Tenho a impressão que muitas sinopses de animes não são tão bem elaboradas, a ponto de parecer que a obra é pior do que realmente é. No caso deste anime, não ocorre bem isso, mas sua sinopse faz o parecer um show muito questionável, pois na sua sinopse está escrito que uma garota universitária se apaixona por uma garotinha do ensino fundamental. Isso é absurdo, não é?

Todavia, ao ver Watashi ni Tenshi ga Maiorita! percebo que este show não é ofensivo e desprezível quanto sua sinopse sugere. Sua história gira em torno de Myako, uma universitária que aparenta ter fobia social, visto que ela fica extremamente ansiosa perto de outras pessoas que não sejam da sua família, tendo dificuldades de olhar diretamente no rosto de quem ela interage. A própria expressão facial da protagonista indica que ela o alto grau de ansiedade que ela possui.

Myako gosta de fazer roupas para cosplay, mas não tem coragem de vesti-las, pois tem baixa auto-estima, então ela faz que sua irmã mais nova vista as vestimentas que ela faz. Myako tem uma boa aparência, mas parece que a mesma não preocupa muito com sua aparência, visto que ela está sempre com a mesma roupa, apesar dela ter senso estético a respeito de moda, afinal ela costura roupas fofas para cosplay.

As garotinhas apresentadas são muito fofas, e isso não é novidade, pois crianças possuem uma fofura natural. Entretanto, crianças nem sempre são anjinhos, pois elas podem fazer diabruras que deixam quaisquer responsáveis bastante irritados.

Na mente da Hana, a Myako é assim

A Hinata, irmã mais nova de Myako, é a tipica criança agitada que tem energia para dar em vender. Ela parece gostar bastante de sua irmã mais velha, e é muito sincera. Já a Hana, amiga de Hinata, é uma garota introvertida que gosta de comer. Na visão de Myako, ela é um anjo em forma de menina. A produção do anime reforça muito bem o lado fofo das personagens, em especial da Hana. No fim do episódio aparece mais outra garota que se juntará as demais, e que provavelmente proporcionará cenas divertidas.

A parte cômica funcionou comigo (comédia é pessoal), principalmente a interação de Hana com Myako. Apesar da imagem pueril, Hana não é ingênua, pois sabe se defender de pessoas com atitudes suspeitas. O olhar de nojo e a pena que ela tem da protagonista é bem engraçado.

A direção foi competente na cena do encontro entre Myako e Hana, fazendo que a garotinha (Hana) tivesse uma aura angelical em torno dela.

Watashi ni Tenshi ga Maiorita! (Wataten) possui potencial para ser um divertido anime de garotinhas fofas fazendo coisas de maneira fofinha, afinal ele possui um trunfo que outros animes do estilo não têm, que é a fofura angelical e pueril que só uma criança possui.

Fofura angelical

 

  1. Avatar

    O que dizer deste primeiro episódio de Watashi, ele foi bom e teve momentos de fofos (como se vê na última imagem do artigo).
    Começando pela parte técnica, o estúdio Doga Kobo nunca decepciona a fazer comédias, os cenários simples de Watashi, junto do design das personagens são muito funcionais e a fotografia e som estão no ponto certo.
    Quanto à história em si, fiquei interessado depois de ter lido que Watashi teria semelhanças com Uzamaid e este primeiro episódio de Watashi ni Tenshi Ga Maiorita provou ser um pouco mais leve e fofo. Em Uzamaid havia aquela personagem “especial” chamada Tsubame que de vez em quando sabia ser bem “esquisita” e com gostos estranhos e este anime tem uma discípula dela, a Miyako. Em ambos os animes (em especial Uzamaid) parece que têm coisas meio erradas e tal, mas para mim não me incomodam em nada, mas percebo a quem incomode (ambos os animes têm personagens com zelo de mais por crianças e isso meio que é errado).
    As personagens apresentadas neste episódio são muito divertidas, a Hinata além de ser alegre ela tem a dádiva da honestidade, ela desmente a sua irmã mais velha em frente dos outros sem problema algum (o velho, doa a quem doer). A mãe da Hinata e da Miyako é nota 10, só as mães de verdade dão um castigo severo depois de verem os filhos a comerem porcarias antes do jantar.
    A Miyako, essa é uma versão soft da Tsubame de Uzamaid, ela tem umas reacções engraçadas, é boa confeiteira (como se viu pelos doces que a Hana comeu) e melhor ainda gosta de fazer vestidos para cosplay (mais semelhanças com a Tsubame impossível). Desde do começo do episódio que se nota que a Miyako tem pouca auto-estima, ela não usa vestuário mais feminino, anda sempre de roupa de educação física e nota-se também umas pequenas oscilações de humor, isto até a Hana aparecer. A reacção da Miyako ao ver a aura angelical da Hana ela mudou da noite para o dia.
    Por fim, a Hana, o anjo do anime, ela é bem madura para a idade que tem, a reacção dela para com as atitudes da Miyako, só mostram que a pequena sabe se defender. Isso e a fofura de mais de oito mil, quando vemos a a Hana a comer doces, parece a visão do paraíso. A outra personagem que apareceu no final, tem tudo para melhorar o anime, só pela imitação de transformação em Mahou Shoujo já deu para ver que ela é engraçada (só a Miyako que não achou muita graça.
    Antes de terminar, quero ver se o anime mostra o porquê da Miyako não gostar de se vestir com as roupas de cosplay que ela fez, ela é meio rechonchuda, mas não é feia, está longe disso.
    Excelente artigo de primeiras impressões Flávio.

Comentários