Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

E falta mais um episódio para chegarmos na metade da segunda temporada deste anime! Ele está cheio de fortes emoções, e não podemos nos esquecer que a autora também dá ênfase aos personagens secundários, ao menos um pouco. O jogador da vez, o qual sua história é contada resumidamente, mas não o deixa menos importante, é o Junkei, que também é criador de pombos para corrida. Além disso, temos também holofotes sobre a Hina-chan, a qual viveu um dos momentos mais felizes desta temporada.

Curta o anime21 no facebook:

Junkei, 5-dan, classe C-1, o qual só pode participar do Torneio dos Novatos por causa de seu dan. Esse torneio permite com que jogadores com menos de 25 anos ou em 5-dan participem. A idade do jogador não foi dita, mas por causa de sua personalidade e seu modo de vida, chutaria mais ou menos 35 anos (talvez eu até esteja sendo um pouco maldosa, mas acredito que seja mais ou menos nessa faixa, sim). Além de ser um jogador conhecido como “estagnado”, é também um cuidador de pombos para corrida.

E não é fácil para alguém assim ficar longe de pessoas que gostam de puxar o tapete das outras o tempo todo. Funcionários de uma empresa (que ele trabalhava, creio eu) fazem perguntas sobre a sua vida e ainda dão opinião como se tivesse pedido alguma. É que nem eu falar que fiz Biomedicina e a pessoa perguntar se é que nem enfermagem e dissesse para arranjar algo na minha área logo, como se fosse a coisa mais fácil do mundo. E Junkei queria jogar as mesmas coisas na cara deles, mas por sua postura e por não querer arrumar confusão, preferiu mil vezes ficar calado.

Com toda sua integridade, ele se levantou e foi embora

O personagem também tem um pombo, o qual sumiu depois de uma corrida que participou. O medo de perder o amiguinho e o medo de conseguir dar um passo a mais no shogi se misturaram, criando uma espécie de bloqueio nele. Acredito que ele sente muita admiração por Kiriyama e Nikaidou, porque não importa quantas vezes eles caíssem, ou então quantas vezes procurassem algo e não encontrassem, ambos conseguiam levantar e continuar seguindo em frente, enquanto Junkei ficava estagnado e com medo, achando que nunca conseguirá encontrar o seu caminho.

O medo que o impediu de seguir em frente

E, além de admiração, eu poderia dizer que também sente muita inveja por seus rivais conseguirem coisas tão jovem, algo que ele também conseguia, e hoje não alcança mais. A sua luta seguia confusa e parada, podendo até torná-lo ansioso e inseguro. E vendo a condição em que Nikaidou se encontrava, e lembrando daquela frase que parecia mais aquela música do Renato Russo (“Quem acredita, sempre alcança”), o seu rival caiu na sua frente, trazendo-o a vitória. Porém, o mesmo não se sentiu digno. Aquelas flores que Junkei cultivou e entregou para Nikaidou em forma de buquê foi entregue como um pedido de desculpas (na minha cabeça). E, com esse ato de paz e medo, o seu pombo voltou, transformando a sua vida em prata outra vez.

Um misto de “melhoras” e de “desculpe”

E temos a Hinata também, que teve um momento de alegria quando Kiriyama a encontrou em meio à sua viagem. A alegria foi tanta que ela até conseguiu comer. E não é só isso! Ela também comeu demais assim que voltou, como promessa do protagonista. Lembram que ele tinha dito que ia lhe comprar quantos doces quisesse quando a garota voltasse de viagem? Então! Só que ele não contava com o super combo que viria! Além do mais, Hinata e Akari pediram o que não cabia no estômago, e o que o avô delas e o Kiriyama pediu foi multiplicado por três. E assim passou a noite, com as meninas quase rolando e Momo quase fazendo xixi em suas roupas (lol).

O remédio da Hinata é o próprio Kiriyama

Muito obrigada por lerem este artigo até aqui, e nos vemos no próximo!

Comentários