Todo mundo ama o Shizuo. Todo mundo é rival do Shizuo. Todo mundo admira o Shizuo. Todo mundo quer derrotar o Shizuo. Tomando esse episódio como base, até parece que a maior parte das atividades de Ikebukuro gira em torno de um homem que nasceu com mais força física do que é capaz de lidar, e na real é bem assim mesmo. A própria narrativa faz paralelo ao dia a dia dele e daqueles que o cercam, ressaltando a importância do ex-barman aliada ao fato de ele não ter nenhuma ideia disso. Pensando bem, talvez seja melhor que ele realmente não saiba, afinal faltariam braços para arremessar tantos espalhadores de boatos de uma só vez. Ainda mais quando se está tão ocupado com uma nova namorada e sua filha do primário.

Enfim entendi porque shippam tanto a Vorona com o Shizuo. Desde que foi regiamente derrotada, a loira se consome de raiva por não ser tão forte quando pensa, por estar abaixo de um homem, esses sentimentos que em geral cabem ao antagonista feat. melhor amigo do protagonista de battle shounen. Os sentimentos dela, apesar de não serem nem um pouco românticos, são confusos como os descritos no início do artigo, sendo que a mais forte delas é o desejo de se aproximar. Estudá-lo, analisá-lo, compreendê-lo, e quem sabe no futuro exista alguma chance de derrotá-lo…ou não. E quem diria, sua chance está mais próxima do que o esperado, já que seu inesperado emprego como enfeite vivo do Russian Sushi acaba levando-a a ser promovida como braço esquerdo do Tom – na real, sinto que só querem se livrar da garota mesmo. Falando em inesperado, tempos uma lista deles: a cara de besta quando o Tom descobriu que a garota é ainda melhor a campo do que Shizuo (faz menos bagunça) é uma delas, a das pessoas na rua quando veem uma loira bonita e agressiva andando com os cobradores é outra. Vendo essas cenas e somando isso ao fato de que, como stalker, ela é uma ótima lutadora, nada mais natural do que presumir que Vorona é mesmo namorada do loiro. Mas e a filha? Fácil, quem aqui se lembra da Akane-chan?

Akane tem na faixa de uns 10 anos, mas quer matar Shizuo. Na verdade, ela não quer matá-lo, mas acha que precisa, então vai pedir conselhos a Akabayashi. A solução encontrada foram aulas de autodefesa, mais pra sossegar a criança do que qualquer outra coisa, mas é algo bem prático para uma membro tão vulnerável de um clã poderoso. As coisas ficam bagunçadas quando a escolha é o dojo de Mairu e Kururi, que é claro que tem seus contatos dentro do clã. Ou seja, Akabayashi, Akane, as gêmeas Orihara, Shizuo, Tom e Vorona agora estão diretamente ligados, e desse grupo podem sair histórias bem interessantes. Exemplo: ao verem ele sendo tão carinhoso com Akane, todos supõem que as fofocas sobre uma suposta filha eram verdades, então qual a dedução mais lógica? “Olha, até um monstro como ele tem uma fraqueza, vamos usar as pessoas que ele ama a nosso favor!”. Na verdade, até tentaram isso antes, mas qualquer um que citasse o nome do Kasuga de forma ameaçadora era mandado pelos ares antes de concluir a frase. Então, o que poderia seria mais fácil do que sequestrar algumas garotinhas que foram negligenciadas por seu protetor? Ai, garotos, fala sério, vocês não aprenderam nada mesmo. Ir pra cima de Vorona, Akane, Mairu e Kururi? Sintam-se felizes em voltar pra casa apenas com hematomas, não sei qual delas é a mais perigosa.

 

Isso sim é um grupo interessante.

Isso sim é um grupo interessante.

 

Quando se pensa que as coisas estão ficando mais fáceis, elas pioram. Akane e Vorona descobrem que têm objetivos parecidos: uma quer matar, outra quer derrotar. Sabe aquele ditado “Ajeitando direitinho, todo mundo se diverte”? Pra elas não é bem assim, e começa uma competição bem infantil sobre qual das duas irá predá-lo, sendo Akane a mais veemente sobre o assunto. Shizuo é dela e ninguém pode por as mãos nele. O que ninguém (além do Tom, mesmo que do jeito errado) percebeu ainda é que nem todos os sentimentos ali são negativos, muito pelo contrário. Há respeito e admiração pelo homem que ele é, que se tornam ainda mais intensos quando ele diz a Vorona que a força dela é que deve ser admirada, e não a dele, e que simplesmente nascer forte não faz de ninguém um herói. Pra um cabeça oca, ele até tem umas filosofias legais de vez me quando. Não é à toa que anda arrasando uns corações femininos por aí. Mas paremos por aqui e vamos deixar os (agora três) cobradores do distrito irem em paz. Dias de calmaria parecem estar se aproximando dele, com Izaya acamado (por hora, e sem seu conhecimento) e um novo boato espalhado de que ele seria um filho bastardo do chefe da Awakusu. É rapaz, a presença da femme fatale aí tem suas vantagens, por mais que no fim ela só esteja querendo a sua cabeça mesmo.

Ela não está nem um pouco de brincadeira.

Ela não está nem um pouco de brincadeira.

Discussão