Não poderia haver episódio menos pior para o anime entrar em hiato por causa do maldito do coronavírus. Eu sei que o episódio foi bem legal, até mesmo empolgante, mas é assim em praticamente todo episódio de Major 2nd, então não tinha como parar sem deixar o público sofrendo com gostinho de quero mais, né.

O anime vai me fazer muita falta, mas se tudo der certo não deve demorar muito a voltar. Primeiro vem a saúde, regra máxima nos esportes, não é mesmo? É hora de Major 2nd no Anime21!

Você já deve ter lido a clássica frase de Shakespeare em que ele fala da grandeza e o Daigo é um caso muito peculiar de alguém que você pode supor que nasceu grande, mas na verdade precisou alcançar a grandeza por si próprio e sem exatamente buscá-la foi imposto a ela em uma para lá de situação atípica, para não dizer forçada, mas isso achei irrelevante.

O episódio confirmou o que escrevo ao combinar a razão e a emoção de maneira excelente. Não foi um sim após um convite inesperado, foi um sim após muita reflexão, aconselhamento e literal preparação. Daigo ama basebol e parece já ter superado, ao menos em grande parte, seu complexo de inferioridade em relação ao pai, então o que sobra?

Um garoto que não é dos mais talentosos, mas com certeza é dos mais esforçados, e tem um histórico extenso de desistência. Quando mais novo o Daigo costumava fugir quando a coisa apertava, quando as coisas não saiam como ele queria, mas é sua capacidade de mudar de ideia e sua perseverança que o levam a insistir quando muitos teriam desistido.

É aí que eu vejo como o Daigo é grande, como ele constrói sua própria grandeza, seu próprio caminho, que em muitos pontos pode se assemelhar ao de seu pai (figura super carismática e muito bem aproveitada sempre que dá as caras), mas em tantos outros se distancia e explora coisas novas (ou que ao menos eu acredito que sejam) e interessantes a série.

Contudo, ele também é apenas um garoto com suas aspirações dentro do esporte e muita lenha para queimar, muito a aprender. Nunca pensei que ele havia aceitado a grandeza sem pestanejar, já esperava que mostrassem sua trajetória para uma posição de liderança. Só esperava ver isso intercalado ao jogo, mas foi melhor ter um episódio exclusivo.

Foi coincidência, mas uma menos pior, porque é sempre ruim que não tenha Major 2nd, só que se já tivesse começado a partida e a transmissão fosse interrompida seria ainda mais torturante esperar semanas por mais.

Enfim, o importante é que mais uma vez o autor foi muito feliz na forma como nos apresenta a história do Daigo, trabalhando seus méritos sem ignorar seus percalços, mostrando como ele é uma pessoa falha, egoísta e ignorante sobre sua condição e possibilidades, mas também disposto a ouvir conselhos, aprender com quem sabe mais mais e se desafiar.

Tudo isso com um pano de fundo lógico, ainda que muito embasado na emoção, porque por mais que a ideia de derrotar grandes times com um time moldado do zero inflame o ego, também agrega experiência enquanto praticante do esporte. Ao mesmo tempo em que o Daigo ensina se duvidar ele está aprendendo mais que qualquer outra coisa.

Inclusive, eu vejo o Daigo como um atleta “camaleão,” que se adapta as situações que se apresentam a ele e cresce com elas, ainda que em um primeiro momento ele não encare dessa forma por falta de compreensão do todo que o cerca. O que é normal, ele amadureceu, mas só envelheceu alguns anos, sua estrada ainda é longa até virar profissional.

Imagino que Major 2nd se estenda a perder de vista com esse objetivo no horizonte. Seria fantástico ver o Daigo e o Hikaru repetindo a bateria em grandes conquistas profissionais. Na verdade, não seria, será, porque eu tenho certeza de que vai acontecer!

Enfim, esse episódio foi certeiro no fanservice (com direito até a aparição do auxiliar dos Dolphins, inusitadamente pai da Chisato, e do tio do Daigo, que ainda não havia aparecido no 2nd), os personagens antigos foram usados para guiar o Daigo até sua resposta positiva. Só o pai da Chisato que apareceu de brinde mesmo.

A experiência que o Daigo viveu ao ser indicado para um cargo de liderança, ter recusado, mudado de ideia e também treinado foram etapas importantes em seu desenvolvimento como atleta, mas também como pessoa, afinal, o Daigo aprendeu que tem horas na vida em que a pessoa precisa tomar a dianteira ou deixará uma oportunidade passar.

Poder criar um time do zero é um presente, ele pode ter trilhado um caminho diferente do pai até essa possibilidade, mas tenho certeza que irá aproveitá-la assim como ele fez.

Inclusive, artigo passado comentei que já via nele todas as características de um bom líder, de alguém capaz de trabalhar com o basebol em todos os aspectos, até mesmo quebrando galho como técnico.

Então, o que nos resta é apreciar esse quarto episódio e suportar a dor que é não ter o quinto logo (com as garotas dando strike na cara da sociedade), tendo a certeza de que o Daigo é o construtor de sua própria grandeza.

Ele não é perfeito, muito longe disso, mas é exatamente por ser essa figura propensa a vacilar e então se reerguer que acho o personagem tão admirável, tão apaixonante.

Até a próxima!

#FicaEmCasa

  1. Avatar

    Também vou sentir falta de segunda temporada de “Major 2nd” e que episódio foi esse?! Amei muito ver o pessoal antigo, o Taiga já tinha pensado que era ele na prévia, que bom que acertei em cheio e ver que a Chisato é a filha do Fuji foi bacana. Até rever o Goro e o Sato só deu saudades, só faltou a produção colocar a “Kokoro E” pra ficar perfeito.

    Esta temporada tá indo muito bem, tô amando a maneira que estão progredindo a trama e seus personagens; a animação deu um up maravilhoso e os personagens tão um amorzinho. Só queria ter visto a cara do antigo técnico, aquele senhorzinho merece todo nosso respeito. Agora, é esperar que retornem e dão o ar da graça. Parou no melhor momento, isso sim. Se tem algo que “Major” é bom é jamais abandonar os personagens antigos, nos dando mostras de seus progressos como pessoas, tá de igual com “Detective Conan” neste aspecto.

  2. Kakeru17

    Verdade, Major 2nd 2 parou logo quando estava pra ficar ainda melhor, quando estava pra começar uma partida de torneio. Parece que no Japão já estão pensando em relaxar o isolamento, então com sorte (e claro, responsabilidade) o anime volta antes mesmo da próxima temporada. Se tivesse mais tempo nessa quarentena pararia pra ver Major, não devo conseguir, mas vou me programar pra fazer isso em um futuro próximo e com certeza pensando em resenhar suas inúmeras temporadas aqui no blog. Obrigado pelo comentário!

Comentários