Bom dia!

Onodera ainda está chocada com o que viu Izumi fazendo no episódio anterior. E com razão! Querendo entender, talvez, ela vai buscar a resposta nos livros. Mas será que não está despertando nela uma curiosidade, ou talvez até algo a mais?

Começa a cobertura semanal de Araburu Kisetsu no Otome-domo yo no Anime21! Quem me conhece, já tinha previsto isso, não? 😊

 

Izumi tentou conversar com Onodera, mas não deu muito certo

 

Não satisfeita com o que leu, Onodera decide interpelar seu pai sobre o assunto, mas eis que Izumi estava na casa dela! Imagino quanta coragem o garoto precisou para estar lá.

E a primeira coisa que ele faz é tentar aliviar o clima estranho que ficou entre os dois amigos de infância. Não dá certo.

Tentando escapar do tema, Onodera diz que ia perguntar a seu pai o que em uma garota faz um garoto gostar dela. Um tema bastante comum, cuja pergunta esconde mais do que revela: por que ela quer saber como uma garota deve ser ou fazer para atrair garotos?

Será que ela gosta de alguém? Isso com certeza passou pela cabeça do Izumi. Como ela evitou responder, e como ela continuou evitando o próprio Izumi durante a maior parte do episódio, a confusão se instalou no coração do jovem. Onodera não percebeu isso.

O que ela percebeu é que obviamente a circunstância toda foi muito mais constrangedora para o Izumi do que para ela, e portanto ela exagerar a reação e evitá-lo, enquanto ele está tentando consertar as coisas, acaba sendo cruel da parte dela. Sem querer, mas cruel.

Pensar nisso a leva a questão seguinte: e se fosse o Izumi que a pegasse se … se … opa! Que coisa para se pensar enquanto está no banho! Agora ela está mais confusa do que nunca.

 

Sonezaki fica completamente sem reação depois de ser elogiada por Amagi

 

Quem também ficou confusa nesse episódio foi Sonezaki, a presidente do clube de literatura. Os avanços indiretos-mais-que-diretos do Amagi a deixam desconcertada. Ela pode ser um ano mais velha que a Onodera, mas parece ainda estar no mesmo nível de maturidade sexual – e parece reagir de formas muito mais escandalosas.

Sonezaki acaba sozinha com ele depois que erra feio um salto no cavalo e bate a virilha com tudo no equipamento. Mas nem a dor e nem a humilhação pública eram suas maiores preocupações: será que ela rompeu o hímen no acidente?

Foi a pergunta que uma das garotas fez. Estou interessado nessa garota, porque enquanto as suas duas outras amigas riam loucamente, ela parecia estar mesmo preocupada e com pena de Sonezaki. Será que isso significa alguma coisa?

 

As garotas riem de Sonezaki - exceto a loira, à direita, que depois perguntou legitimamente preocupada se o hímen da Sonezaki não havia se rompido

 

Um aparte: sobre o tema do hímen rompido, é importante entender que o hímen não é um indicador de virgindade, ao contrário do que se acredita, e que um acidente como o da Sonezaki (chamado “queda à cavaleiro”) dificilmente poderia romper o hímen. Mas isso é só o Anime21 fazendo serviço social, o importante é que a Sonezaki estava preocupada de verdade.

Mas por que a presidente estava tão preocupada com seu hímen? Com sua virgindade? Expectativas sociais pesam sobre ela, é por isso.

A escritora do clube, Hongou, tem um problema diferente, mas talvez não tanto. Seu manuscrito foi rejeitado pelo editor, que no entanto a estimula a continuar tentando. Uma história erótica escrita por uma colegial vai fazer sucesso, garante ele!

 

Hongou após ter seu manuscrito rejeitado pelo editor

 

Nesse ponto eu tenho que parar e questionar: será que a Hongou queria escrever uma história erótica em primeiro lugar? Ou será que seu editor a forçou a isso? Ele me pareceu bastante manipulador com aquela conversa de que se não for a Hongou, para ele não é problema porque há outras garotas disponíveis. Há mesmo? Não importa, o que importa aqui é a chantagem emocional. Em seu pior momento, ele sugere que a Hongou deva buscar adquirir “experiência” para escrever melhor.

Sim, não tenho dúvida que uma história erótica escrita por uma adolescente faria sucesso. A gente sabe que vai fazer, não sabe? Só porque a autora é uma adolescente, projetamos nelas uma série de conceitos – ou, como já coloquei acima, de expectativas sociais.

O caso mais grave sem dúvida é o da Sugawara. Não é porque ela sofreu um acidente, como sofreu a Sonezaki. E ao contrário da Hongou ela não pode apenas desistir – ou sei lá, tentar outra editora. Ela é bonita. É só por causa da aparência dela, e nada mais, que os homens (adultos inclusive!) criam certas expectativas e fantasias.

