não chorar na frente da pessoa ferida, fazer brincadeiras para desanuviar dos acontecimentos ruins. É nesses detalhes que todo o caminho percorrido pelo time principal mais uma vez mostra sua força, pois é muito fácil ser amiga e companheira nos momentos felizes, mas é ainda mais importante dar apoio e ser gentil quando a pessoa passa por momentos ruins. Se formos parar para reparar, elas não deram tempo para a Suzuka ficar triste e nem chance para ela parar e pensar no que perdeu naquele dia fatídico, pois muito do que ela ganhou estava bem na sua frente.

Mesmo em uma hora triste, como não ficar feliz ao ver a união e o carinho desse grupo?

Perdendo ou vencendo, em forma ou em recuperação. Após um acontecimento infeliz a promessa que a Special Week fez com sua amiga Silence Suzuka se tornou ainda mais importante, pois deu a Suzuka outro motivo para voltar a correr com tudo. Se ela se sente feliz ao correr, o quanto ela ficaria feliz ao correr ao lado de quem a deu tanto, assim como recebeu muito do que ela tinha a oferecer?

Uma Musume terá mais 6 episódios e acredito que seja tempo mais que o suficiente para a lesionada Suzuka se recuperar e voltar as pistas enfrentando a Spe-chan em uma corrida emocionante e que concluirá o anime da melhor forma possível. Deixo aqui minha torcida! See you next SPECIAL WEEK!

Que a dona desse sorriso aproveite a boa sorte de ter ótimas amigas para brilhar no futuro ❤!

Discussão