Bom dia!

Por que Joe luta, afinal? O que o motiva, qual a força motriz por trás de sua determinação em quebrar a cara dos outros no soco em um ringue, enquanto se arrisca a ter ele próprio a sua cara quebrada?

Ele é só um Zé Ninguém, um Average Joe – a inspiração de seu nome. No mundo em que vive, isso é o mesmo que ser um cachorro que revira o lixo para sobreviver – um vira lata. Ou Junk Dog, seu antigo pseudônimo profissional.

O que alguém como ele está tentando fazer ou provar? Com as cartas colocadas na mesa dessa forma a resposta parece fácil, mas…

Fujimaki trava sua luta suja fora do ringue

Joe quer provar para o mundo que mesmo alguém como ele é igual a qualquer outra pessoa. Ele não se rebaixa em gratidão ou reverência nem mesmo quando uma poderosa magnata como a Yukiko se oferece para lhe indenizar generosamente por um acidente, como visto no primeiro episódio. Ele sabe que está em um mundo completamente diferente, mas não aceita isso. A única coisa que ele tem a seu favor é sua habilidade no megalobox, por isso é tão importante para ele. Ele quer provar para os outros que ele está ali, junto com eles. Que ele existe. Que ele está vivo. E ele quer provar todas essas coisas para si mesmo também: eu estou aqui, eu existo, eu estou vivo.

Isso reflete a vida real. O esporte e a arte são muitas vezes as únicas portas de saída, as únicas vias rápidas para alguém que nasce em posição desfavorável escalar rapidamente as escadas sociais. No Brasil, o futebol sempre foi uma escolha popular. Nas artes, hoje o funk desponta como uma escolha preferencial. Mesmo a juventude da classe média talvez esteja um pouco desolada com suas opções de futuro e por isso hoje não são poucos que tentam ser youtubers ou gamers profissionais (especulação minha, sem nenhum dado que a embase).

Querer crescer e aparecer, se sentir especial, único, necessário, talvez seja uma etapa da formação de identidade de qualquer um. Eu próprio não tenho sonhos tão grandiosos, mas esse blog é parte da minha identidade, eu o criei, montei uma equipe, e com ela o trouxe até onde ele está e planejo cada passo em direção a onde eu quero ir. Um sonho. Sonhos são privilégios de quem pode sonhar? Quem está na base da pirâmide social não está tão preocupado em apenas sobreviver mais um dia (como o Nanbu) que sonhar se torna não apenas inútil, mas contraproducente? Caso em tela: o sonho do Joe pode matar ele, o Nanbu e o Sachio.

Joe perde a paciência com Nanbu por acreditar que seu treinador perdeu a fé nele

Mas quem é que decide quem tem o direito de sonhar e quem não tem? Esse é o motivo da fúria do Joe. Quem é que nesse mundo acha que tem o direito de dizer que ele não pode sonhar? A Yukiko? O Fujimaki? O Nanbu? A primeira não vai impedi-lo, mas o despreza. Ela não nega nada a ele, não diretamente, apenas acredita que ele não merece sequer esse tipo de consideração da parte dela. O Nanbu sabe que o Joe tem talento para realizar seu sonho, mas também conhece a dura realidade do mundo, e tenta se equilibrar nessa corda bamba. Ele não mata o sonho do Joe, mas vive tentando convencê-lo a fazer “desvios”. O Joe jogou na cara dele: Você não acredita em mim? O Nanbu acredita nele. Entende como o Nanbu se sente? Como o Joe se sente? O Fujimaki não se importa com ninguém. Ele lucra devorando o sonho dos outros, é isso que ele faz para viver.

Do outro lado, há o Yuri. Joe e Mikio já sugeriram que ele foi “domesticado” pela Yukiko, e provavelmente muitos outros devem pensar isso. A personalidade dele não ajuda, né? Mas parece que ele é apenas alguém já plenamente realizado e que hoje vive pelo sonho daquela que tornou possível o seu sonho. Ele luta pela Yukiko, só isso. O que não significa que sua chama, seu desejo de lutar, qualquer que tenha sido o sonho que o compeliu a isso, tenha se extinguido. Ele apenas está no topo e não há nada que o abale – é por isso que o Joe o excita.

Joe é revoltado, agressivo, arrisca sua vida, precisa provar algo. Yuri tem apenas gratidão. Descobrir a motivação do campeão fez Joe pensar na sua própria motivação: em algum momento ele já demonstrou gratidão ao Nanbu? Eu não sei bem ao certo como começou a relação entre os dois, mas apesar de tudo o treinador ensinou a ele tudo o que ele sabe. Ele chegou até onde chegou graças aos seus punhos e ao seu talento, sim, mas também graças à habilidade do Nanbu em ensinar-lhe como usar isso. É justo que ele se enfureça contra o Nanbu? Ele sempre soube das circunstâncias em que os dois vivem. No final das contas, os dois estão vivos, e para conseguir qualquer coisa, até mesmo para sonhar, precisam sobreviver. Como sobreviver ao ultimato do chefão mafioso sem desistir de seus sonhos?

Nanbu é muito bem intencionado, mas seus métodos são péssimos. Ainda bem que nunca teve filhos, aparentemente…

Em meio a tudo isso a motivação do Sachio chama atenção: ele só quer se vingar. Não no mau sentido da palavra, ele não quer prejudicar ninguém, ele quer derrotar a Shirato em um jogo justo e honesto, porque no passado foram desonestos com seu pai e destruíram sua família. Sua história quase não cabe em um conto sobre sonhos e realidade, mas a realidade é tão dura e amarga que faz sim todo o sentido que ele esteja ali para mostrar para nós e para o Joe que as coisas sempre podem ser muito piores.

E aí, em quem apostar na próxima luta?

  1. E aí peoples!!!
    Gente depois dessa avalanche emocional do ep e da resenha só tenho a dizer: anime bom é isso aí! Perguntas, perguntas e mais perguntas….
    Os vira latas nesse nunca tem vida fácil, mas não se esqueçam “Deus aperta, mas não afoga!”…

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Gostei bastante desse episódio. Da sensação de desespero que ele dá, de como ele mostra os heróis completamente encurralados. Perto disso, a luta final contra o Yuri foi fichinha mesmo =P

      Obrigado pela visita e pelo comentário!!

Discussão