 

Sugawara conversa com Onodera depois de passar por um aperto com um assediador

 

Sugawara aprendeu a lidar com isso, mas a melancolia que acompanha a personagem por onde quer que ela vá revela que apenas lidar não é o bastante para ela conseguir ser plenamente feliz.

Contra tudo e contra todos, as garotas têm seu espaço seguro: o clube de literatura. Antes disso, a Sugawara teve outro: ela fez parte de uma trupe de teatro, onde por sinal aprendeu a afugentar os assediadores, como visto nesse episódio.

E a Onodera? A Onodera tem sua própria dose de expectativas sociais para suportar: seu amigo de infância cresceu e ficou bonito e popular, enquanto ela continuou “sem graça”. Que “direito” tinha ela de estar ao lado dele?

É por isso que ela chora quando os homens no poder naquela escola invadem o refúgio das garotas e decretam seu fim. Arbitrário, tirânico, opressivo. A cena toda é óbvia o bastante, não preciso me alongar sobre ela. Ou preciso?

 

Dois homens de poder na escola vêm informar as garotas de que o clube de literatura será dissolvido

 

Elas só querem ser elas mesmas, como a Sugawara disse, e isso é de suma importância nessa fase da vida em que justamente definimos nossas identidades em meio à mudanças bruscas em nossos corpos, relacionamentos e, claro, no que a sociedade espera de nós.

E é ali no clube de literatura que elas podem ser elas mesmas, e a ameaça de sua dissolução iminente, junto com todo o resto pelo que estava passando, jogou Onodera às lágrimas.

Ela gosta do Izumi?

O assunto provavelmente já estava no fundo de sua consciência faz algum tempo, e ver o amigo receber uma declaração só a deixou ainda mais confusa.

 

Izumi recebe uma declaração de amor

 

Sobre a declaração, aliás, gostaria de comentar brevemente como a garota que se declarou executou todo um protocolo cuidadoso para tentar arrancar a resposta positiva. Pelo que vimos no episódio anterior, ela não gosta dele, só está interessado em sua boa aparência e em contar pontos em seu círculo social por conseguir um namorado popular.

Ela é uma má pessoa? A essa altura, à primeira vista, parece ser o caso, mas note que ela está apenas jogando de acordo com, adivinhe só? De acordo com as expectativas sociais.

Em todo caso, tendo flagrado de novo o Izumi, a Onodera sai correndo mais uma vez. Sua mente é um turbilhão cada vez maior. Ela está preocupada (com ciúmes!) que o Izumi não rejeitou completamente a garota mesmo dizendo “não gostar de ninguém”.

Tenho para mim que ele está no mínimo interessado ou curioso sobre a Onodera, mas o que ele poderia fazer? No começo do episódio ela se esquivou da mesma questão, lembra? Será que ela gosta de alguém? Em sendo assim, que adiantaria ele gostar dela?

E o episódio termina com a Onodera chorando no clímax mais uma vez: ela está apaixonada pelo Izumi.

Mas está mesmo? Eu já sou velho e não sou romântico mais faz tempo, então tendo a acreditar que ela está apenas levemente interessada ou curiosa, enquanto seus hormônios estão em ebulição. Quando a Sugawara perguntou com quem ela faria sexo para que o mundo não explodisse, a Onodera poderia ter respondido diferente? Não parece que ela conheça o bastante nenhum outro garoto.

Não sou cruel, porém. Para todos os efeitos, para ela, o que ela está sentindo é amor. E ela vai reagir a isso do único jeito que ela sabe: ela não sabe.

 

Onodera chora ao descobrir-se apaixonada por Izumi

 

  1. Avatar

    E vcs achavam que eu não iria aparecer…OLLLAAA PEOPLES!!! James transmitindo diretamente do seu bunker!!!
    E anime que na resenha tenha uma considerável quantidade de pontos de interrogação (os de dúvida real e não de indignação que fique claro) é pq esse anime merece (e muita) atenção!
    Agora entendo um conselho dado pelo meu avô quando tinha a idade média dos personagens “meu caro não tente entender as mulheres, vc vai morrer sem…Portanto não se frustre…”
    Mas não me delongarei na brilhante analise d’alma feminina feita pelo bravo “Mexicano” só que das cinco as que mais me chamaram a atenção fora Kazusa foram a Sugawara: fria, calculista e todas as ações dela, pasmen, são extremamente racionais. Ela não tem muita empatia ela está se divertindo com sua capacidade manipulativa (ela não me dá boa vibes não) uma femme fatale….E a Hongou que também é fria, mas ela não se distancia e tem laivos de ironia , ela é uma exploradora desse mundo e acho que no fim quer registrar da melhor maneira esse seu safari. Mas ela tem uma coisa de bom: ela é extremamente combativa, corajosa e sua indignação quando anunciaram o fechamento do clube foi imediata e sincera.

