Ser muito bom em alguma coisa te dá o direito de ser arrogante? De se sentir melhor do que os outros? De elaborar as próprias regras dentro do jogo e gradativamente eliminar aqueles que não as seguem, mesmo que estejam à altura? Quando você se torna o melhor, esquece como era quando se estava abaixo de alguém? Como julgar e lidar com aqueles que estão abaixo de você? Essas são apenas algumas perguntas que, creio, muitas pessoas se fizeram em relação ao chef Shinomiya durante a prova e o shokugeki. Certo, há uma certa explicação para que ele tenha adquirido esta personalidade complicada, mas se isso torna ou não a situação justificável, aí fica a critério de cada um.

É complicado falar sobre esse arco sem dar spoiler ou usar elementos essenciais do próximo episódio, mas vou tentar. Souma pediu um shokugeki,mas foi rejeitado. Não por seu adversário ser um graduando, mas ele simplesmente queria evitar a fadiga. Quem mudou a situação foi Doujima. Ele e Inui acham que Megumi merece uma segunda chance, e sugerem uma disputa do tipo briga de rua, não-oficial. Doujima tem lábia e é manipulador, além de ter claras segundas intenções, e consegue o que quer rapidinho. Quando estão sozinhos, a garota enfim explode e grita com o garoto por ter arriscado a própria aprovação em prol dela. Feh, como se fosse mudar a decisão ou personalidade dele assim… Sem falar que ele também teve lá seus motivos egoístas pra ter enfrentado o chef. Não que salvá-la não seja sua prioridade, ele realmente quer e crê que ela merece continuar na escola, mas não é apenas isso. Tem mais coisa por trás, e logo mais saberemos sobre isso. Por enquanto, o palco será da Megumi, como Doujima logo deixa bem claro. Os juízes da competição serão três formandos: Donato Gotouda, Sekimori Hitoshi e Mizuhara Fuyumi (claro que a Inui ficou de fora, hehe). As regras são simples: os vegetais devem ser o destaque do prato e eles têm duas horas para terminar, além de que Megumi deve ser a chef principal da dupla. Ou seja, ela decide tudo sozinha, sendo Souma apenas seu ajudante. Ela entra em pânico, sim ou claro?

 

Será uma decisão complicada, aiai...

Será uma decisão complicada, aiai…

 

 

A condição é justa e óbvia: se ela é a causa do shokugeki, então ela deverá ser o fator de decisão. Além disso, ela precisa aprender a desapegar do colega, ser mais confiante e tomar as próprias decisões. E ela o faz… Quer dizer, depois de ser acalmada por ele, claro. Já está atrasada o suficiente e ainda nem decidiu o seu prato, garota, você precisava daquele susto! Respiração devidamente controlada, os preparativos começam. Pra quem ainda tinha dúvidas, aqui está a confirmação de que os dois formam uma dupla incrível e dinâmica, o melhor trabalho em equipe até agora devo dizer. Outra vantagem é perceber que Souma trabalha melhor como sous-chef do que como chef. Doze anos sendo auxiliar de seu pai tem seus méritos, e uma das vantagens é pensar que ele tem uma ampla gama de possibilidades além de seu restaurante, caso se forme. Afinal, ninguém comanda uma cozinha completamente sozinho. Isso é pra você, Shinomiya-senpai.

 

Megumi-chan, confiamos em você!

Megumi-chan, confiamos em você!

 

Fim do tempo. Shinomiya apresenta um chou farci aos juízes, resumidamente um prato de carnes cozidas envoltas em repolho e cozidas no vapor (esse eu já conhecia de Black Butler, hehe). Apesar de simples, as alterações o tornam um sucesso instantâneo. É ruivinho, competir com um cara já formado, que tem um restaurante próprio de sucesso em outro país e ganhou a alcunha de Mago dos Vegetais não foi lá uma boa ideia. Você inclusive teve chance de sair fora, mas sua lealdade e seu orgulho jamais permitiriam. Tomara que esse prato da Megumi tenha sido uma boa ideia, mas o mínimo que posso dizer é que ter escolhido um outro terrine após ter sido eliminada por causa justamente de um terrine foi muito ousado, ou muito estúpido. Os juízes decidirão isso.

 

Er, então... Pessoal?

Er, então… Pessoal?

Discussão