7-Avós

Categorias como protagonista, vilão e par romântico já estão manjadas. Melhores e piores mães e pais também já são lugar comum. Mas você já viu uma lista de avós nos animes? Aposto que não. Vai ver agora!

E enquanto pesquisava para essa lista entendi porque provavelmente não existe outra lista sobre avós em animes por aí: é porque é muito raro animes que tenham avós mesmo. Faz sentido. A maioria dos animes já esconde os pais dos personagens, que dirá então dos pais dos pais dos personagens? Ou, no caso dessa lista, das mães dos pais dos personagens.

Mas elas existem. Eu não conheci muitas, e descobri que deixei de conhecer umas bastante famosas, mas todas dessa lista são de animes que eu assisti então eu sei do que estou falando quando elogio essas avós!

Curta o anime21 no facebook:

Ogen Iga, de Basilisk (2005)

Ogen Iga, de Basilisk

Ogen Iga, de Basilisk

Já começo a lista com polêmica. Como assim a Ogen pode ser considerada uma grande avó se ela acabou com a vida e o amor da sua neta Oboro ao prontamente ceder aos caprichos da vingança assim que a chance se apresentou? Ora, ela é muito mais complexa do que isso.

Ogen é uma mulher que teve a sua própria vida destroçada muito cedo por uma tragédia. Apaixonada pelo herdeiro do inimigo, seu casamento com Danjo Kouga deveria ter selado a paz entre os clãs de ninjas, mas o ódio que já há muito havia entre Kouga e Iga bem como os interesses do xogunato não permitiriam a ela ter essa felicidade. Envelheceu amarga e com sede de vingança. Era apenas o destino, raciocinou.

Mas nada disso a impediu de ter carinho pela neta Oboro e apoiar seu noivado com Gennosuke Kouga – mais uma vez uma Iga noivava um Kouga, repetindo sua própria história de décadas atrás. Ela genuinamente desejava a felicidade para a neta e a paz que se seguiria ao casamento. Só que mais uma vez poderes externos atuariam para tentar impedir isso. Ela lamenta do fundo do coração que sua neta tenha que passar por isso. No final, ela e Danjo se matam, ela derrama uma lágrima por ele, demonstrando que apesar de tudo ainda guardava sentimentos pelo Kouga e, em seu último suspiro, entendeu que não foi o destino que a separou de Danjo no passado: foi a falta de confiança mútua. Ela morre e nos deixa com esperança de que talvez Oboro e Gennosuke possam aprender a tempo o que ela e Danjo jamais conseguiram.

Cologne, de Ranma ½ (1989)

Cologne, de Ranma ½

Cologne, de Ranma ½

A bisavó da Shampoo não podia ficar de fora! Quero dizer, bisavós também são avós, não são? Líder da tribo das amazonas, deixou tudo para trás e viajou com a bisneta para o Japão atrás de Ranma, que pela tradição de sua tribo deveria se casar com Shampoo depois de tê-la derrotado. Apesar disso, Shampoo se apaixonou de verdade por Ranma, então Cologne não estava forçando sua bisneta a nada: a estava ajudando. E ela se esforçou bastante para tornar esse matrimônio em realidade!

Abriu uma casa de chá, ensinou técnicas marciais para o próprio Ranma e para várias outras pessoas, tinha um vasto conhecimento arcano, etc. Apesar da aparência, uma personagem forte e poderosa.

Martha, de Junketsu no Maria (2015)

Martha, de Junketsu no Maria

Martha, de Junketsu no Maria

O que dizer dessa personagem? Mãe do Superman, mãe do Batman, destaque da seleção brasileira de futebol. E mil desculpas por fazer essa piada que já está ficando batida, eu simplesmente não pude resistir.

