Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

A segunda temporada de My Hero Academia veio mantendo uma ótima qualidade nos seus episódios, sempre se superando e trazendo boas lutas. Agora neste segundo arco não foi diferente, nos apresentando um vilão interessante e explorando ainda mais seus personagens. Mas é claro que em algum momento teríamos um episódio fraco, e esse dia chegou.

Ele começou dando uma geral nos últimos acontecimentos envolvendo o ataque de Stain e dos Nomu (o que não era necessário), além de mostrar um pouco mais dos estágios dos alunos. Se formos analisar, a grande maioria não está evoluindo de verdade, servindo apenas como um alívio cômico pelas situações que estão passando. Até mesmo Bakugo, que venceu o Festival Esportivo, não está sendo tão bem aproveitado. Por enquanto tudo estava tranquilo, mas aí resolveram fazer um episódio focando na Tsuyu.

De todos os personagens que foram apresentados até aqui e de todos os estágios que estávamos acompanhando, por que foram escolher logo esse? Eu juro que durante o episódio tentei responder isso, mas não consegui. Podíamos acompanhar melhor o dia a dia de Uraraka, agora que decidiu usar sua individualidade de forma ofensiva; talvez explorar mais o lado “vilão” de Bakugo e mostrar Best Jeanist ensinando a ele como um herói deve ser; uma possível reviravolta no estágio de Itsuka e Momo com Uwabami; ou até mesmo apresentar mais da Earphone Jack. Sério, qualquer coisa seria mais interessante que o estágio da Tsuyu.

É claro que se não tivesse um episódio mostrando o estágio dos outros personagens viria alguém (provavelmente eu) reclamar que só estão focando no protagonista, mas eles poderiam ter se esforçado um pouco mais para trazer algo interessante. Como disse acima, até focar em outro aluno já resolveria o problema, pois o que não faltava era opção. Eu topava até assistir um dia a dia da Liga dos Vilões.

Olha só o nível que a coisa chegou

Fomos apresentados a antagonistas genéricos em uma trama muito fraca, enquanto temos Stain, Tomura e uma galera nova pra ser apresentada. Além disso, a própria Tsuyu não se mostrou protagonista deste episódio, sem ganhar nenhum tipo de desenvolvimento e aprendendo somente a “seguir o que o capitão mandou”. Assistir esse episódio não vai mudar nada na sua experiência com o anime, pois ele não acrescenta nenhuma informação nova ou relevante.

Essa é uma das minhas críticas a episódios fillers. Eles costumam ter uma história bem abaixo da que estamos acostumados e não têm nenhum tipo de importância. Os fillers de Fairy Tail, por exemplo, ainda conseguem incluir um certo alívio cômico, enquanto Naruto Shippuden chegava a fazer uma temporada inteira deles. Por conta disso, acabei criando preconceito com esse tipo de episódio, sempre esperando pelo pior, e não foi diferente. Seria bem melhor se o anime fosse mais sincero e tivesse 24 episódios.

Felizmente, isso não foi o suficiente para estragar a temporada, que ainda segue, pelo menos, no Top 25 do site MyAnimeList. Como compensação, o próximo episódio promete ser um dos mais importantes, já que All Might vai explicar para Izuku tudo que ele deveria ter explicado e não contou até agora. Temos apenas seis episódios pela frente e não sei até onde podemos ir com eles. Provavelmente o anime deve acabar na melhor parte e teremos que esperar pelo menos um ano para voltarmos a acompanhá-lo. Mesmo assim, essa temporada já valeu como uma das melhores de 2017, e se terminasse no episódio 18 já estaria satisfeito.

Se o All Might falou, quem sou eu pra discordar

Por menos fillers no mundo e mais temporadas como essa. PLUS ULTRA!

Comentários