Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Grand finale! Exato! Esse episódio de Sagrada foi o “grand finale” desse arco final com tantos altos e baixos. Sendo sincero, de todos os 23 episódios esse com toda certeza foi o melhor. Encerrando a disputa ideológica que surgiu no último episódio, Kei utilizou de todos os seus artifícios — e habilidades convenientes de seus amigos — para finalmente conseguir “convencer” Urachi. Apesar desse arco ter sido altamente prejudicado pelo episódio 21 (que ironia, não?), o seguimento dele foi muito bom. Se no fundo do meu coração eu conseguisse ignorar a existência daquele episódio feito por toupeiras, tenho certeza que amaria com todo gosto esse arco final de Sagrada Reset.

Curta o anime21 no facebook:

Na maior vibe de “Vou de Táxi” do Luciano Hulk, tivemos um episódio inteiro apenas com diálogos e, ainda por cima, dentro de um carro — que mais parecia um Uber. Eu não vou ficar narrando o diálogo dos caras, até porque isso tornaria este artigo algo mais descritivo do que argumentativo, então, para ilustrá-los, utilizarei de muitas imagens; um mix de verbal e não-verbal.

Bom, mas e aí? Enrolei, enrolei e não cheguei a lugar nenhum. O que fez esse episódio ser o melhor até agora, afinal? Apesar de ter sido um episódio focado apenas em diálogos — algo comum em Sagrada — o teor dos diálogos foram muito bons. “Como assim teor?”, você se pergunta. O conteúdo, sabe? O método que o Kei utilizou para persuadir o Urachi foi simplesmente genial. O negócio já se mostrou verdadeiramente bom quando no início do episódio o próprio protagonista se fez de refém para que o motorista do carro não seguisse as ordens do Urachi. Não sei vocês, mas pelo menos para mim, essa parte foi totalmente inesperada.

Em seguida, dando seguimento ao seu plano, Kei começou a citar uma forma de salvar os pais de Urachi e ainda por cima de manter as habilidades em Sakurada. No plano de Kei, bastava Sakagami transferir a habilidade do pai de Urachi para outra “coisa”, e que Kagaya parasse o tempo dessa “coisa”. Entretanto, da mesma forma que eu me incomodei com esse plano, com Urachi aconteceu o mesmo. Inicialmente, a ideia do Kei era de parar o tempo de outra pessoa; sendo assim, querendo ou não, mesmo que o pai de Urachi fosse “salvo”, outra pessoa teria que ser sacrificada de qualquer jeito, então… isso realmente seria justo? Porém, ao perceber o descontentamento de Urachi, Kei logo partiu para o seu plano (real), que no caso, era de transferir a habilidade para um gato e depois parar o tempo do animal. Não querendo ser chato, mas no fim, eles não estariam sacrificando de qualquer forma uma forma de vida? Eu sei que para eles um ser humano possuí um peso maior, mas na lógica deles de não querer sacrificar ninguém, um animal deveria ser incluído também. Contudo, na minha posição, eu também faria o mesmo.

Aliás, vale notar que nenhum animal em Sakurada havia demonstrado possuir qualquer tipo de habilidade antes; isso é até mesmo citado pro Urachi, que diz que o plano não funcionara por animais serem justamente “animais”, não possuindo um “desejo” humano. Entretanto, se lembram daquela garota que consegue controlar gatos enquanto dorme? Pois é… No início, sempre achei a habilidade dela inútil, mas parece que ela realmente tem uma utilidade, no final das contas. Mas, ela é uma amante dos gatos, certo? Será que ela realmente topará sacrificar um gato? Eu não sei se essa parte será mostrada, mas se isso realmente acontecer, estaria indo contra o que a personagem demonstrou durante todo o anime. Bom, não que isso seja importante, até porque ninguém liga para os personagens de Sagrada, só ligamos para as habilidades mesmo.

No fim, outra surpresa apareceu diante de mim. Antes, estava me perguntando o motivo daquele amigo de Kei estar no carro; inicialmente, pensei que ele estava ali apenas para bancar o “guarda-costas”, mas não foi bem isso que aconteceu. Ele realmente teve uma utilidade — bem surpreendente, por sinal. Após Urachi continuar negando o ideal de Kei, o protagonista revelou que na verdade não queria convencer Urachi. Com o seu amigo no carro, que possuí a habilidade de enviar mensagens telepáticas, Kei conseguiu alcançar Kagaya, que estava junto de Haruki. Todo o diálogo de Kei e Urachi foi ouvido pelo homem, que sempre sentiu culpa por ter parado o tempo dos pais de Urachi. Bom, Kagaya aceitou ajudar Kei nesse plano e Urachi finalmente “se rendeu”.

Eu não consegui passar a real essência desse episódio, provavelmente. Creio que ainda falta muito para que eu me torne um bom redator, mas eu realmente tentei. O episódio, no geral, assim como já disse antes, foi o melhor do anime até então. Sagrada Reset é um anime que possuía um grande potencial, mas desperdiçou isso com coisas inúteis e sem sentido, além de conveniências e furos no roteiro. Apesar dos pesares, esse não foi o último episódio de Sagrada, ainda tem mais um — que é o último. Esse episódio deve focar em Soma e concluir enfim o anime.

Comentários