[sc:review nota=4]

Com esse episódio o primeiro arco e primeiro caso de Game of Laplace está resolvido. A essa altura alguém ainda duvida que o Kobayashi é o detetive? Aliás, a série está brincando com a androgenia do Kobayashi, não sei se isso tem algo a ver com a obra de Edogawa Ranpo, mas acredito que não. Deve ser mesmo parte do espírito do tempo em que vivemos. Mas bom, isso é só um detalhe, não acho importante. Contribui para a personalidade do protagonista, que no geral vem incomodando algumas pessoas mas não a mim, e vou explicar porque.

Game of Laplace é um anime que celebra a obra de um escritor de literatura de detetive importantíssimo no desenvolvimento desse gênero no Japão: Edogawa Ranpo (é um pseudônimo; e a pronúncia japonesa de Edgar Allan Poe). Não só uma celebração por ocasião do cinquentenário da morte do autor, mas também uma apresentação de sua obra para as novas gerações. O próprio autor está representado em Game of Laplace através de Akechi, o detetive de suas histórias (não conheço as obras de Ranpo, mas suponho que Akechi esteja bastante modificado; duvido que ele fosse um menor de idade, por exemplo), e o novo público pretendido, que é o público do anime, se encherga em seu protagonista Kobayashi, um garoto que quer ser e participar dessas excitantes e misteriosas histórias de detetives.

E Kobayashi conseguiu. Nesse primeiro arco ele foi não apenas o detetive, mas o principal suspeito. O crime foi armado para que ele fosse condenado, e longe de se desesperar por isso (mesmo se ele não tivesse reagido dessa forma não acredito que ele precisaria se preocupar dado o amigo poderoso que ele possui – o Hashiba) ele ficou ainda mais motivado para participar do que ele enxergou como um jogo. E aqui inicio uma digressão.

A literatura clássica de detetives não era apenas literatura, mas um jogo entre autor e leitor (e em círculos de literatura os leitores eram eles também autores), onde o leitor “venceria” caso desvendasse o crime antes da história revelar. Para esse fim houve até autores que escreveram regras que deveriam ser seguidas por quem escrevesse histórias de detetives. Algumas das mais comuns eram: o detetive (ou seus assistentes ou as forças da lei) nunca pode ser o criminoso; leitor e detetive devem ter acesso às mesmas informações, de forma que tenham a mesma chance de desvendarem o caso; o criminoso não pode ser um servo (por exemplo o mordomo); entre outras. Em linhas gerais esse arco de Game of Laplace seguiu as regras básicas de uma história clássica de detetive: além de outros exemplos menores, era possível o espectador ter deduzido o criminoso (eu errei!). A criminosa, no caso. Nesse aspecto Game of Laplace foi um sucesso.

A alegria de Kobayashi com o desafio e ao desvendá-lo, e mais ainda ao ser aceito pelo Akechi como seu assistente, não é algo tipicamente detetivesco. Ao invés, retoma o tema de celebração e os papéis que eu descrevi do Akechi como representante da obra de Edogawa e de Kobayashi como representante das novas gerações. No jogo que foi esse caso, o Kobayashi venceu, e claro que ficou feliz com isso. Mais ainda: ele foi reconhecido pelo seu herói ao fim do episódio. Não espere que Akechi se torne o detetive e Kobayashi seu assistente de verdade; Akechi deve servir mais como um mestre para o jovem detetive. Por fim, a alegria de Kobayashi é a mesma alegria de qualquer leitor de uma história de detetive que consegue estar a frente do detetive, ou, mais genericamente, a alegria de qualquer leitor ao apreciar um bom livro.

Para não dizer que não foi sem problemas, eu achei a reação da professora exagerada demais e desnecessária. Se a alegria do Kobayashi é um pouco exagerada, conforme eu já argumentei acima eu a acho compreensível. A professora Hanabishi porém é uma pateta desnecessária. Eu sei que o clima da série, apesar dos assassinatos violentos, é leve, mas a Hanabishi destoa demais. Além dela nada me incomoda mais (o Hashiba até assumiu plenamente seu papel de assistente do detetive Kobayashi nesse episódio, hehe), mas sei que algumas pessoas estão se incomodando exatamente com esse clima leve. Não acredito que ele vá mudar e isso não me incomoda, ainda que destoe dos crimes violentos que ainda devem ocorrer daqui por diante. Como história de detetive Game of Laplace cumpre bem seu papel e eu me divirto com isso. Quem estiver procurando uma história mais pesada recomendo que dê uma olhada em Gakkou Gurashi: o primeiro episódio é aterrorizante.

Discussão