Existe uma linha tênue entre erotismo e pornografia. Muitos confundem e acabam classificando como a mesma coisa apesar das diferenças. Nessa lista, eu irei apresentar alguns mangás adultos que sim, contém erotismo ao mesmo tempo que tem sim uma história (ainda que em alguns ela seja bem fraquinha). E foi difícil fazer essa lista pois quis selecionar mangás que tivessem uma história que chamasse a atenção positivamente de alguma forma. Ah, e tem uma parte 2 desse artigo bem aqui

Aliás, essa primeira parte (sim, há uma segunda parte planejada!) não contém as melhores obras desse tipo. Ok, na verdade ela tem algumas obras ótimas, mas eu diria que na parte 2 a concentração de qualidade está maior. Outro ponto que vale destacar é que os webtoons coreanos até poderiam estar por aqui se não fossem um bando de hentais nos moldes coreanos, visto que lá pornografia é proibida então é de se imaginar que tenha uma espécie de adaptação. Enfim, sem mais delongas, vamos para a lista.

 

Onani Master Kurosawa

Onani Master Kurosawa

Kurosawa tem uma resenha aqui no blog e por isso sobra espaço para falar sobre a obra ao invés de comentar sobre a sinopse. O mangá foi inicialmente publicado na internet e virou um xodó da comunidade otaku que viu nele uma ótima história com um protagonista que apesar de errar e muito, aprende com seus erros. O mangá traz um desenvolvimento de personagens ótimo e é uma obra que poderia figurar facilmente na parte 2. 

 

Golden Boy

Golden Boy

Golden Boy é um mangá já antigo (1992) e que possui uma adaptação para anime (6 OVAs que adaptam os 5 primeiros capítulos do mangá). A obra segue a vida de um estudante universitário que larga tudo e decide fazer a faculdade da vida para poder aprender sobre várias coisas e ter inúmeras experiências que eventualmente serão úteis. Para muitos, a obra é ótima e para outros, tudo aquilo que vem depois do material adaptado vai de mal a pior.

 

Sundome

Sundome é um mangá… complicado. Quando li, lembro de ter achado a história fantástica apesar de seus problemas bem claros e queria fazer uma resenha sobre. Porém, sendo franco, me senti incapaz de fazer, pois achei que não iria conseguir transmitir toda a grandeza dessa história sobre um romance trágico. É uma obra que apesar de um começo não tão empolgante te prende com sua profundidade e acabou sendo especial para mim, pois eu nunca vou esquecer o mar de emoções que senti lendo ela.

 

Rakujitsu no Pathos

Já Rakujitsu é um hentai onde nada acontece. Ok, ele não é um hentai, mas confesso que quando vi pela primeira vez achava que seria. A história segue um autor de hentai que se encontra com uma professora de sua época de colégio. Ele tinha um grande interesse amoroso nela e agora, mesmo ela estando casada, esses sentimentos voltaram. É uma obra divertida que sempre fica no quase ou talvez antes disso. 

 

Hare-kon

Hare-kon

Hare-kon traz uma premissa bem diferente: uma cidade onde um homem pode se casar com mais de uma mulher, tudo por conta do problema de natalidade do Japão. Apesar da obra parecer só mais um harém, ela consegue nos trazer uma história cheia de comédia e drama, com bons personagens que precisam se ajustar nessa mudança de vida brusca. É uma de obra que trata de maneira “realista” a questão do harém, nos mostrando que tal vida não é tão doce quanto parece. 

 

Minamoto-kun Monogatari

Minamoto-kun Monogatari

A história de Minamoto-kun é mais ou menos baseada no Conto de Genji (Genji Monogatari), considerado por alguns como o primeiro romance literário do mundo, tendo sido produzido no século 11. É uma obra literária muito importante no japão e que infelizmente tem algumas partes que foram perdidas com o tempo. Vale destacar que o mangá possui uma resenha aqui no blog. Aliás, a obra apesar de possuir mais de 300 capítulos tem poucas páginas em cada um, o que torna a leitura mais rápida que o esperado.

 

Domestic na Kanojo

Domekano é uma obra da ótima Sasuga Kei, autora do ainda melhor Good Ending. Esse ano a obra teve uma adaptação para anime com 12 episódios que foi comentada aqui no blog e por isso, temos resenha do anime e um artigo especial onde eu trato sobre as diferenças entre o anime e o mangá e claro, o que acontece no mangá após tudo o que foi adaptado no anime.

 

Futari H

Futari H

Futari ecchi ou Futari H é um mangá que vai lhe ensinar bastante sobre sexo. Sim, temos um casal de virgens que acabou de casar e por isso estão prestes a conhecer esse mundo. A obra teve seu mangá publicado pela editora JBC mas infelizmente foi cancelado e não teve seus 75 volumes publicados por aqui. Ah, vale lembrar que a obra possui 4 OVAs e 3 filmes live action.

 

Kanojo wa Sore wo Gaman Dekinai

Kanojo wa Sore wo Gaman Dekinai

Sendo o mangá mais curto dessa lista, Kanojo wa Sore nos traz uma história que poderá agradar você que curte uma relação um tanto quanto estranha, ou talvez goste do fetiche aluno-professor. Pois bem, aqui temos uma história onde o protagonista veste uma fantasia e em determinado momento é pego numa situação que o faz ser chantageado por sua professora que tem apenas um desejo: cheirar seu corpo.

 

Hetakoi

A última obra da nossa lista é um romance que poderia figurar na parte 2. Sendo sincero eu ainda planejo fazer uma resenha de Hetakoi pois a obra apresenta um romance mais maduro, com personagens universitários e seus problemas reais. A obra está finalizada e apesar das idas e vindas dos protagonistas, a garantia de um final no mínimo satisfatório é garantida. Aliás, não é harém, só para deixar bem claro.

 

Enfim, essa foi a primeira lista de mangás eróticos. Note que a maioria das obras é composta por personagens mais velhos ou ao menos a obra tem alguns temas mais maduros. Outro detalhe é que a maioria está finalizada, o que facilita a leitura. Bom, então é isso, semana que vem eu irei fazer a parte dois com obras ainda melhores que essas (nem todas obviamente).

 

Comentários