Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Fala galera! Tudo bem com vocês?

Mais uma semana e mais um espetacular episódio de Fate! Eu tenho um sério problema com animes bons e lançamentos semanais: ansiosidade. Sim, eu fico muito ansioso para assistir o próximo episódio, às vezes eu prefiro que termine de lançar o anime, para eu assistir tudo de uma vez! Haha

Mas, por outro lado, assistir o lançamento semanalmente faz com que alguns dias específicos da semana sejam mais completos e mais divertidos. Enfim, vamos dar uma olhada nos melhores momentos desse episódio e ver o porquê dos papéis trocados?


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


Bem, na semana passada eu estava completamente correto sobre a resposta da Frankenstein para o Shirou, foi um “Arghhhhhh” bem comprido, ou seja, um “Nãããããão”.  Aqui está uma das primeiras partes dos papéis trocados: não é comum o mestre lutar contra um servo inimigo assim, cara a cara,  e Shirou fez isso. Tudo bem, o padre mostrou suas habilidades e não só em luta, mas também em magia. O melhor de tudo é que ele também sabe correr, o que é inevitável em uma luta contra um Berserker. Achei totalmente sem graça e, por enquanto, sem lógica o Hougu do Shakespeare ser só uma espada. Não teve nem nada de interessante nela, por enquanto é só uma espada. Vamos aguardar os próximos episódios e ver se esse Hougu presta para alguma coisa.

Eu curti esse efeito especial do Hougu, acho que por enquanto a única coisa que prestou dele hahaha

O ponto em que Spartacus apareceu. Rapaz, que bicho apelão! Ele lembra muito o Hércules do Fate Stay Night e do UBW, só não estou lembrado como o Hércules morreu nesses dois, mas provável que o Spartacus deva ir pra vala da mesma forma. Atalanta, tadinha. Ela até tem um Hougu bem forte, mas foi utilizado na pessoa errada.
Outro ponto interessante, antes do aparecimento do Berserker Carmesin, que agora joga no time Black, foi a luta dos Lancers. Queria que tivesse aparecido mais, porém esse episódio teve outros focos.

As lutas estão realmente muito interessantes, todas elas. Como vários servos estão lutando, é aceitável que o anime não foque um episódio inteiro em uma luta específica e fique passando um pouco de cada, como está sendo o caso.
A luta de Aquiles e Quíron é outro ponto que vai nos deixar bastante intrigados. Sempre dizem que o aluno supera o mestre, porém, no início, Aquiles aparentou ser mais fraco que Quíron (eu realmente não sei pra quem torcer), porém, no desencadear do episódio e das conversas, vem algo interessante que Aquiles disse, que realmente tem uma lógica : “Eu participei de inúmeras batalhas, diferente de você”. E nisso eu deixo o questionamento para vocês: o que será que é mais importante em uma luta, a experiência de campo de batalha ou a inteligência e técnica adquiridas? Pensem aí e me falem, a resposta de vocês terá a ver com a escolha de quem vence esse duelo! Haha

Agora a outra parte do papel trocado. Semiramis. Sim, ela mesma. A Assassin do Vermelho na verdade é uma Caster? Quando a vi na primeira vez, achei que pela roupa ela seria uma Caster, realmente. E até agora ela não mostrou suas habilidades corpo a corpo e de furtividade/ assassinato que geralmente os Assassins possuem. Mas como o Shirou está lá no meio da guerra, o Shakespeare não faz magia, é até aceitável que ela tenha esse dom de usar magias em alto nível, como ela nos mostrou nesse episódio.

Imagina se ela soubesse muito ? hahaha

Só para lembrar quem já assistiu os outros Fates ou para quem não assistiu, Diarmuid, do Fate Zero/Night, era um Lancer, forte até. No Grand Order, ele aparece como um Caster e muito do roubado, que mistura suas habilidades de Magia e com lança (sendo que ele usa um cajado). Fica a dica de um filme bacana para assistir, menos de 2 horas de duração, comprem pipoca e se divirtam!

Falando em Shakespeare, ele fez algo que é aceitável por estarmos tratando de uma guerra e tal, mas que pra mim é jogo sujo. Técnicas ilusórias, magia que afeta a mente. Logo em quem tem a mente mais conturbada do anime, a Berserker. Fiquei com pena da Frankenstein, tadinha, ela não merecia aquilo. Seu mestre teve de usar o selo de comando para deixá-la calma. Nesse episódio vocês viram o poder do selo de comando; é uma ordem que o servo fará custe o que custar.


Um exemplo claro disso, é no Fate Zero, quando o Lancer, Diarmuid, se mata após o seu mestre usar um selo de comando e ordenar o suicídio. Não vou entrar em detalhes de quem mandou fazer isso e como chegou nesse ponto, é só para vocês terem uma ideia do poder de um selo de comando. 

Bem, eu gosto da Mordred, principalmente das suas provocações: ” Seu Rider sem montaria”, ” Você grita bem então.. a conversa fiada acabou”. Mas uma luta entre os dois preferidos meus, não esperava por isso. É normal a Astolfo tomar um coro da Mordred, sem falar que Astolfo já tinha tomado uma surra da Semiramis, mas a vida de um servo não é tão fácil quanto pensamos.

Agora, esse ponto do episódio foi o principal: Semiramis deu um Kamehameha em Joana D’Arc! Hahahaha. E o pior de tudo, Joana D’arc saiu ilesa! To em dúvidas de quem tem mais Hack nesse anime.

Finalizando esse ótimo episódio, tivemos Mordred sendo desafiada por Sieg. Com total certeza ele vai tomar uma surra de início. Mas, será que ele vai ativar o Hack de Siegfried que ele possui? Ou será que ele vai se tornar Fafnir? Ou será que Joana D’arc irá aparecer para salvá-lo? Essas e outras dúvidas somente na próxima semana!

Ixi rapaz, Sieg chamou Mordred pro x1. Tadinho dele, ou não.

Agradeço a todos por estarem aqui e até a próxima!

Sayonara!

Comentários