Enfim o tempo onde reinava a paz ou a sensação dela, acabou. Memórias foram esquecidas assim como uma promessa que não terminou de ser selada. O episódio em si não foi tão interessante para ser sincero e o grande trunfo dele foram pequenos detalhes que podem deixar a esperança de um futuro interessante para o anime.

Finalmente Ikuno demonstrou seus sentimentos. Era algo que nós sabíamos que ia acontecer e que não iria dar certo. Ichigo ao menos foi gentil ao “consolar” sua amiga e não precisou refutar Ikuno visto que a mesma entendia suas chances de sucesso. Do outro lado do jardim, tínhamos alguém que estava numa situação um pouco mais “chata”. Futoshi parece que finalmente largou de ser patético e aceitou que “sua” Kokoro amava outra pessoa e por isso escolheu fazer aquilo que provavelmente deixaria seu coração menos doloroso (inclusive eu ainda duvido desses sentimentos dele, me desculpem). E no meio desse clima festivo e feliz, a realidade tratou de aparecer com notícias ruins. A partir daí, houveram detalhes que sinceramente ficaram sem muito sentido como por exemplo a aliança que continuou no dedo de ambos mesmo após uma lavagem cerebral.

Interessante também foi conhecer um pouco mais sobre Nana e Hachi. Pelo que deu para entender, Nana possuía um parceiro por quem nutria sentimentos e por conta de uma tragédia (que pode ter sido proposital) ele veio a falecer e suas memórias foram manipuladas. Hachi é apenas um espectador que ao que parece nunca tocou no assunto e simplesmente deixou as coisas rolarem. E seja para o bem ou para o mal, tanto Nana quanto Kokoro parecem estar se lembrando daquilo que jamais deveria ter sido apagado de suas memórias e eu me pergunto que tipo de situação isso pode nos levar (em relação a Nana principalmente). Também tivemos um pouco de 02 ouvindo novamente o urro da princesa urrossauro e tendo aquela assombração. Me pergunto se aquilo tudo teve ou terá algum propósito importante mais para frente.

Por fim mas não menos importante, tivemos mais detalhes sobre a situação num contexto geral. Uma grande batalha está para começar e parece que estamos cada vez mais perto de descobrir o que são essas entidades que conhecemos como conselho da APE e o pai. Nem todos eles têm corpos físicos e talvez nem sejam humanos de fato como já especulamos. A relação do Hiro e cia com a situação e com a organização também não é das melhores e sinceramente eu realmente espero uma fuga ou rebelião após ver a frase final do episódio onde há uma grande indignação por parte do grupo após ver o ocorrido com Kokoro e Mitsuru. E a aí fica a pergunta: quando essas crianças vão sair da gaiola e lutar contra isso tudo?

