Opa! Tudo bom com vocês?

Overlord já está no episódio sete, e as coisas parecem estar se movimentando mais do que antes. Nesse episódio, foi possível entender mais do que está acontecendo e do que estará para acontecer, fora algumas especulações que são possíveis fazer.

Se Overlord tem um problema para mim, esse problema seria a irregularidade que tem quanto ao ritmo dos arcos. Uma hora parece que não vai acabar nunca, e em outra hora o arco passa tão rápido que você nem assimila direito o que aconteceu. Esse arco não deixa de ser um exemplo dessa irregularidade, já que ele começou a todo vapor e não aparenta se ajustar a um ritmo mais equilibrado tão rápido assim.


Eu não tinha pego muito bem a essência do episódio anterior sobre a tal “Oito Dedos” ou sobre o que estava acontecendo, mas o episódio dessa semana facilitou muito mais a compreensão.

Pude entender, por exemplo, que na alta classe do reino existem duas facções importantes: a dos nobres, e a real. E apesar de terem mostrando seu lado totalmente ganancioso (que, para mim, é o único lado existente), a princesa em contrapartida pareceu se preocupar muito com a máfia no reino, usando suas conexões com a Rosa Azul. Ela pareceu ser do tipo toda boba, porém mostrou um lado muito inteligente e em parte ainda misterioso, afinal, não devem chamá-la de monstro por nada, certo?


Novamente também, apareceu o chefe do exército que tem sido muito útil no quesito “espalhar o nome de Ains Ooal Gown”, muito provavelmente por ter sido salvo pelo Ains e percebido o quanto precisa melhorar.


E a “bomba” do episódio, sem dúvidas, foram os últimos 3 minutos, quando Solution diz ter provas sobre sua suspeita de que Sebas está traindo Ains. Eu não a condeno uma vez que eles estão dentro de Nazarick e qualquer outra pessoa pode ser suspeita, assim como acho muito estranho Sebas não ter falado para Ains sobre a Tuare, afinal, qual o propósito nisso tudo?

E é isso pessoal. Nos vemos na próxima! Bye :3

Discussão