[sc:review nota=4]

Imagino o seguinte diálogo no estúdio:

Produtor: – Roteirista-kun, está tudo muito divertido e coisa e tal, mas espero que você não tenha esquecido que Shomin Sample é um harém, não é?
Roteirista: – Eu sei Produtor-san, é que eu acho que … – o roteirista é cortado antes de terminar de falar.
Produtor: – Harém, Roteirista. Harém.
Roteirista: – Gomen nasai, Produtor-sama! Esse erro não irá se repetir!

Dado que é baseado em light novel, é possível que isso tenha ocorrido na editora. Aí troque Roteirista-kun por Autor-kun e Produtor-sama por Editor-sama, mas dá essencialmente na mesma.

Preste atenção ao comportamento do Kimito ao longo dos episódios anteriores (e inclusive em parte desse). Ele não parece um protagonista de harém. Ele não se mete em confusões (bom, ignorando a parte do sequestro, né) nem tem problemas com garotas. Está a maior parte do tempo ajudando elas com seus problemas pessoais. Ele ajuda a Hakua com sua incapacidade de fazer coisas básicas por si mesma que todo ser humano precisa fazer. Ele acompanha a Reiko em suas obrigações sociais como a líder natural da turma, e a ajuda a fazer às pazes com as garotas quando ela se encrenca. Ele atura a Karen (ok, com ela ele se mostra um pouco mais assustado). E, lógico, ele trouxe a Aika até esse episódio, ajudou ela o tempo todo a se preparar para isso, a incentivou a ter coragem para finalmente derrubar o muro que ela própria construiu ao redor de si e socializar com o resto da turma, a fazer amizades. De forma passiva, seu quarto serve de refúgio a todas elas quando precisam relaxar um pouco da rotina sufocante de uma escola de elite.

Essa cena ficou muito Death Parade

Essa cena ficou muito Death Parade

Como seu foco sempre foi a Aika, e como ela completou seu ciclo de evolução nesse episódio, Kimito declarou o fim do Clube Plebeu, que era tanto o lugar físico onde as garotas se reuniam quanto o lugar psicológico onde elas se refugiavam. Ele declarou isso no meio desse episódio, mas era uma decisão tomada desde o final do anterior, conforme a prévia já havia adiantado. E faz sentido: tudo o que ele podia fazer por ela ele já havia feito. Faltava um passo final ainda, mas esse era entre ela e as garotas. A Reiko esteve lá para ela nesse episódio e a ajudou a dar esse passo final.

O Kimito, no entanto, já começou esse episódio livre de seu papel de guia e conselheiro. Era chegada a hora do Kimito dono de harém surgir. E ele não demorou a começar: seduziu a Karen e a adicionou finalmente ao seu harém. Até então ela estava lá mas supostamente era para matá-lo, supostamente ela o odiava. Agora ela o ama. E ainda quer matá-lo, afinal de contas clichês. Isso ainda era pouco, ele precisava de algo mais para compensar tamanha falta de perversão em tantos episódios. Evocou a clássica cena do garoto escondido no banho com as garotas e, claro, ficou excitado com a Aika nua encostada nele. Para quem já recusou um beijo antes esse menino está bem mudado. Ele já havia trombado com a Reiko no banho antes no episódio 2 e não reagiu de forma tão estúpida. Foi desesperado sim, mas não estúpido. Nunca se esconder dentro do banho seria uma boa ideia. Mas se ele quer ser um dono de harém respeitado, ele precisa ser estúpido e esticar ao máximo a duração das cenas arriscadas.

Modo protagonista burro de harém ativado: Kimito está escondido atrás da Aika e a mão na boca dela é dele

Modo protagonista burro de harém ativado: Kimito está escondido atrás da Aika e a mão na boca dela é dele

Como prêmio por sua atuação perfeita, ele ganhou um beijo. Ok, tecnicamente foi respiração boca-à-boca porque ele havia se afogado, então não só não foi um beijo como foi para salvar a vida dele, mas a própria Aika, que executa o procedimento, faz questão de ressaltar antes e depois o caráter sexual da coisa toda. E isso ficou na cabeça dela, que já estava meio bolada desde que ele disse que o clube estava encerrado e que ela passaria menos tempo com ele e mais tempo com suas amigas. Tendo sido pega em flagrante, ao invés de explicar tudo direito ela preferiu deixar as garotas delirarem com suas imaginações loucas – e com isso a Aika está isolada de novo. Viva o harém!

Com o rumo do enredo corrigido, Shomin Sample não finge modéstia e acelera: até mesmo sua empregada Miyuki, que vive o maltratando, está secretamente apaixonada por ele! E ele ganhou então o seu segundo beijo no episódio, ficando implícitos inúmeros outros beijos em todos os outros dias desde que ele entrou no colégio. Para complicar um pouco as coisas, a Miyuki é de família nobre e sabe-se lá porque está trabalhando como empregada. Enfim, não desgosto de haréns por padrão, o meu problema é com repetições velhas de clichês cansados. Com cenário de harém mas sem um harém de verdade, Shomin Sample era original. Agora só o futuro dirá. Esse episódio foi divertido ainda, e espero que os demais continuem sendo, harém ou não.

Até tu, Miyuki!

Até tu, Miyuki!

Discussão