Estava descontente até a metade desse episódio, no fim já estava querendo chorar e é com esse vendaval de emoções que a gente viu o mundo do nosso herói, Daigo, desmoronar. É hora de Major 2nd no Anime21!

O choque de realidade do Daigo ao saber que estava ganhando dos reservas da Tsujidou é o tipo de coisa que desencadeia um desequilíbrio emocional em um time, porque ainda que só ele soubesse disso, a clara mudança no desempenho do time rola pouco depois. Também dá para atribuir a uma “acomodação” com o desempenho e o resultado, o que é compreensível se pensarmos em como a partida parecia encaminhada.

Até que o time titular pede passagem e aí vem o vai e vem entre parar ou continuar a partida, escancarando a diferença de moral; e técnica, como esperado; entre os reservas e os titulares. Algo que me parece claro é como o preconceito do treinador substituto o leva a dar a vantagem de 10 pontos. Fosse um time cheio de garotos, por mais ruins que pudessem ser, ele não teria dado tamanha vantagem.

Existe um “abismo” de preconceito que o anime não esconde, pelo contrário, mas parece menor dado o espaço conquistado pelas garotas. Abordarão mais disso na terceira temporada vindoura? Creio que sim, afinal, a Fuurin surpreenderá os preconceituosos ao pelo menos disputar a final de um grande torneio. Aí quero ver eles menosprezarem!

Enfim, as circunstâncias do time da Tsujidou acabam sendo mostradas na primeira metade do episódio e a equipe volta ao “páreo” enquanto isso, ainda que com os reservas. A troca deles pelos titulares é tão, mas é tão caricata que me incomoda de verdade. Major 2nd em alguns momentos desse arco acaba parecendo o anime esportivo médio que a série obviamente não é, pois trabalha bem melhor com “extremos” do que faz nessa reta final de temporada.

Há diferenças entre os personagens dentro e fora de campo, mas a maneira como isso está sendo trabalhado nesse jogo é muito boba, algo que até destoa um pouco do plot twist, do baque mais forte que o protagonista sofreu até aqui. Felizmente, a segunda parte elevou o nível outra vez.

Em escala menor, a Mutsuko também recebeu o seu próprio baque ao não conseguir mais ajudar a equipe com seus arremessos. Adoro a Mutsuko e torço para que ela amadureça ainda mais como personagem, e não só isso, também evolua como jogadora.

Ela está no mesmo nível dos companheiros, mas para ajudar, ainda que não siga como ás do time, espero que seu potencial como jogadora seja ainda mais “explorado”. Será decepcionante (para não dizer coisa pior) se as garotas não brilharem na terceira temporada, é óbvio.

Ao menos a saída dela deu lugar a ira do Nishina pela “traição” daquele que seria o técnico da Fuurin, mas é injusto julgá-lo sem saber da história toda, então nem vou focar nisso, no máximo acho que dá para supor a superioridade da Fuurin se ele fosse o técnico, pois é passada a impressão que ele é bom, não à toa tem o moral que tem.

O que também podemos ver na forma como lida com o Mário, que é filho dele (entendi bem ou não?), mas não recebe privilégios, pelo contrário, é deixado a própria sorte para sacar (é isso, né?) o que faz de errado. Pelo que entendi não é só culpa dele, o receptor não o acompanha, mas é perceptível que ele não tem psicológico forte para lidar com o problema.

Aí surge o receptor titular e junto com ele o plot twist, a volta do Hikaru assim do nada, que pela voz eu não reconheci. Agradou você? Eu curto a ideia de vê-lo de novo, porém, me incomoda muito ser dessa maneira.

Sei que isso é recorrente em animes e mangás, mas não é meio cruel o Daigo não saber que o Hikaru não se curou? Mesmo que japoneses sejam reservados e tudo mais, será que os pais dos dois nunca tocaram no assunto?

