Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Sempre quis escrever um artigo “vamos falar de/sobre”! Valeu, 18if!

Brincadeira. Quero dizer, padrões irreais (e irracionais) de forma corporal e os distúrbios alimentares que eles causam são sim assunto sério, mas muita gente mais esperta que eu já escreveu muitos textos melhores do que eu. Eu já li vários mas de momento não me lembro, se conhecer algum me mande pelos comentários que eu edito o artigo e coloco link, ok? Obrigado =)

Ocorre que aconteceu de 18if abordar o tema também, então vamos lá.

Curta o anime21 no facebook:

Airi, a garota da vez, perdeu o namorado porque o crápula a trocou por outra. E bom, o problema não é esse, ninguém tem que ficar com quem não gosta, né? O problema está em como ele comunicou isso à sua ex-namorada: disse literalmente que a trocou por outra mais magra. E que ela está ficando “meio rechonchuda”. Olha, animes costumam representar mal os diferentes níveis de gordura corporal, é todo mundo ou magro ou obeso, e não é diferente com esse episódio. A única pista de que ela talvez seja um pouco mais cheinha do que a média é ela conseguir puxar uma dobra de pele na lateral da barriga. Mas ainda assim ela é indubitavelmente magra, ou normal, um termo que eu prefiro pois “magro” já pressupõe uma aparência específica que não é sempre normal e não abrange toda a gama do normal, uso “magra” aqui para destacar que de forma alguma ela pareceu “rechonchuda”, como disse o ex que nunca deveria sequer ter sido.

Se isso é ser gordo, 90% da população mundial é gorda – boa parte obesa

E mesmo isso não é pista, né? Nada ali é pista. A balança não tem números. Airi está enlouquecendo porque está com o coração partido e acha que isso é porque esteja “gorda”. Há anos ela não come um donut, muito provavelmente porque o ex-namorado devia pressioná-la esse tempo todo. A vemos na maior parte do tempo no mundo real, mas mesmo ele pode ser tão subjetivo quanto o mundo dos sonhos. Aquilo é como ela se vê, não necessariamente como ela é de verdade. E que se note: mesmo que ela fosse gorda, isso não seria um problema. Se ela fosse obesa aí ela começaria a poder ter problemas de saúde, mas é o caso de acompanhar apenas, buscar emagrecer se medicamente necessário, mas jamais mudar tanto assim por causa de uma pessoa, por causa de um namorado.

A melhor memória da infância dela era a cozinha de sua avó. Um curry, um prato bastante calórico e que ela provavelmente deve estar apenas preparando por conta de sua memória afetiva mas não deve estar comendo muito também – o cientista gato Katsumi, nossa âncora no mundo real, percebe isso, quando nota que o gosto mudou no último dia, quando ela estava quase explodindo de nervosismo e melancolia. E se ser obeso (coisa de que ela está muito longe) pode ser um problema de saúde, é notável que ela tenha adquirido seu próprio problema de saúde sem sequer engordar: bulimia. Ela come compulsivamente e depois vomita tudo. Com o tempo, a prática prolongada de bulimia pode tornar o estômago de uma pessoa incapaz de digerir alimentos, e o vômito se torna automático. A anorexia é outra consequência – e que pode levar à morte. Anorexia é particularmente problemática porque quando outras pessoas percebem ela já está quase sempre em estágio avançado, do qual é impossível a pessoa sair sozinha – e isso tem a ver, sim, com a tal “ditadura da magreza”, do título. Ser magro é considerado o normal, então ninguém estranha quando outra pessoa começa a emagrecer – mas comece a engordar para ver quanto demora para os comentários chegarem!

Mas bem, no final das contas foi um episódio esteticamente bonito, as cenas de decadência da garota foram chocantes como tem que ser, e ela superou tudo antes que estivesse além de seu próprio controle, graças à ajuda do Haruto em seus sonhos, naturalmente. O que esse episódio traz de importante para a continuidade da série é a informação de que não é necessário estar em coma para se manifestar como uma “bruxa” no mundo dos sonhos. Airi parece ter desenvolvido dupla personalidade, porque não se lembrava de suas crises de compulsão alimentar e parece ter estranhado o tanto de porcarias que encontrou em seu cesto de lixo. Mas no mais, levava uma vida normal, ainda que abatida pelo fim do namoro e provavelmente mantendo uma dieta pouco saudável. Foi um episódio interessante, sem os impactos emocionais fortes dos dois anteriores (ainda que as crises de compulsão e o vômito tenham sido bastante chocantes) mas que trouxe uma nova a importante informação sobre a mecânica do anime.

Comentários