O anime continua na mesma pegada, agora começando um novo arco que promete ser centrado na família Tsukiyama, o que representa um certo alinhamento narrativo similar ao do mangá – um arco principal em três volumes e o segundo do quarto em diante –, a diferença é que no primeiro anime inverteram a ordem do arco da Hinami e do arco do Gourmet. Hinami essa que se encontra presa por ter ficado para trás para salvar seu Onii-chan e Gourmet que bem, é sobre ele que eu vou falar agora.

Sorriso para proteger: confere.

O Shu é um cara que tem bastante carisma e uma personalidade espalhafatosa, o que se deve muito a ele ter sido criado em berço de ouro, então não é estranho que um garoto que perdeu tudo passe a se apoiar nessa figura tão icônica, não é estranho que a admire e a torne o centro de suas atenções.

Na verdade, acho que as pessoas sempre procuram no que se agarrar; seja em um deus, em alguém ou quiçá em um anime. Acho que essa devoção exacerbada do Kanae deve ser justamente isso, seu desejo de entregar sua vida a alguém para dá-la propósito – se estou certo ou não o arco deve dizer.

E foi aí que o jovem Kanae selou o seu destino!

O que vemos a seguir, após essa longa introdução, é o Ayato louco para resgatar a Hinami – a cara de bad boy dele é só fachada, ele sempre quer proteger alguém – e o Shirazu reagindo de um modo até compreensível se pensarmos que ele não parece ter nenhum profundo desafeto com ghouls e quer a grana apenas para tratar a doença da irmã. Se ele e a Saiko tivessem um passado trágico envolvendo ghouls isso já deveria ter sido mostrado e, se não é esse o caso, eles devem lutar por outros motivos, o que acaba os tornando diferentes do Urie – que não sente o peso da vida de um ghoul por odiá-los.

Mesmo que seja a vida de um monstro, não é uma vida fácil de ser tirada…

Em seguida, vemos o Ayato lembrando do passado com uma cara de quem está preocupado com a Hinami – cujo aniversário foi no dia anterior ao que saiu esse episódio –, o que se ligou bem a cena em que o Haise aparece para interrogá-la na Cochlea e a entrega alguns livros como fazia enquanto Kaneki. Uma prova irrefutável de simpatia da parte dele e um empurrão para aguçar sua curiosidade.

Ela parece mais triste por não ser exatamente o Kaneki que está ali do que pela prisão em si.

Aos poucos estão preparando o terreno para questionamentos ainda mais profundos sobre quem ele é e a esperada volta do Kaneki. Por outro lado, nada mais natural que personagens ligados ao núcleo da família Tsukiyama aparecessem mais e isso justificou a cena de fuga da esperta Hori, além dela ter sido necessária para que o público entendesse que ela não é só uma viciada em adrenalina que não liga para sua vida, mas alguém que quer aproveitá-la e só calhou de querer fazer isso com um ghoul.

Acho legal ela ter um natural senso de auto-preservação, apesar de ser tão vida loka.

Como disse anteriormente, mesmo as cenas mais aleatórias, como a da padaria, podem ter utilidade mais para frente, então se vocês perceberam que a garota que trabalha lá é a Kosaka Yuriko, aquela amiga da Touka, vão sacar que ela pode ser usada para criar alguma situação com a Touka no futuro.

Tirando o alivio cômico proporcionado pela Saiko o que sobrou desse episódio foram duas cenas que também servem de preparação para o que deve ser o clímax do arco e desse primeiro cour do anime. Uma é o ataque dos investigadores aos coletores dos Tsukiyama, a outra é a ida do protagonista ao estúdio do Uta. Nem vou dizer se até nessas cenas têm coisa a mais porque poderia ser um spoiler, mas vocês concordam que é no mínimo estranho a personagem nova ser tão jovem e tão habilidosa?

A Matsumae é uma das minhas personagens favoritas da obra e é por isso que está aqui !

A abertura já deixou na cara que o Furuta não é flor que se cheire e na equipe dele ter uma moça tão excepcional, assim como esse grupo fazer parte de um grupo ainda maior encabeçado pelo Arima, é algo que pode significar conexões anda mais intrincadas nessa trama, as quais podem relevar alguns segredos da história de acordo com o seu desenvolvimento. Ainda é cedo para especular, já que não deram muito o que teorizar em cima, mas prestem atenção nos detalhes claros e nos subentendidos.

“Não precisam me agradecer pela cena de ação melhorzinha e por ser um colírio para os olhos.”

Nesse ponto da história não deve ser de interesse nem dos palhaços e nem do :re – se considerarmos o café como uma organização similar a Anteiku – que o Haise retome suas memórias, então o Uta ficar calado, apesar de conhecer até bem o homem a sua frente, foi a ação mais condizente. Está claro que os palhaços agem das sombras e têm interesse no Haise, mas nem o Uta parece saber para o que ou quando. Quanto ao :re, imagino que eles não querem bagunçar a mente do Haise/Kaneki, além da Touka acreditar que um dia ele que voltará para eles, para o que foi a Anteiku e hoje é o :re.

Como que ainda caem nesse lance do olho? Ele faz máscaras e ghouls usam máscaras, então…

Convenhamos que o Haise não deve querer mascaras de ghouls para uma festa a fantasia, né, então esperar uma operação de infiltração dos Quinx seria o certo. Já do lado do inimigo, o Shu pareceu ter recobrado seu bom-senso – dentro do que seria bom-senso para ele –, então a tendência é de que os Tsukiyama passem a agir – tendo ou não o aval do Shu, afinal, o Kanae tem bastante autoridade ali –, até porque um dos seus foi capturado e deve ser usado como isca para a colheita da Rosa. Aquele pombo com cara de monstro parece bem capaz de usar quaisquer meios para se dar bem, então é assim que devem levantar o palco para o próximo grande ato: investigadores versus clã Tsukiyama.

A CCG vai sair vitoriosa no final? Se sim, a que preço? As memórias do Haise enquanto Kaneki virão à tona? Se sim, a que preço? Vocês continuarão a ver o anime e a ler meus artigos? Se sim, a vontade!

Erga-se, sacuda as pétalas de rosas e dê uma pirueta porque você é fabuloso Gourmet!

Discussão