Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Um anime de ação com um episódio inteiro sem ação e que se passou praticamente todo dentro de uma sala. E sabe o que mais? Ficou bom! Eu não achei que Rokka no Yuusha fosse puxar um clássico do suspense (o enigma da sala/quarto fechado/trancado), mas quem poderia ter previsto isso? Nem histórias de suspense ou detetive têm usado muito isso ultimamente (eu só tenho assistido animes, e dos poucos que caem nesses gêneros o último que me lembro que teve um arco de sala fechada foi Hyouka; pois é). Não acho que o anime irá subitamente mudar de gênero, mas sim que usaram isso como um engenhoso recurso para despejar informações sem que o episódio ficasse entediante ou que parecesse artificial. Adorei!


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


Agora o anime não tem um, mas dois mistérios. Não avançou um centímetro que seja na resolução do seu mistério anterior: quem é o herói falso, se é que há um falso? Mas acrescentou outro: quem ativou a barreira? A resposta para os dois enigmas pode ou não ser a mesma, a depender das motivações subjetivas que levou a cada ato e que, no momento, não dá para ter a menor ideia. Por enquanto, trabalho apenas por eliminação, e mesmo assim não avancei muito.

As informações mais importantes ou pelo menos mais interessantes reveladas nesse episódio foram aquelas em relação à Flamie. Ainda no espírito do artigo que escrevi sobre clones da Rei Ayanami, de Evangelion, devo dizer que fico satisfeito em perceber que uma personagem que eu já considerava um clone da Rei preencheu ainda mais requisitos: ela não é totalmente humana e a essa altura é quase certeza que ela tenha tido um passado trágico, pois pouca coisa além disso explicaria ela estar hoje agindo contrariamente a sua natureza. Flamie é uma meia-demônia, filha de um homem humano e uma mulher demônia. Não foi um inexperado e lindo caso de amor, mas um plano forjado desde o início para criar uma caçadora de heróis. O humano em questão foi morto tão logo esgotou sua utilidade, e Flamie foi criada entre os demônios como um deles, para um dia andar entre os humanos e matar candidatos a herói.

Sabe-se que ela efetivamente matou três heróis, então ela estava executando sua missão, mas algo aconteceu. É perceptível que mesmo agora Flamie não se sente confortável na companhia de seres humanos e, como ela já disse para o Adlet, ela continua tendo impulsos assassinos. Sua natureza é assassina, essencialmente anti-humana, e isso não mudou. Mas sua convicção, por alguma razão, mudou completamente e fê-la se voltar de tal forma contra o Arquidemônio que acabou escolhida como um dos seis heróis. E se tem alguém que eu tenho certeza que foi escolhido herói, talvez até mais que o Adlet que eu vi a droga da marca surgir, é a Flamie. Porque pense comigo: ela não estava ativamente caçando heróis quando foi encontrada pelo Adlet, estava apenas matando os que por acaso cruzavam seu caminho, então é seguro assumir que ela diz a verdade quando fala que quer matar o Arquidemônio. Nessa circunstância, e considerando que ela planejava ir até lá sozinha ao invés de acompanhar os demais heróis, por que ela forjaria uma marca?

E sobre os demais, alguma pista para descobrir quem é o falso herói? Infelizmente nada concreto. Posso especular, porém. Digamos que a escolha das santas por sei lá que divindades são responsáveis por escolher as santas obedeça critérios semelhantes àqueles para a escolha dos heróis, o que é razoavelmente provável. Revelou-se que as santas surgem, afinal, e não são criadas pelos homens, então há um poder místico por trás e ele com certeza tem sua agenda. Se essa suposição for correta, então nenhuma das garotas deve ser uma traidora. Pelo menos nenhuma deve ser má intencionada (ok, a Chamot é assustadora, mas aposto que ela é daquelas que no fundo são boas pessoas, apenas apressadas demais em julgar). É um dos homens, e não é o Adlet, o que deixa apenas duas opções: Goldov e Hans. Sobre o Goldov eu já falei no artigo do episódio anterior e não mudo de opinião.

Então vamos ver o Hans. De minha infância e pré-adolescência endiabrada eu aprendi uma coisa: uma forma eficiente de não ser sequer suspeito de algo que fez e portanto escapar ileso é ser o primeiro a lançar dúvidas e hipóteses, de preferência que atinjam em cheio outras pessoas. O Hans é o tipo de pessoa que continua endiabrado mesmo depois de adulto (bom, acho que ele deve ter idade de um adolescente apenas, mas esse mundo com certeza já o trata como adulto). Ele também é assassino e, mesmo (supostamente) escolhido um herói, cobrou dinheiro do rei para executar a missão divina que (supostamente) recebeu. Hans é vil, Hans é mal, Hans é o suspeito perfeito. E justamente por ser perfeito demais eu não acho que seja ele. Quero dizer, se ele é tão vil assim a ponto de forjar um selo para chantagear um rei, por que não simplesmente fugiu depois de receber parte do pagamento, já que, como ele disse, ele recebe o dele adiantado? Talvez pretendesse ficar escondido enquanto os heróis de verdade arriscavam suas vidas pela humanidade mas foi descoberto pela Maura, destruindo seu plano? Nesse caso, mesmo que ele consiga empurrar a suspeita e a culpa sobre outro, continua encalacrado: uma vez na terra dos demônios ele irá morrer rapidamente. Claro que ele ainda pode tentar fugir antes. E ah: no episódio onde todos apresentaram seus selos, tive o cuidado de prestar atenção: ele e a Nachetanya são os únicos que têm o selo na mesma parte do corpo, no caso, o meio do peito (o dele é ligeiramente delocado para a esquerda, mas isso ainda é praticamente na mesma posição comparado aos demais). Reforçando a antítese entre ele e a princesa, enquanto ela segue o tema de coelho, ele é um gato. Lembra-se daquela que diz “levar gato por lebre”? Então.

Mesmo assim, tanta coisa aponta para ele que, justamente por isso, eu me sinto fortemente tentado a acreditar que o farsante não é ele, mas o Goldov. Ele tem motivos para ir até lá mesmo sem ter sido escolhido um herói: proteger a princesa. Anos atrás ele era mais forte do que ela, mas além disso já estar no passado apenas ser forte não é necessariamente suficiente para ele ser escolhido um herói. Ele pode não ser digno. Uma pessoa que embarca em uma missão na qual o destino da humanidade está em jogo apenas para proteger a mulher com quem fantasia à noite não parece assim tão digna, convenhamos. O comportamento dele não é muito legal também, o anime está dando particular ênfase a como ele maltrata a Flamie. Se pudesse, ele já a teria matado – o que teria o bônus adicional de, sendo ele o farsante, livrar sua cara e impedir que seja descoberto. E como ele pretende lidar com o ar mortífero da terra dos demônios? Ele pode ter descoberto um método em suas viagens, ou pode acreditar de forma prepotente que sua força será o bastante.

Por enquanto, pelo menos no que diz respeito a sala fechada (apenas Adlet estava lá e era impossível alguém ter entrado ou saído sem ele ver, bem como era impossível alguém ter entrado antes dele abrir), o Adlet é o maior suspeito dos demais, enquanto a audiência segue sabendo que não foi ele, assim como não é ele o falso herói embora ele também seja forte suspeito nesse caso, meio que como extensão do outro. Como será que esses mistérios irão se desenrolar? Herói irá matar herói? Estou bastante curioso.

Comentários