Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Depois de uma boa sequência de episódios, incluindo o incrível episódio 6, houve esse episódio. Me senti tão incomodado com esse quanto com o primeiro episódio, mas uma série de coisas tornam esse pior, na comparação: o primeiro eu ainda não tinha entendido a que havia vindo, ele foi duplo, então o tédio foi potencializado pelo tempo, e ele foi o primeiro episódio, de um jeito ou de outro era necessário fazer uma apresentação do cenário. Nesse episódio não aconteceu quase nada, não houve mensagem nenhuma, e a sensação de que tudo poderia ter sido mais rápido é inevitável em praticamente todas as cenas. Por quê esse episódio foi feito, afinal?


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


Resumo do episódio: o inverno começou, neva todos os dias e por isso ninguém está mais roubando nada (mas já não estavam roubando nada no episódio anterior, voltaram a roubar em algum momento não declarado entre os dois episódios?), todos os dias o que fazem é ir buscar água e escavar a neve para que ela não se acumule. Comida foi estocada. Não acho que seja necessário entrar em todos esses detalhes em um anime, mas se fazem questão, com certeza dá para transmitir tudo isso bem mais rápido. Boa parte do começo do episódio é dedicada a mostrar como está nevando todos os dias e como os ladrões estão entediados por não poderem roubar e terem que ficar removendo neve. Para aliviar um pouco o clima em dado momento eles começam uma guerra de bolas de neve. Vá lá. Mattis acha seu antigo par de esquis e dá para Ronja. Quero dizer, ele chama Ronja e gasta tempo em tela procurando os esquis, até finalmente encontrá-los e dar para Ronja. Desnecessário. Ronja se diverte à valer esquiando. É ainda menos divertido do que vê-la pulando pela floresta e correndo atrás de animaizinhos. No final, ela acaba prendendo o pé em uma toca de raízes embaixo de alguns centímetros de neve, e eu entendo que vê-la tentando repetidas vezes retirar o pé sem sucesso enquanto o tempo passa serve para transmitir o nervosismo da personagem, mas sinceramente acho que exageraram na dose. No começo eu fiquei preocupado, mas depois eu estava apenas entediado me perguntando quando é que iria aparecer o Mattis ou o Birk para salvá-la. O pior é que nenhum deles apareceu e o episódio termina com ela presa.

Sim, vamos ter um arco que se estende por dois episódios! Mas isso às custas de um episódio terrivelmente entediante. E não estou sendo pedante como fui com o primeiro episódio. Lá eu não havia entendido que era um anime infantil ainda, e por isso a construção de mundo foi mais longa e simplificada e exagerada e essas coisas todas que tornaram a estréia arrastada para quem está acostumado com séries curtas de 12 episódios. Sim, porque esse deve ser um dos problemas de Ronja: terá 26 episódios, daí que, suponho, na falta de conteúdo para tanto, o Goro Miyazaki opte por episódios lentos. Mas com ou sem motivo para isso, um episódio entediante é um episódio entediante é um episódio entediante. E nem uma mensagem esse episódio passou, o que poderia salvá-lo. A menos que a mensagem seja “não desça de esqui uma última vez, pare na penúltima”, ou ainda “não confie em gnomos”. Eu acho que deveria haver uma mensagem para os pais, algo como “não deixe seu filho pequeno que tem entre 4 e 6 anos esquiar sozinho sem a supervisão de um adulto, muito menos se o local for deserto e perigoso”, mas não é um anime para adultos, ou mais especificamente, não é um anime para pais, então compreendo que essa mensagem não esteja lá.

Apenas torço para que não seja assim até o final, com episódios horríveis intercalados no meio de sequências de bons episódios. Isso arruína a experiência como um todo. Episódios mais fracos às vezes são inevitáveis ou mesmo necessários para o enredo, e está aí Shingeki no Bahamut que não me deixa mentir. Compreendo que todos os episódios mais fracos de Bahamut (apenas dois, na minha opinião, ignorando o episódio de recapitulação) foram assim por necessidade do roteiro. Mas nenhuma necessidade de roteiro enseja um episódio horrível. Goro, o sexto episódio foi fantástico. Você pode fazer melhor que isso. Não estou pedindo para você ser o seu pai, você já disse que você não quer ou não pode e eu sei que mesmo se você pudesse seria um pedido egoísta de minha parte, mas eu estou vendo o que você vem fazendo até agora em Ronja e sei, simplesmente sei porque eu vi, que você é capaz de fazer o seu próprio bom trabalho. Eu tenho fé em você, Goro. Leitor, vamos ter fé no Goro? Porque só a fé para fazer eu continuar me importando com Ronja depois desse episódio. Já está melhor que Psycho-Pass 2, no Tow Ubukata já perdi a fé. Mas isso é tema para outro artigo.

Comentários