Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Eu achei que esse episódio fosse focar na performance ao piano de Kousei, mas que nada. Ele até começa a tocar, mas o episódio é todo entrecortado por flashbacks de quando ele era uma criança maltratada pela mãe. Se o anime ainda oferecesse uma crítica contundente aos maus-tratos contra crianças, vá lá, mas nós sabemos que ele está fazendo isso só para aumentar os pontos de drama. E o pior é que quase nada é novidade. Na verdade, há apenas uma novidade, que reconheço, adiciona um pouco de profundidade ao personagem do Kousei, mas não era necessário um episódio inteiro para isso.

Curta o anime21 no facebook:

O problema essencialmente é: eu já sabia que ele era maltratado física e psicologicamente pela mãe. Assistir isso acontecer é só violência gratuita. E KimiUso é o último tipo de anime em que eu gostaria de ver violência gratuita. Várias vezes durante o episódio eu quis desviar o olhar porque não me agrada nada e não me agrega nada assistir o pobre Kousei criança sendo impiedosamente espancado pela mãe. E a palavra é espancado mesmo. Ele era literalmente coberto por contusões e era forçado a seguir uma rígida rotina de ensaios conduzidos por sua mãe. E qual o prêmio? Nenhum. Em nenhum momento sua mãe o elogiou por sua performance. E ela ainda o chantageava emocionalmente dizendo que melhoraria de saúde caso ele tocasse bem e ganhasse os concursos. Kousei era uma criança, então ele acreditou nisso sem contestar. Ela era a mãe dele, afinal, e o pai é ausente (tão ausente que em nove episódios nunca apareceu ou sequer participou da história). Kousei tinha apenas a mãe doente com ele que o maltratava para que ele aprendesse a tocar piano do jeito que ela queria para que, supostamente, ela melhorasse.

Exceto pelas cenas inéditas de violência, tudo o que descrevi no parágrafo anterior já era mais do que conhecido a essa altura da história. E até agora eu me perguntava como o Kousei pôde ter suportado isso por tanto tempo calado e como ele ainda poderia se considerar de alguma forma culpado pela morte da mãe. Quero dizer, quando a mãe dele morreu ele já tinha doze anos (ou algo próximo a isso), não faz sentido que com essa idade ele ainda acreditasse que seu bom resultado fosse suficiente para sua mãe melhorar. Então faltava essa parte da história, e depois de muito espancamento de criancinha indefesa veio a única coisa útil desse episódio: Kousei reagiu sim. Sua mãe o espancou em público (adicionalmente, isso ajuda a entender porque havia tanta fofoca sobre ele e sua mãe) depois dele ficar mais uma vez em primeiro lugar em uma etapa preliminar de um concurso qualquer, porque ele teria errado uma nota ou outra. Kousei ficou bravo, jogou a partitura na mãe e colocou para fora palavras que ele provavelmente vinha guardando há anos. Aí ocorre a tragédia conveniente desse anime apelativo: essa foi a última conversa que teve com a mãe. Ela seria internada logo depois e morreria.

Agora é muito mais fácil de entender o Kousei. Ele não ficou traumatizado achando que matou a mãe, ao invés, ele ficou profundamente pesaroso por sua última conversa com sua mãe ter sido uma briga. Isso é compreensível, compreensível até demais. Por mais abusiva que fosse sua mãe, me parece que ele não tinha nenhum outro parente com quem contar e seus amigos mais próximos ou não sabiam o que acontecia ou fingiam não ver. Acho difícil que suas famílias pelo menos não entendessem o que estava acontecendo, e caramba, entendo que seja difícil se intrometer na vida de outras famílias, mas não estamos falando de mãe e filho que simplesmente não se dão bem, o caso é de graves abusos cometidos contra uma criança! Qualquer adulto que tivesse ciência do que acontecia mas não fez nada a respeito é cúmplice passivo de tudo o que foi inflingido em Kousei. Mas essa é uma história apelativa e esse tema será sumariamente ignorado. Esse episódio foi só para sabermos que o Kousei brigou com a mãe antes que ela morresse, e eu pergunto: por que só agora? Desde o primeiro episódio sabemos que ele foi vítima de abuso doméstico, isso foi dito e repetido várias vezes. Em qualquer uma dessas reprises do triste passado de Kousei essa informação poderia ter sido transmitida. Seguraram até esse episódio e o arruinaram com esses flashbacks.

Mas sabe o que é ainda pior? Kousei tocava para que sua mãe melhorasse. E agora ele toca para agradar uma garota bonitinha que ele conheceu na escola. Nos dois casos ele não toca por si mesmo, não há nada de particular que ele queira transmitir através de sua música. E a arte se trata em grande parte disso, transmitir algo de si próprio que de outra forma não seria possível ou não teria o mesmo efeito. Kousei não tem nada para transmitir, ele estava e está de novo tocando apenas para que alguém veja como ele toca bem e o aplauda e goste dele. Não é de se espantar que ele não consiga imprimir sua marca pessoal na música que toca. Ele não tem uma. E se as semelhanças entre a mãe do Kousei e a Kaori parassem por aí já seria ruim o bastante, mas vejamos: 1- Kaori também está doente, e 2- Kaori também maltrata Kousei. Ok, eu sei que não é o mesmo tipo de maus-tratos, mas ela vem maltratando ele desde o primeiro episódio. Física e psicologicamente. Apesar de tudo o que ele fez por sua mãe, quando ela morreu ele passou a nutrir um profundo sentimento de culpa dentro de si. Espero que essa parte pelo menos seja diferente, embora o Kousei já tenha se culpado pela Kaori ter sido desclassificada do seu concurso de violino. A culpa foi dele? Quem foi que forçou uma pessoa que há anos não tocava e que não queria tocar de novo o piano a participar da apresentação?

  1. Sua critica foi ótima, mas convenhamos que Kousei começou a literalmente enxergar um outro lado da música, O lado da inovação e transmissão de seus próprios sentimentos, sentimentos esses que serão mostrados no próximo episodio.. A Kaori foi responsável por aflorar isso dele….Ela já o conhecia e seu encontro com ele não foi por acaso.

    • Fábio Mexicano Godoy

      Ela já o conhecia? Isso talvez explique algumas coisas. Quando acontecer, falarei a respeito (mas evite spoilers, por favor, hehe). Eu ainda não sei se o Kousei está enxergando outro lado da música. Me parece que ele está se perguntando sobre o que seria fazer sua própria música, mas acho que ele ainda não entendeu o que é isso e muito menos enxergou. Mas estou de olho nesse fio de enredo também. Acho um pouco exagerado esperarmos que crianças de 14 anos (ou menos) tenham maturidade suficiente para abordar a música dessa forma, mas isso não me incomoda tanto assim. Nesse artigo em particular quis focar nos maus-tratos porque eles são proeminentes no episódio em questão e acho horrível a forma como o tema é tratado no anime.

      Mas a música de KimiUso é interessante, adorei todos os episódios musicais até agora. Eu pensei em comentar nesse artigo que Kousei só irá verdadeiramente superar seu trauma e começará a criar sua própria música quando ele colocar a raiva e a culpa que ele sente por causa de sua mãe em seu piano, mas evitei porque sei que pela forma que KimiUso trata os maus-tratos isso é pouco provável que aconteça, e também porque simplesmente não quis desviar demais o foco do artigo.

Comentários