Foi um casamento bonito ao menos

  1. Este episódio de Darling foi bem melhor do que eu esperava.
    Começando pela preparação do casamento entre o Mitsuru e a Kokoro, eu fiquei surpreendido pela atitude do Futoshi, logo ele que supostamente amava a Kokoro (reforço o supostamente, pois para mim, o Futoshi tinha e tem uma fixação e não amor pela Kokoro) se prontificou a ser o padre (neste caso reverendo).
    Eu mesmo não gostando dos noivos, tenho que admitir que os dois estavam muito bonitos e felizes (felicidade que seria de pouca dura, como já era previsível).
    Passando à Ikuno, ela para mim, foi a personagem mais séria e integra no anime até agora. Desde do começo, que se desconfiava que a Ikuno fosse lésbica e nutria sentimentos pela Ichigo e neste episódio, a Ikuno sem papas na língua, disse o que sentia, sem rodeios e sem fitas e isso para mim foi um diferencial positivo. A Ikuno enquanto se declarava para a Ichigo, ela referiu o porquê de ter dado um tapa no líder dos Nine, sendo que ela mesma concordava com aquilo que o líder estava a falar sobre a Kokoro. Aquela explosão da Ikuno, foi o limite da mente dela, ela há muito que sabia, que para pilotar um Franxx seria necessário um casal constituído por um homem e uma mulher, mas ela ainda tinha um resquício de esperança (que é vã, mas é esperança). Eu nunca desgostei da Ichigo, mas ela foi muito simpática e confidente quando ouviu a declaração da Ikuno e a confortou, nessa parte o meu respeito pela personagem aumentou um pouco.
    Aquela parte do pesadelo da Zero Two, foi bem creepy e pode ser um presságio para o fim dela (aqueles fantasmas dos ex-companheiros da Zero Two, são um mau agoiro). Ainda na Zero Two, a luta dela contra os membros dos Nine, foi muito boa, pena é que os seus adversários não passassem de um bando de covardes.
    O tal de pai e aquele conselho de “gente estranha), não são boa rés, desde do começo que dava para notar que tanto o pai como o conselho em geral, são seres sem escrúpulos, manipuladores, cobardes e com este episódio tive a minha confirmação definitiva. Espero que o urrosauros (ou os verdadeiros humanos ultra-desenvolvidos), destruam os planos maléficos e asquerosos do pai e do seu conselho (a princesa dos Urrusauros em pessoa, devia destruir essa ralé).
    Antes de passar outra vez à Kokoro e ao Mitsuru, achei bem interessante aquele pequeno flashback sobre a Nana, e que o Hachi é o ultimate Watcher, ele na sua vida toda, não fez mais nada, do que observar os outros (espero que ele faça algo, para ajudar as crianças).
    Voltando à Kokoro e ao Mitsuru a forma como os dois foram levados à força do seu grupo, foi bem cobarde e mesquinha e acho que não foi só a memória que os dois tiveram alteradas. Acho que a Kokoro nunca chegará ao seu sonho de ser mãe (se os laboratórios do tal “Pai” pode modificar memórias, fazer uma esterilização e aborto na Kokoro, não parece descabido nem impossível). A parte as alianças, foi bem estranho, os lacaios do pai, deram-se ao trabalho de modificar as memórias dos dois e não retiraram as alianças, essa falha, deixou um cheiro de mistério no ar.
    Como sempre, mais um excelente artigo de Darling Kiraht.

    • Sinceramente eu quero acreditar que eles “erraram” e deixaram ela com a possibilidade de engravidar ainda. E sim, a interação entre Ikuno e Ichigo naquele momento foi algo bem interessante no que diz aos reais sentimentos e pensamentos da Ikuno e a resposta da Ichigo. Por fim eu gostaria que o Hachi e a Nana pudessem se juntar ao esquadrão deles e iniciassem uma rebelião/fuga

      • Mesmo com um possível auxílio do Hachi e da Nana numa rebelião ou fuga, as death flags só aumentam. O Hiro tem que começar uma rebelião de forma urgente, mesmo que ele não salve todos, ao menos a maioria. A Kokoro mesmo com a ideia de ter um filho, ainda é muito nova para tal. Ela até pode ter chegado aos finalmente com o Mitsuru, o “Pai” não iria permitir um fruto dessa relação (eu achei estranho, naquela parte em que a Kokoro se reencontra com os outros, já se tinham passado semanas, ela estava na mesma, não engordou nada e nem parecia ter enjoo, dando a entender, um possível aborto ou esterilização temporária (ou química).

      • Esperemos pelo próximo episódio, agora que o anime está a entrar na recta final, as coisas podem ficar mais dark.

  2. Não é novidade que a história desse anime é uma bagunça, mas esse episódio se superou. Mandaram a lógica pro escambau apenas por conveniência de roteiro. Como apagam a memória do casalzinho e deixam eles com o anel? Como devolvem os dois para o convívio do resto do esquadrão que está com suas memórias intactas. A intenção não era mantê-los sob controle? Então caralhos, por que não apagaram a memória de todos?! Alô, alô, lógica você tá aí?

    Infelizmente em Franxx história é só um detalhe. Desde o começo jogaram um monte de mistérios e deixaram o povo no escuro pra que ficasse imaginando teorias mirabolantes, mas no final provavelmente vão dar uma explicação estúpida tirada do orifício anal. Ao menos essa novelinha ainda tem personagens, é verdade que alguns são porcamente explorados, mas ainda conseguem criar empatia com o público. Então vamo embora torcer pro nosso shipp ter um final feliz, ou quem sabe disfarçar essa história fraca com um final bem triste.

Discussão