Até imagino o Goro omitindo isso para o Daigo não desanimar em sua caminhada, mas ele se informar sobre a vida de seu grande parceiro não era algo razoável mesmo se não for a cultura do japonês manter contato nesses casos? Talvez o Hikaru tenha pedido para omitirem do Daigo? Isso seria razoável…

Em todo caso, não é novidade que as coisas ocorram dessa forma vista a predileção do Takuya por investir no drama e em viradas fortes, tudo o que essa foi, de fato a mais importante da temporada, porque dá uma abertura para que o Daigo questione seus esforços a fim de receptar para o parceiro de novo.

Isso significa que ele vai desanimar e abandonar tudo? É óbvio que não, mas se não der mesmo para reverter a situação do Hikaru? O Daigo vai deixar de receptar para virar o arremessador que nunca achou que conseguiria ser? Não seria só andar em círculos se terminasse assim?

Tal desenrolar seria extremamente decepcionante e o problema do Hikaru ser revertido seria clichê, então acho que ficamos entre a cruz e a espada, não vai ter jeito, algo de bom deve se perder a partir disso…

Mas também não é só desgraça, afinal, essa revalação vai naturalmente tornar esse reta final mais interessante, além de ser um potencial divisor de águas entre essa ideia idealizada que o Daigo tinha de seu caminho no basebol e do que a realidade pode lhe prover.

Só não gosto da maneira abrupta como apresentam a coisa, esse desenrolar em si era possível e, claro, mesmo o clichê que seria o Hikaru voltar a arremessar tem um potencial interessante caso bem trabalhado. Como é de Major 2nd que estamos falando, sei que eu posso esperar o melhor, claro, com esse dramão de sempre.

Até a próxima!

  1. Avatar

    Não foi o único a achar estranho o Hikaru, pois ele está mais parecido com o pai em termos de aparência e no uso da cabeça para planejar as jogadas; o ditado “tal pai, tal filho” funcionando por aqui. Sobre o fato dele ter arrebentado o ombro e não poder mais arremessar, é bem semelhante ao que houve com o Goro em “Major”, com uma diferença: o apoio do padrasto foi muito importante para Goro dar a volta por cima e voltar a arremessar como canhoto, demonstrando o estilo teimoso do protagonista. Não sei se no caso do Hikaru faça isso, de arremessar desta forma, estamos tão próximos do final da temporada…

    Provável que o Fuurin acabe perdendo ou empate, de toda maneira, o time mostrou que quer lutar nas partidas até o fim e espero que venha uma terceira temporada; material para adaptar penso que já tenham, só no final saberemos. A ideia do Fuurin ter enfrentado o time reserva mostra tanto desconfiança quanto um desafio para os reservas mostrarem do que são capazes e surpresa do técnico quase ter entrado pro Fuurin, isso pouparia muito pro Daigo, pena… Só queria ter visto o técnico anterior do Fuurin, saber se é um personagem vindo de “Major” ou não.

    • Kakeru17

      Uma saída mais alternativa no caso do Hikaru seria bem-vinda, porque seria muito decepcionante o Daigo não poder mais receptar para ele, meio que jogaria fora toda a construção do personagem que foi na contramão do pai se falarmos de posição, né. Mas claro, é ótimo ver o Hikaru, espero que ele seja uma figura recorrente na terceira temporada (que um dia vai sair, tenho fé), tem que ser, ainda mais após o que ele revela para o Daigo.
      Como me parece que em Major tudo é mais difícil aceito de bom grado a Fuurin não ter tido técnico até pelo que isso fez o Daigo crescer como jogador, uma enormidade, tanto é que agora tenho a forte impressão de que ele não vai mais ficar tão deprimido e fugir do esporte mesmo sabendo que (ao menos até segunda ordem) não vai mais poder receptar para o amigo. A terceira temporada promete demais, espero que venha e não demore.
      Ademais, agradeço o comentário e vamos ver como encerram a temporada nos dois episódios restantes.

Comentários