Bom dia!

Montar o quebra-cabeça. Botar ordem na bagunça. Guia. Detonado. Como preferir chamar, alguns termos são mais apropriados, outros são menos, mas o que importa é a ideia.

Dies irae é um anime confuso pra caramba, demorou para começar de verdade, teve um prólogo incompreensível, demorou para dizer sobre o que se tratava, e tenho a impressão que nem o protagonista sabe ainda porque está tendo que lutar, só sabe que se não lutar, pessoas queridas para ele irão morrer. E provavelmente o inimigo não permitiria que ele não lutasse de todo modo.

Perdão por quase um mês de blecaute de artigos de Dies irae, mas escrever sobre tantos episódios ao mesmo tempo talvez tenha me permitido reunir uma massa de informações suficiente para entender melhor – e explicar nesse artigo – o que está acontecendo, afinal, nesse anime.

Ou talvez não. Enfim. A primeira dificuldade é entender quais são os lados em conflito, quem são os núcleos de personagens e o que eles querem. Que a grande oposição do anime é entre Ren e Heydrich é óbvio, mas a quem pertence a lealdade de todos os demais? O que está em jogo só veio a ficar claro muito mais tarde do que eu gostaria: Berlim foi sacrificada durante a Segunda Guerra (isso significa: toda a população de Berlim, basicamente) para que Heydrich obtivesse poder suficiente para destruir tudo. O que isso significa? Não sei direito, mas como ele não conseguiu, ajambraram uma cidade no Japão especificamente para que fosse sacrificada – como Berlim foi, e prepararam vários detalhes para garantir que, dessa vez, vai dar certo. Notavelmente, fizeram um clone de Heydrich: Ren.

De alguma forma, ao destruir a cidade, algumas pessoas que tenham colaborado para isso e que são escolhidas sei lá de que forma se tornam imortais e têm um desejo atendido. É por isso que luta toda aquela gente esquisita que apareceu pra perturbar a vida do Ren. Mas se lutam por objetivos pessoais (nada é mais pessoal que um desejo), então não necessariamente estão todos ao mesmo lado. Sequer estão todos pretendendo obedecer Heydrich à letra. Ainda mais considerando que não necessariamente todos se tornarão imortais e terão seus desejos atendidos. Assim, a coisa toda é na verdade uma competição e as lealdades podem mudar a qualquer momento. Sempre destacando que esse é o objetivo do padre Trifa, da Sakurai, do Wilhelm e companhia apenas: Ren e Heydrich têm objetivos diferentes.

Ren obteve Marguerite, ou Marie, que é um espírito de uma garota que nasceu enquanto seu pai realizava uma execução na guilhotina e por isso foi amaldiçoada com o poder de decapitar quem quer que a toque e com um olhar de sonsa. Agora ela está ligada à Ren e lhe confere seu poder e, se entendi, todos os demais obtêm seus poderes de forma semelhante mas apenas a Riza, além do Ren, manifestou um espírito. E ela acabou de morrer, mas logo chego nela. Assim, a Marguerite é um personagem que não quer nada, não importa no grande esquema das coisas, existe apenas para que o Ren tenha poder.

Todo mundo na escola está estranho e ela é um dos alvos conhecidos? Que tal dormir o dia inteiro no colo da sua waifu guilhotina?

De forma análoga, a Kasumi, a amiga de infância, existe apenas para que o Ren tenha um ponto fraco. Ela nem sabe o que está acontecendo ainda, de todas as formas possíveis ele vem mantendo-a no escuro, e até há pouco esperava-se que ela não tivesse nenhum poder. Foi revelado que ela é descendente de Riza, filha de um filho seu que deveria ter morrido mas que, aparentemente, ela escondeu que havia sobrevivido. O detalhe mais grotesco é que ele parece ter sido concebido enquanto ela transava com o cadáver de seu pai. Oh, bem… cada um com seus gostos, suponho? Talvez a Kasumi vá desenvolver algum poder por conta de sua linhagem? Acho que não, aposto que foi apenas para justificar as ações da Riza mesmo.