    Como não poderia deixar de notar os personagens masculinos do anime foram decepcionantes…Não teve um fiapo de dialogo masculino que, nós como parte da macharia deste mundo, que ficou com a cara no chão. Vamos a eles: os moleques só falam de sacanagem, os professores são senhores feiosos autoritários quase fascistas, o pai da Kazusa se portando como um adolescente pensando mais numa pizza sem perceber que a filha ia lhe fazer uma pergunta importante e o que faz? Continua lendo o cardápio…Salvou-se bem pouco o Izumi que tenta consertar a burrada do ep 1 (vcs sabem do que eu estou falando) faz aquela manobra com ela para fazer esquecer (decepcionante hein seu Izumi), mas se teve a redenção em recusar a moça (talvez ele não queira se envolver com alguém no momento) com até uma certa elegância e alguma assertividade. A auto-estima masculina universal foi salva por um moleque de 15 anos! Para logo depois ficar boiando no que estava acontecendo (Só faltou um bordão musical: “Men we do not know what we do!).

    E acho que precisamos imediatamente de UMA comentarista mulher para mostrar mais dimensões das personagens de Araburu. Nos homens prometemos ficar sentadinhos e quietinhos quando as senhoritas colocarem vosso comentários…Mas que esse tá bão dimais ah tá!!

    • Tamao-chan

      Olá, James!
      Já que você queria tanto assim o comentário de uma mulher sobre o anime, cá estou! Ahahahaha
      Então, eu me senti muito incomodada sobre o seu comentário sobre a Sugawara ser uma “femme fatale”.
      Primeiro que ela nem queria estar naquela situação. Eu, se estivesse no lugar dela, ficaria muito assustada e nem saberia como reagir, o que dizer e tudo o mais. Ela não estava se divertindo, ela não queria aquele menino que estava arfando ao lado dela, então precisou de um plano, não para se divertir às custas dele, mas porque estava ciente da situação em que se encontrava.
      Na verdade, essa situação é muito comum de se acontecer com nós, mulheres, sendo bonitas ou não. No caso dela, ela admitiu que sofre disso porque É MUITO BONITA MESMO, tipo, muito, e os caras, se aproveitando de suas características físicas avantajadas e de seu rosto muito bonito, vão para cima dela, como se fossem um bando de urubus em cima da carniça. Não é à toa que criaram aquele roteiro sobre DSTs para se livrar de encostos como ele. Isso não é saudável, e se ela quisesse se divertir com ele, não teria um rosto tão triste e melancólico, já que sofre bastante disso.
      E outra coisa: este anime se trata sobre garotas curiosas com questões de mundo que estão fora de seu alcance no momento, que no caso, é sexo. A curiosidade delas vem dos livros, e a história se foca mais nelas e nas atitudes delas do que de qualquer pessoa. No caso, como elas ainda estão muito fechadas sobre as outras pessoas, pode ser que aconteçam mais comentários nojentos vindos dos homens.
      Os professores foram escrotos, alguns meninos foram escrotos, o editor da Hongou foi escroto, e elas precisam lidar com isso, praticamente todos os dias. Não foram todos os personagens masculinos que falaram de sacanagem ou coisa do tipo, mas se você se sentiu ferido, talvez é porque a autora quis que a carapuça service, não? Não sei, não faço ideia, talvez seja um comentário horroroso da minha parte.
      Sobre o pai da Onodera, eu tomo como exemplo o que o meu pai mesmo faria. Ele está lá, com dois adolescentes que se dão(ou se davam) muito bem desde a infância, então ele mal se importou com a situação que estava acontecendo ali. Só queria que se divertissem e relaxassem um pouco enquanto estava em casa, principalmente depois de um dia cheio. Preocupações era o de menos para ele ali.
      Por fim, acho que o artigo do Fábio explicou muito bem o que o anime quis mostrar, e a obra foi muito bem explícita em seu ponto de vista sobre assédio sexual e machismo, então posso dizer com veemência que ele está mais que apto para comentar sobre o anime, sem nem mesmo ser uma mulher para isso. Ele tem experiência em artigos de análises sociais, então pode se contentar com este, porque não sei se aparecerei mais aqui para expor a minha opinião.
      Passar bem.

  2. Avatar

    Apresento aqui minhas desculpas…Mas que fique registrado que a paixão a um personagem não permite a outrem faltar com respeito, civilidade e transbordar arrogância ao expor uma opinião. Sim eu pedi a opinião, um compartilhamento de visão feminina sobre o assunto, na boa…Acho que é hora de eu também partir…Esse foi James “writing off” daqui…Seeya…

Comentários