A inserção da personagem Kokoro e sua relação com Pikari trouxe uma enorme polêmica a Amanchu! Uma polêmica importada do mangá (já que, apesar de boa parte dos animes que é adaptação se manter bem ou mal fiel a sua origem, pode acontecer dos autores/produtores tomarem certa liberdade com o texto) que levou muitos espectadores a abandonarem a série e taxarem a autora Kozue Amano de homofóbica, seja pela introdução de uma personagem masculina impossibilitando uma declaração de amor entre as protagonistas, seja pela suposta indignação dela ao saber que o público compreendia (e assumiu) que a obra apresentava um subtexto yuri.

As polêmicas dizem respeito a presença de Kokoro como interesse romântico de Pikari ser intencional para por fim às especulações sobre as garotas e a diferença de idade entre Pikari e Kokoro, 16 e 14 anos, respectivamente. Dito isto, o episódio 11 de Amanchu! Advance destaca-se pela beleza de algumas sequências, porém evidencia os problemas desta segunda temporada.

A revelação de que Kokoro é um garoto não surpreendeu quem acompanha o mangá ou acabou pegando spoiler em sites estrangeiros (parece-me que tal polêmica não está sendo debatida pelos fãs brasileiros). No episódio, Kokoro é bem ativo. No início, participa do aniversário de Pikari, que, com gripe, não vai à aula. Nessa passagem, antes da comemoração, Kokoro encontra Teko, que é eleita a representante oficial do grupo de amigos para visitar a aniversariante doente. Obviamente, há um clima de rivalidade entre o menino e Futaba. Com Kokoro, chamando-a a todo instante de inimiga. Mas, pelo bem de Pikari, decidem efetivar uma trégua e compram um bolo juntos.

Pikari chorando de felicidade ao reconhecer que está cercada por muito amor.

No aniversário, toda a família de Pikari está presente, até os pais e irmão, que fazem a primeira aparição no anime. Kokoro não tem coragem de pedir a Pikari que compareça ao Festival da Queima do Monte Oomuru. Mas Teko percebe que o garoto tinha um desejo a manifestar e o interpela a respeito. Um mês depois, Teko, Pikari, os irmãos Ninomiya e Matori-sensei seguem para o festival.

Pikari completa 16 anos: um festival de bolos.

Teko passa a reconhecer Kokoro como alguém parecido com ela, que tem uma imensa afeição por Pikari. Por isso ela organiza a ida do grupo ao Festival. E muitas surpresas ocorrem durante o evento. A primeira delas é o encontro com Kodama e uma amiga, Kotori (irmã de Kokoro). A menina é a mesma do episódio 4, o inaugural em relação ao surgimento do fantástico em Amanchu!, que compartilha um sonho com Teko, que a reconhece. Kotori, por sua vez, parece ter a impressão de lembrar de algo a respeito do Vale das Cerejeiras e da bela garota ao seu lado, mas não declara ter se recordado do acontecimento.

Em seguida, Kokoro ajuda Teko, que havia se perdido do grupo ao ser envolvida por uma nuvem de fumaça. É então que ela percebe que Kokoro é um menino. Para todos, Kokoro era uma tomboy, com uma preferência pelo universo masculino. Há todo instante, alguém se referia a Kokoro como menina, destacando a sua fofura (até fantasia de gatinha no Halloween, ele chegou a usar por insistência de Kotori). O que chama a atenção é que Kokoro não reclamou do modo como o tratavam em nenhum momento. Pelo menos, não com determinação. É natural que alguém que, como Kokoro, tem necessidade de afirmar sua masculinidade, sinta-se no dever de desfazer qualquer atravessamento na informação. Obviamente, houve ruídos na comunicação para o equívoco se estender. De qualquer modo, o engano é desfeito neste episódio 11.

Teko organiza a ida ao Monte Oomuru. Mais um passo para se tornar também uma profissional da diversão.

É daí que surge a polêmica, com uma frase de Teko, que, com a revelação do sexo e orientação de Kokoro, afirma que o sentimento do garoto e o dela são diferentes, justamente porque ele é homem. Se Teko e Pikari são amigas e não há nada de romântico entre elas, a intimidade e alguns momentos de flerte/confissão entre elas, seguidos de “rostos envergonhados”, podem ter produzido a suspeita, logo, o shipp em torno das garotas como um casal ganhou força. Expectativa e realidade entram em choque. Pode-se argumentar que os produtores de Amanchu! deram asas a imaginação de uma parte do público que acompanha séries que contenham relacionamento (ou interesse) entre garotas de modo aberto, implícito ou, ainda, apenas insinuações.

Além disso, Kokoro compreendia Teko como uma rival ao coração de Pikari. Como ele tem 12 anos, é possível que aos seus olhos pareça natural competir com quem esteja mais próximo a pessoa por quem se é apaixonado. No entanto, Futaba também se comportava como se estivesse em uma disputa com Kokoro. Agora, se o duelo, para Teko, era pelo posto de amiga número 1, uma rivalidade entre meninas e certo egoísmo de Teko a guiavam. A garota já se mostrou ciumenta, mas o entendimento de que Pikari é uma jovem mulher de quem os outros gostam facilmente, sempre a tranquilizou.

Pikari sendo Pikari. Kotori estranha o jeito impulsivo da irmã de Kodama.

Para completar a controvérsia, Teko afirma que irá torcer por Kokoro. É absolutamente normal um menino de 12 anos se apaixonar por uma garota de 16, é algo da vida admirar a beleza, a experiência e inteligência de uma pessoa. O problema é a melhor amiga dela incentivar a criança a se manter firme em seu sentimento e apoiar sua confissão.

A transformação de Kokoro é impressionante, quase não é mais possível ver a fofura que gerou a confusão. Mais tarde, Teko e Pikari participam de uma queimada e quase sofrem um acidente, salvas por Kokoro, finalmente é revelado a Pikari que a sua amiga adorável, na verdade, é um garoto. A chance de Kokoro para surgir destemido e seguro, dando a conhecer sua masculinidade, é concretizada. Um pouco de falta de imaginação dos roteiristas, já que a situação é previsível. Entretanto, a oportunidade perfeita para dirimir incertezas sobre a sua sexualidade.

Kotori já compartilhou um sonho com Teko, e, ao conhecê-la, encanta-se de imediato. Mais subtexto…

O espanto do resto do elenco com a descoberta repentina é um dos melhores momentos do episódio. Principalmente Ai, hilária com o choque e seu inconformismo por não haver notado. Quanto à Pikari, a novidade não causa sobressaltos, apenas a necessidade de se acostumar com uma realidade. Contudo, Kokoro é alguém especial para ela, mesmo que, anteriormente,  se tratasse de uma menina.

Duas questões podem ser levantadas: Amanchu!, a série, não seu material de origem, criou o ambiente para que o realismo fantástico ou uma personagem masculina surgissem e se estabelecessem na “trama”? Fica a sensação de que se perdeu tempo a respeito dos avanços de Teko com o mergulho e de sua busca pela autoafirmação ao mesmo tempo em que aproveita toda a diversão ao lado de Pikari.

De qualquer modo, o que movimenta o anime permanece intacto, a amizade entre Teko e Pikari, a parceria delas que, no último episódio, estará voltada a conquista de Futaba Ooki de sua permissão avançada para mergulho.

Discussão