A terceira temporada de Dungeon finalmente chegou ao fim! Talvez esse não seja o melhor encerramento que todos estavam esperando, deixando um sabor agridoce no ar, mas ainda assim é otimista e manteve o nível do que foi mostrado até aqui. Pode não ser perfeito, mas ainda conta com seus méritos.

No episódio 11, confesso que esperava mais do primeiro encontro entre Tiona e Wiene. Achei que aconteceria alguma batalha entre as duas já que o episódio anterior trouxe esse clímax de que algo ruim aconteceria, mas o conflito foi resolvido muito rápido. Felizmente, logo em seguida Tiona testemunhou a vouivre fazendo uma boa ação, lidando com a situação de forma mais satisfatória.

Outro ponto que me incomodou é a economia de batalhas que poderiam ser muito boas. Por exemplo, logo no começo do episódio Haruhime e Aisha se reencontraram, e ainda rolou um boost para derrotar Bete, mas no fim nem vimos esse confronto. O mesmo aconteceu entre Ais vs Ryu. Ainda bem que pelo menos vimos a luta entre Bell e Ais, que mostrou os dois no mesmo nível.

O momento mais marcante desse episódio foi Wiene e Bell tentando convencer Ais de que ela não é um monstro. Quero dizer, ela é, mas não é má como os outros. Além de Bell dizendo que, assim como os Xenos, ele e Ais também matam pessoas, o que me quebrou foi ver Wiene arrancando suas unhas e sua asa depois da Princesa da Espada dizer que elas machucam e assustam pessoas.

Cá entre nós, ela não precisava arrancar a unha desse jeito, né?

Mais para o fim do episódio, voltamos a ter uma certa pressa em contar a história, onde é dito que os Xenos possuem uma chave para Knossos, dada por Asterius, e Haruhime os encontrou, mas, até onde me lembro, isso não foi mostrado.

E o penúltimo episódio terminou com uma reviravolta um pouco “bait”, assim como aconteceu no anterior. Parecia que Hermes ia se revelar o grande vilão da temporada e queria matar os Xenos, mas se justificou como um plano para tornar Bell um herói, recuperando sua reputação.

Pra falar a verdade, essa ideia não foi muito inteligente e era bem arriscada, já que colocou os Xenos, que já estavam praticamente livres, em perigo novamente. Aliás, ele não podia ter combinado esse plano direito, já que tudo não passava de um “teatro”? Felizmente, Freya apareceu com uma ideia melhor, colocando Bell para enfrentar Asterius. Quem diria.

De acordo com o que foi mostrado nesse último episódio, Asterius é mesmo o minotauro que Bell enfrentou lá na primeira temporada e, de alguma forma, reencarnou como um Xenos (?). Isso pode acontecer com outros Xenos também? É assim que eles são criados?

A ideia do monstro ter sua revanche contra Bell foi muito boa, assim como a batalha em si. Curiosamente, desta vez nosso protagonista perdeu, justificando todo esse tempo que Asterius treinou, fazendo com que Bell deseje se tornar ainda mais forte. Aparentemente, retomando seu treino com Ais.

O final teve um sabor agridoce por essa derrota, pelo fato dos Xenos ainda não poderem conviver com os humanos e não termos uma explicação definitiva sobre a origem desses monstros. Além disso, o mérito pelo desaparecimento dos monstros foi para a Família Loki e senti que tudo foi resolvido de forma muito simples.

Mesmo com o fim da temporada, ainda fica a sensação de que não é exatamente um encerramento. Apesar de não estar confirmada, é esperado que as perguntas que ficaram em aberto sejam respondidas em uma possível quarta temporada, pois ainda há muita história pela frente.

  1. Avatar

    Espero muito que tenhamos realmente uma quarta temporada. Foi épico ver a batalha do Bell contra o minotauro novamente, e também, ver que ele voltou a ser um herói para todos que vivem em Orário.

    Muito animês bons chegando ao fim da temporada com uma sensação de que será a última, e isso me deixa um pouco triste.

Comentários