Dia de Halloween em Amanchu! Advance. Mais uma vez, o realismo mágico se faz presente, são os sonhos lúcidos de Teko. Além disso, o esperado encontro entre Teko e Kokoro ocorre neste sexto episódio, ocasionando uma disputa aberta pelo coração de Pikari. Constrangimento, ciúme e tensão atravessam o primeiro contato entre elas. Em um evento, uma corrida de caça ao tesouro, o beijo do “príncipe” Pikari se torna um dos prêmios. Motivo para Teko lutar até o fim para impedir que qualquer outra pessoa obtenha a recompensa e macule a querida amiga. Um episódio movimentado, com um sonho quase romântico (quase?) e emoções à flor da pele.

Fantasia e realidade se alternam no episódio. O Halloween é um feriado propício para que a imaginação possa fluir sem limites. A realidade como sonho e o sonho como realidade acompanham Teko. A garota se pergunta o que está vivendo em um determinado momento. Logo no início, ela se certifica de estar com os “pés no chão” e poder vivenciar ao lado de Pikari toda a agitação de sentimentos possíveis. Como uma vassoura não surge em suas mãos quando imagina uma (remetendo ao episódio 4), Futaba sabe que o clima fantasioso do Halloween é algo que faz parte da realidade.

Pikari convoca Teko, a sua princesa naquele dia, para se divertir ao máximo. Logo, elas se deparam com Kokoro, que Pikari, empolgada, diz ser sua segunda princesa. Com a garota indo buscar bebidas para suas amigas, Teko e Kokoro ficam sozinhas. Um misto de ansiedade, preocupação e vergonha toma conta delas (ainda mais com os olhares das pessoas que estavam extasiadas com as fantasias de ambas). Ser o centro da atenção e lidar com uma parte da vida de Pikari, que até então era-lhe desconhecida, assustam Teko. Kokoro mostra-se séria nesse tempo, um pouco rude também. É monossilábica enquanto Futaba tenta investigar o grau de intimidade entre Pikari e a menina. A situação é desconfortável para Teko, como se as experiências de Pikari que não a envolvem, pudessem afastá-la do que já foi conquistado (e o pouco de conversa revela surpresas). É um traço da insegurança que ainda acompanha a sonhadora Teko.

Teko e Kokoro: um primeiro encontro marcado pelo estranhamento.

Com a desconfiança instalada entre Teko e Kokoro, o evento de caça ao tesouro, no qual trabalham os irmãos Ai e Makoto, torna-se um motivo a mais para intensificar o clima de rivalidade entre as garotas. O prêmio é um polvo de pelúcia, pelo qual Kokoro manifesta interesse (ela tem uma estranha fascinação pelo molusco). Uma menininha  – de, no máximo, seis anos – diz querer ganhar um beijo de um príncipe e Pikari prontamente se oferece para ser esse príncipe. A gentiliza chega à multidão e o beijo da jovem especialista em diversão acaba como um dos prêmios para o vencedor da caçada. Ai e Pikari se assombram com a repercussão. Logo, um evento com tudo para ser um fracasso, passa a ter vários participantes. Teko tranquiliza Pikari ao se colocar como salvadora da “santidade dos lábios” dela.

A procura de itens durante a corrida é um dos melhores momentos do episódio. Teko precisa de uma barba, mas a sua ansiedade social e o fato de ter que falar com um desconhecido a deixam travada. Só que acaba se comportando como uma perseguidora, causando medo ao homem com uma fantasia de canguru. Já Kokoro corre atrás de um lenço. A sua ameaça de travessura, para quem tem a peça, não é fácil como ela supõe, pois falar com um adulto, que, ademais, é um estranho, suscita certo pavor. Situação desprazerosa e perigosa para as garotas. Mas elas têm um objetivo e disputam até a linha de chegada.

Teko na batalha para salvar a “santidade dos lábios” de Pikari.

Teko, nos modos focada e ciumenta, é bastante cativante, já que são aspectos de sua personalidade que ainda não haviam caminhados juntos. Tem um efeito benéfico na corrida. Teko se imagina como o cavaleiro de Pikari. O resultado da caçada deixa todos, certo modo, felizes. Kokoro com seu polvo de pelúcia e Teko recebe o beijo de Pikari. Na mão direita, como um príncipe mostrando admiração por um princesa. Kokoro e a menininha, que ocasionou a confusão do beijo como prêmio especial, recebem um beijo na bochecha. Teko, com uma fria delicadeza, explica a Kokoro que concedeu a ela apenas a pelúcia e não Pikari. É uma atitude compreensível de quem está lutando para fixar seu lugar no mundo. Nem tudo é facilmente assimilado.  O que não significa que Kokoro seja persona non grata. Pikari e ela têm uma relação que precisa definir seus contornos. Algo que Teko compreende. Aparentemente, essas novas emoções assustam Kokoro. Mas, nada como um episódio atrás do outro, para que resoluções sejam alcançadas e os sentimentos resolvidos.

A princesinha recebendo o beijo do belo príncipe Pikari.

Depois do evento, temos um sonho compartilhado entre Teko e Pikari. E a inversão, de princesa, Teko passa a ser o príncipe de Hikari. Durante a corrida, ela se esforça ao máximo para proteger a amiga, o que emociona Pikari. Ao despertarem na banheira em um spa, elas têm certeza da fantasia que viveram. Teko, afinal, é uma sonhadora profissional. Se viver um de seus sonhos com Pikari, faria-a muito feliz, seu desejo é realizado. Elas estão em plena sintonia. E Teko percebe que “os sonhos estão sempre lado a lado com a realidade”.

O sentimento de nostalgia e o clima de fantasia que dão o tom do episódio causam efeito em Katori-sensei. Ela está melancólica. Algo do seu passado quer vir à tona, algo relacionado à magia, que talvez ela tenha abandonado em nome do ceticismo da vida adulta. E sua ligação com  Towano-sensei deve ser explorada em episódios futuros (mais próximos do que em suas aparições anteriores).

A melancolia de Katori-sensei.

Pode-se concluir que a interrogação constante de Teko sobre sonho e realidade vem da maneira como encara as coisas boas que acontecem com ela, como se não fosse possível serem concretas, o “aqui e agora”. Ainda não plenamente confiante e sem conseguir afastar a ansiedade e a incerteza, Teko precisa de um reino para dominar, e esse se formou nos sonhos, na fantasia. Enfim, ela apresenta seu mundo a Pikari, que o aceita sem dúvidas ou restrições.

A especialista em diversão e a profissional dos sonhos em completo entendimento, com corações a tomar a tela e alternando a posição de príncipe e princesa, fazendo desse episódio o mais próximo de um sentimento para além da amizade.

Movimentado, agradável e relaxante, as marcas Amanchu!, agora com a fantasia como um bem-vindo ingrediente.

Discussão