Com meros dois episódios para o fim (ou três, mas o próximo vai ser um episódio de recapitulação então não conta) Kekkai Sensen se deu ao luxo de ter um episódio absolutamente estúpido, insano, engraçado. E por que ele faz isso? Não teria sido mais divertido mostrar de verdade a luta contra os Mil Irmãos? Em um episódio só talvez não fosse. A impressão que eu tenho é que o diretor fez uma escolha adequadamente insana para conseguir adaptar vários volumes de um mangá em andamento de forma que pelo menos uma história importante fosse bem contada. Se você conhece e lê o mangá, por favor me diga se eu estiver certo. E se eu estiver errado também!

Eu simplesmente não consigo imaginar um mangá de ação, um battle shonen, onde arcos de combate inteiros ficam em segundo plano como ocorreu nesse episódio. Ou são resumidos, como em quase todos os arcos anteriores (ou talvez todos). No anime está ficando bacana, até porque todos os recursos audiovisuais estão funcionando bem e valorizando a obra, mas em um mangá me parece que isso seria muito chato. Imagine você acompanhar o Leonardo por alguns capítulos tentando conseguir almoçar com o Zed e o Zapp enquanto a Libra está em uma relação tensa com a polícia tentando pegar uma máfia de criaturas sobrenaturais que adquiriram equipamento militar avançado chinês e a organização que conjurou a barreira que protegeu a cidade do colapso entra em contato com revelações bombásticas. Detalhe importante: a relação da Libra com a polícia e a organização de psíquicos que ergueram a barreira foram apresentadas exatamente agora, prazer. Me parece lógico que no mangá tenham sido apresentados antes, minimamente desenvolvidos, que tenham tido seus próprios capítulos dedicados. Mas no anime não há tempo hábil para desenvolver tudo isso.

Uma forma de lidar com isso, normalmente a mais comum, é contar a história até onde der e pronto. Mas talvez não houvesse nenhum ponto interessante o bastante, nenhum arco instigante, definidor do que é Kekkai Sensen antes da conclusão do conflito com os irmãos Black e White. Ou talvez até houvesse algum ponto interessante antes, mas o diretor escolheu esse porque achou melhor e ponto. E como correr com a história até lá? Do jeito que estamos vendo: resume tudo, muita coisa deve ter sido sumariamente cortada, apenas arcos importantes para definir e esclarecer questões importantes sobre o mundo de Kekkai Sensen foram animados, e faça o anime inteiro em um ritmo alucinante para que essa correria toda na história soe simplesmente natural. O resultado está sendo muito bom, devo dizer.

E a história principal é contada através de cenas curtas e significativas no começo e no final de cada episódio. Conheci a White tão aos poucos que foi difícil entender o que ela era, mas desde o começo gostei dela de qualquer jeito. Eu não percebi quando assisti, mas li em artigos e vi capturas de tela depois, mas o Black estava de olho no Leonardo desde o primeiro episódio. Ele aparece sombrio sentado em uma mesa ao fundo. Eu notei que havia alguém, mas não liguei muito e quando o Black foi oficialmente apresentado eu nem liguei coisa com coisa. Mas sim, desde o começo ele já estava lá. Desde o começo essa história vem sendo contada.

E não só através dessas cenas curtas que a história está sendo contada, como também através das comparações implícitas e explícitas entre os dois casais de irmãos: Leonardo e Michella, White e Black. Há simplesmente muita coisa em comum entre eles, muitos paralelos entre as histórias de ambos. Não sei se no mangá isso fica tão explícito quanto no anime, mas pelo menos aqui Kekkai Sensen está usando esses paralelos fortes para contar parte da história. E agora White traiu Leonardo, como era inevitável acontecer. Mesmo assim ela deseja que ele fique bem. Não sei se Leonardo pode simplesmente entregar os olhos divinos, mas acredito que mesmo que pudesse ele não faria isso. Eles não são apenas a ferramenta para ele buscar a cura para sua irmã, como são também o presente e a presença dela. É porque a Michella desistiu dos próprios olhos que Leonardo tem esses olhos divinos. Esses olhos não são apenas dele, mas dela também. Mesmo que o Black não estivesse ali falando asneiras para torná-lo mais desprezível, mesmo que ele estivesse ali como irmão da White e não como vampiro, mesmo que aquela cena naquela capela abandonada atraísse toda a pena do mundo, Leonardo não poderia ceder. Então haverá um confronto entre ele e White, e isso vai ser muito doloroso para ambos.

Pena que não é semana que vem que vou ver isso. O lado positivo do episódio de recapitulação é que provavelmente ele está sendo inserido no meio da história agora para que o estúdio tenha mais tempo para produzir os episódios finais. Eles devem ficar melhores assim. Kekkai Sensen merece episódios produzidos com o que há de melhor em animação.

Discussão