O mundo de Junketsu no Maria está mudando. Há cada vez menos espaço para as antigas tradições, o que coloca antigos deuses, criaturas sobrenaturais e bruxas em uma situação difícil. Eles estão desaparecendo. As bruxas estão sendo caçadas. Por quê? Não há uma boa resposta. É apenas “porque sim”. Porque os novos valores não podem conviver com os antigos, provavelmente. E Deus e os anjos interferem diretamente também e o enredo do anime fica meio bagunçado, mas não é sobre isso que eu vim falar, né? Se quiser mais detalhes, eu escrevi sobre os episódios de Junketsu no Maria aqui no Anime21, é só ir lá dar uma lida!

O importante para esse artigo é a Martha. Ela conheceu a Maria quando a bruxa ainda era uma criança, e hoje, já com idade avançada, é graças aos remédios de Maria que ela mantém sua saúde. Compreensiva com as velhas tradições, crítica das novas, e um raio de esperança ao ensinar para sua neta que as bruxas e as antigas tradições não são malignas nem necessariamente incompatíveis com as novas. Um dos poucos personagens sábios do anime e uma das mais corajosas, apesar de sua frágil condição.

Hina Urashima, de Love Hina (2000)

Hina Urashima, de Love Hina

Hina Urashima, de Love Hina

Um dos meus animes preferidos de todos os tempos. Como assim? Bom, foi o primeiro que eu assisti já consciente de que era um anime, e sabendo o que são animes. É engraçado demais e acredito que faça muito bem aquilo que ele se propõe a fazer.

E tudo começou graças à vovó Hina. A sua ausência colocou em movimento todos os personagens do anime e foi responsável por tudo o que viria a acontecer dali por diante. Apesar de ser um capricho seu, ela estava bastante ciente do que estava fazendo com Keitaro, Naru e companhia. Depois de uma longa vida é compreensível que queiramos aproveitar da melhor forma possível o que nos resta ainda de tempo nesse mundo, não é? E Hina escolheu viajar o mundo deixando para seu neto sua pousada.

Ela ainda voltaria depois para colocar um pouco de ordem na bagunça que aquilo havia virado e para checar como estavam as coisas entre Keitaro e sua “garota da promessa” – uma avó sempre vai se preocupar com seus netos, não é?

Kino Kohinata, de Amanchu! (2016)

Kino Kohinata, de Amanchu!

Kino Kohinata, de Amanchu!

Esse ainda está em andamento, corre lá assistir e ler os meus artigos caso ainda não esteja fazendo isso! Ela não apareceu muito mas apareceu em uns poucos episódios e sempre demonstra sua sabedoria e lucidez, além de ser digna de respeito por ser uma pessoa ainda economicamente ativa mesmo em sua idade.

Mais do que isso podemos inferir por sua neta Hikari. A garota claramente tem suas preocupações e medos como qualquer menina normal de sua idade, mas raramente demonstra. Ao invés disso, está sempre animada e inquieta. E não há dúvida de que isso é influência de sua avó: a Hikari diz em um dos episódios que sempre se mantém animada porque Kino a ensinou que é melhor assim. Uma avó sem dúvida nenhuma admirável!

Sakae Jinnouchi, de Summer Wars (2009)

Sakae Jinnouchi, de Summer Wars

Sakae Jinnouchi, de Summer Wars

Se não quiser assistir qualquer outro dessa lista, assista pelo menos Summer Wars! Ele é muito bom como vários daqui, mas o motivo campeão é: Summer Wars é um filme, não uma série, então é algo rápido e fácil. E é um filme do grande Mamoru Hosoda, se não acredita na minha palavra quando eu digo que é bom, acredite na fama do diretor japonês.

Sakae é a matriarca de uma grande família e está completando 90 anos de idade. Sua neta Natsuki convida seu colega de escola Kenji para ir ao aniversário da avó … para apresentá-lo como seu noivo, detalhe devidamente omitido por ela ao fazer o convite. De uma família grande e tradicional, ela vinha se sentindo pressionada a ter um noivo, e só por isso o Kenji foi envolvido no meio da bagunça.