Reunião emotiva

Um pouco mais útil é o amigo de infância do Ren, Yusa. Ele parece ter nascido com o mesmo poder que Heydrich já descreveu possuir: ele tem capacidade de prever o futuro de forma limitada – aparentemente, sempre que está em batalha. Assim, ele é “imortal”, mesmo sendo um humano normal. Uma boa amostra de seu poder foi vista em sua luta contra Wilhelm, que varre o chão com Ren mesmo depois dele obter o poder de Marguerite e conseguir controlá-lo: Yusa venceu Wilhelm, que só não morreu porque ele é que nem o robô de metal líquido de Exterminador do Futuro 2 e mesmo ser congelado com nitrogênio líquido e atropelado em seguida não foi suficiente para o matar. Yusa tem um caso com Honjou, de quem não desgruda, e ela possui o poder de ser podre de rica e manjar muita coisa sobre a cidade. Atualmente os dois estão desaparecidos após lutarem contra Rusalka quando ela atacou a boate da Honjou – mas pode apostar que estão vivos.

A última vez que Yusa e Honjou foram vistos

As coisas começam a complicar na hora de tentar entender os supostos vilões. De primeira importância é o “trio da Igreja”: o padre Trifa, a freira-que-na-verdade-é-uma-assassina Riza, e a Rea, amiga de escola do Ren e da Kasumi. A Rea é uma garota misteriosa que não está lutando por nada, mas parece que será instrumental em alguma etapa do plano de Heydrich, e está desesperada por causa disso – pediu até mesmo para Ren matá-la, se for necessário. Riza quer que Ren salve Rea, o que quer que isso signifique, e Trifa diz “amar” Rea, o que quer que isso signifique. A Riza também tinha a tal relação de parentesco com a Kasumi, já mencionada, e morreu para salvar Ren e Sakurai no último episódio.

O padre Trifa é o mais complicado. Parece ser, dos em terra, o mais importante aos olhos de Heydrich, quase um porta-voz. Mas parece ter uma agenda própria. Para começar, tem a estranha relação dele com a Rea. Talvez ele pretenda apenas dar um golpe no Nazista Dourado, usurpar o seu trono e tomar a Rea para si? Aliar-se com Ren, o que ele propôs no final do episódio 10, é útil para isso, mas também não se pode descartar que ele esteja na verdade interessado na Kasumi – ela pode ter algum poder, afinal. Talvez ela possa tomar o lugar de Rea? Assim, Trifa sacrificaria Kasumi para salvar Rea?

O time dos vilões. Não sei quem é o Senhor Cadáver aí ainda.

A Sakurai parece ser a única esfinge sem segredos. Ela quer acabar com a maldição que acompanha a família, e parece querer rever seu irmão morto também, e é isso aí. Para isso precisa ser uma das escolhidas quando a cidade inteira for sacrificada e coisa e tal. É bastante inocente e a única que parece ter simpatizado de verdade com o herói, embora para alguém tão míope em sua missão isso não signifique muita coisa. Se mandarem ela matar o Ren provavelmente não irá hesitar muito.

Rusalka matou geral na boate dançando ao som do ritmo do Genocídio Nazista

Os demais contestantes, Wilhelm, Rusalka e o falecido Spine não parecem ter grandes planos. Bom, eles devem ter seus desejos, né? Mas o anime não faz questão que saibamos quais são. E tem os imortais que estão ao lado de Heydrich na cidade dourada. Dois já apareceram, deve haver mais mas não sei se aparecerão: Eleonore e Göetz. Ela tinha a missão de abrir a quinta suástica e matou a Riza no processo, enquanto ele parece ter a função de matar ou combater Ren e acaba de aparecer, não fez nada ainda. Eles já tiveram seu desejo atendido e ganharam esqueletos gigantes super-poderosos, e continuam obedecendo o Nazista Dourado por alguma razão que não compreendo. Não poderão realizar outro desejo. São escravos de Heydrich? Ou gostam muito dele mesmo?

Heydrich cansou de esperar e mandou Eleonore resolver o assunto

Por que Heydrich enviou imortais fazerem serviços que os demais em terra deveriam fazer? Pressa? Falta de confiança? Qual o papel de Mercurius em tudo isso? Ele anda sumido. No final das contas, escrevi tudo isso mas tenho a impressão que o que eu pensei ser um quebra-cabeças na verdade é um monte de Cheetos que caiu no chão.

Discussão