Nessas horas é sempre bom lembrar: ser diferente ou ser original não significa ser bom. As piores coisas que você puder pensar um dia já foram originais e diferentes também, antes de serem apenas coisas ruins e comuns. Dito isso, eu me diverti com o episódio. Na falta de explicação melhor para eu ter gostado, acho que gostei apenas porque é diferente. Sabe, quando você assiste vinte e dois animes toda semana e a maioria deles está cheio de ideias, personagens e cenários que você já viu um milhão de vezes, a diferença por si só é um atrativo.

Um polvo explodiu a Lua e promete explodir a Terra daqui a um ano. Ele é veloz demais então nenhuma arma ou exército humano jamais conseguiu ferí-lo. Por algum motivo (e temos um vislumbre dele, mas falo disso depois) ele decidiu entrar em contato com os líderes mundiais e fazer uma proposta: seria professor de uma turma de rejeitados do terceiro colegial específica no Japão durante um ano. E os alunos dessa sala deverão matá-lo se quiserem impedir que o mundo seja destruído. Isso certamente é uma semente de enredo original, não me recordo de já ter visto algo parecido. Não se fixe tanto na parte sobre polvo ou sala de aula, abstraia: vilão invencível que ameaça destruir o mundo oferece uma chance para que um grupo de pessoas absurdamente comuns o derrotem em um prazo específico e o impeçam. E dá para ficar mais genérico que isso também, mas mesmo assim por mais que eu esprema minha cachola não consigo pensar em nada semelhante. Você consegue? Comenta aí!

Mais tarde uma aluna da sala escolhida daria a esse novo professor o nome Koro, que ela extraiu de alguma parte da frase em japonês que significa “impossível de matar”. Koro é superveloz (atinge 20 vezes a velocidade do som). E controla as leis físicas também, pois faz isso em sala de aula sem causar um estampido sônico e uma onda de choque que certamente derrubaria todo mundo no chão, no mínimo. Bom, o anime não menciona essa parte, então creio que seja apenas liberdade criativa do autor. Ele também muda de cor e textura: normalmente amarelo, adquire outras cores e as vezes padrões de cores conforme muda seu estado emocional. Ele tem regeneração de deixar o Wolverine com inveja. Não fica claro, contudo, como ele destruiu a Lua. Certamente ele está escondendo alguns de seus poderes ainda. Em um breve flashback aparece o que certamente é ele em um formato um pouco mais monstruoso em meio à destroços e uma mulher em seus momentos finais dizendo a ele para que “ensine aquelas crianças”, então dá para ter uma vaga noção de sua motivação. Será que ele quer mesmo destruir a Terra? Ele não escolheu essa sala de aula por capricho e não é como se não se importasse com esses alunos, então que sentido tudo isso teria se ele os matasse depois? Poderoso que é talvez ele possa construir uma Arca de Koro apenas com essa turma de colegiais e recriar o mundo a sua imagem e semelhança como seu único deus. Espero que a história não tome esse caminho!

Falando em caminhos da história, Assassination Classroom é baseado em um mangá em andamento relativamente longo, então temo pelo final. Será apenas uma comédia de absurdos e terminará em algum ponto aleatório qualquer, sem conclusão? Inventarão um final onde o professor Koro tenta destruir o mundo e seus alunos o convencem do contrário ou o matam? Dado o caráter bizarro da história temo que possa ficar muito estranho (para não dizer ruim) caso inventem esse tipo de final escatológico original para o anime. Mas será que apenas como comédia Assassination Classroom se sustentaria?

E sobre alunos pouco é revelado mas esse episódio dá algumas informações. Eles são uma turma de excluídos no colégio onde estudam, pela composição da turma suponho que isso inclua tanto delinquentes quanto alunos com notas ruins. Na verdade são tão excluídos que parece que nem estão no prédio principal da escola. Mas apesar disso, mesmo com as instalações de madeira visivelmente antiquadas, o lugar parece suficientemente preservado e os alunos em geral parecem bastante normais. Por que eles são excluídos mesmo? Para ser sincero, o único que se destacou é o que provavelmente será o protagonista (ou o mais próximo disso): Nagisa. Ele é franzino, tem nome de mulher, voz de mulher e até usa maria-chiquinhas. Se não dissessem que ele é um garoto eu jamais saberia. E ele gosta do professor. Não entendi direito, mas parece que o professor Koro é um professor muito bom. Talvez seja mesmo, com todos os poderes que ele tem a superinteligência e a superpedagogia não seriam inesperados. E não apenas ele é um bom professor, parece que Nagisa sente que ele se importa com eles. Eu tive essa sensação também, não pretendia falar nisso com tom de certeza porque me parece cedo ainda, mas se o próprio protagonista está dizendo então não vou duvidar, pelo menos por enquanto.

Assassination Classroom ainda precisa provar a que veio. Como conceito a ideia é interessante, não vou negar, mas até por ser algo bastante diferente eu não sei o que esperar. Assisti esse episódio e o achei bom. Não que tenha um personagem especialmente bom, mas o conjunto todo, incluindo o cenário original e o desenvolvimento do episódio me deram uma boa impressão. Mesmo assim eu gostaria de dizer que ele precisa ainda provar que merece toda a espectativa gerada em torno dele para não criar frustrações, mas tenho a sensação que esse é daqueles mangás cujos fãs simplesmente não permitirão que crítica nenhuma seja feita e imporão seu veredito no final. Bom, eu darei meu próprio veredito independente no final, e espero que seja pelo menos tão bom quanto esse episódio foi.

Discussão