Mas a Sakae conseguiu enxergar através da mentira dos dois com seus 90 anos de experiência. E conseguiu enxergar através do coração de Kenji que ele gostava de verdade da Natsuki. Experiente, inteligente, organizada, líder sem par em momentos de necessidade. Esses adjetivos apenas começam a descrever Sakae Jinnouchi.

Sachiko Kawachi, de Usagi Drop (2011)

Sachiko Kawachi, de Usagi Drop

Sachiko Kawachi, de Usagi Drop

Se pai é quem cria, então avó é a mãe de quem cria, certo? Quando o avô de Daikichi morreu, a família descobriu uma “herança” inesperada: uma filha!? Rin, a garota que acabou de perder seu pai, está tão ou mais enlutada do que todos ali, mas ninguém quer se oferecer para cuidar da criança. Nem mesmo Sachiko, de quem Rin seria uma inesperada meia-irmã. Eis que seu filho mais novo, o solteirão Daikichi, dá um passo a frente e decide assumir a pequenina.

Justiça lhe seja feita, era mesmo uma decisão difícil. É fácil acusar todos ali que se recusaram a tomar a guarda de Rin, inclusive Sachiko, mas como você reagiria na mesma situação? E em favor de Sachiko resta ainda o fato de que foi seu filho quem se dispôs a ficar com a garota. De alguma forma isso tem a ver com ela, não tem? Ela que o criou, afinal, e portanto o influenciou enquanto construía seus valores pessoais que nesse momento o fizeram se responsabilizar por Rin.

E ela se preocupou com o filho e com a sua neta-meia-irmã-talvez. Depois que a situação se acalmou e a vida de Daikichi e Rin entrou nos eixos, Sachiko se tornou uma das avós mais corujas que já vi em todos os animes.

E para encerrar…

Dedico esse artigo à Maria Aparecida de Godoi, a minha avó, que nessa segunda-feira, dia 22 de agosto de 2016, transmitiu seu último episódio. Simples, bruta, rústica, ela não era mais forte, mais sábia ou mais adorável que nenhuma dessas avós. Não obstante, era melhor do que todas elas. Porque era a minha avó.

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Avós são, geralmente, de vital importância para a criação de personagens principais as quais não tem ou não puderam viver com seus pais. Outras vezes, são usadas como coadjuvantes femininos e, neste sentido, cito de maneira muito alegre o nome de Sui Shijima, a avó de Ohana, do anime Hanasaku Iroha.

    No entanto, muitas vezes, o nome de personagens com tamanha importância não chegam a ser nem citados, apesar de terem participações através de lembranças, como ocorre com a avó de Shiemi, do anime Ao no Exorcist.

    Apreciar a avó que você, pessoa que está me lendo, tem enquanto está viva, é algo de extrema importância. Não é errado dizer que à sua avó é ou era à melhor de todas, na verdade, isso é muito bom. Nem todos tem oportunidade de conhecer suas avós ou avôs.

    Não questionarei os personagens que citou, Fábio. Os que assistiram os animes e conheceram tais personagens sabem que foram ótimas escolhas. Aguardo uma lista sobre avôs de animes, se possível.
    No mais, ótimo post. Até!

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Há realmente poucas avós em animes e com frequência, quando existem, são personagens terciários, às vezes sem nome e, em alguns casos, como você citou, aparecem apenas em memórias. Procurei montar uma lista e avós que participam ativamente da história (ainda que algumas apenas em poucos momentos), com nome e sobrenome, e de animes que eu assisti. Sei que tem mais um punhado de avós famosas em animes que eu não assisti, as conheci enquanto pesquisava, mas no geral ainda são poucas.

      Avôs? Quem sabe um dia. Algo que percebi, contudo, é que parecem existir mais avôs do que avós em animes, hehe.

      Obrigado pela visita e pelo comentário =)

Deixe uma resposta