Como o próprio título já indica, o final foi digno e ótimo dentro do que toda a competição mostrou. Ninguém saiu completamente derrotado ou vitorioso, mas cada um levou seu prêmio pessoal para casa e a perspectiva de um caminho brilhante e cheio de oportunidades a se agarrar.

O Ayano obviamente mostrou que está bem acima dos outros captando mais pessoas que o normal e até aí não tinha surpresa alguma. O que acontece é apesar do talento e das boas ideias dispostas, o desfile do personagem foi tão rápido que nem deu para sentir tanto assim a emoção – mas isso não comprometeu em grau algum a qualidade do episódio, deixo claro.

É interessante a forma como as propostas de harmonia do Ikuto e do Ayano se diferenciam, afinal o primeiro utiliza esse conceito puxando para a questão do unissex e das diferentes referencias mundiais, escolhendo elementos específicos para interligar todas essas distintas culturas.

O segundo por sua vez pende para o lado das diferentes faces de uma roupa, buscando unir estilos mais simples e outros bem rebuscados, o que fica expresso na similaridades dos tecidos utilizados e no fato de desfilarem duas modelos juntas marcando essa ideia. Foi realmente uma pena que a boa sacada passou tão rápido no anime, mas como eu entendo a limitação do tempo, acho que a direção soube lidar com o que tinha disponível.

O episódio teve até um certo foco no designer, no que me chamou atenção os diálogos com sua avó, porque comprovam o que sempre vi nela. A Mai é uma mulher que mesmo com toda a aura profissional e rígida, quer o melhor para o neto e sabe que ele pode alcançar o sucesso, mas também quer que ele respire e se dê um tempo.

Penso sinceramente que ela é uma boa mentora e chefa, além de vó, claro. O Ayano realmente tem que deixar de mão essa coisa de querer ultrapassá-la, pois para mim está muito claro que ela o força a pensar por si e buscar o próprio desejo, mas ele resiste por um orgulho besta e que eu não vejo ela alimentar.

Quanto ao resultado eu não tenho muito a contestar, pois interpreto a vitória da Kokoro como algo que não tinha como ser diferente no cenário presente. Pessoalmente eu gostei porque – além de gostar de ambas – achei que as meninas fizeram um ótimo trabalho, usando de uma criatividade única no processo, comparadas aos outros concorrentes.

Ela ter ganho não foi tão chocante porque eu li o mangá claro, mas brincadeiras a parte, acredito que para aquele momento a modelo me parecia a escolha mais viável junto da Chiyuki, afinal as duas precisavam dessa virada mais do que qualquer um, inclusive o outro protagonista.

Se formos olhar direito, ainda tinha uma questão muito simples que era a rivalidade entre Ayano e Ikuto que sempre teve seu destaque. Pensem comigo, se o Ikuto vencesse porque o Ayano desistiu, seria mesmo uma vitória para ele? Acho que não e o autor entendeu bem isso.

Também não houve forçação de barra como muitos devem achar, afinal sem o Ayano na linha de frente a concorrência se igualava bastante. Cada um tinha seus méritos e qualidades, no entanto a Kokoro tinha um apoio extra que os demais não tiveram, a Seira.

Como eu apontei antes, a reação e o voto da supermodelo, são a prova de que ela não estava votando por bondade, mas por egoísmo, afinal se alguém tão promissor como a Kokoro sair do páreo, ela mantém se mantém no poder. Uma pena, mas ela esqueceu que no caminho dela tem uma pedra pequena, mas preciosa chamada Chiyuki.

O Ikuto também não saiu de todo derrotado, pois tirando o Ayano, ele foi o único que recebeu oportunidades de vender suas peças – a diretora fez questão de enfatizar isso. Como um extra já meio que previsto, o protagonista ainda ganhou uma chance de entrar na Geika pelo seu esforço, então fazendo as contas gerais talvez ele tenha sido o mais premiado.

Vale lembrar que aquele era seu primeiro desafio oficial, ele estava na condição de ser um mero estudante do colegial com boas habilidades de costura e ponto. Isso se confirma com o diálogo entre ele e a menina do time Ayano, que estava indignada por ele desperdiçar o que sabe fazer bem e não ajudar o rival, preferindo sonhar mais alto.

O rapaz apesar de todo o talento, ainda peca pela falta de apoio técnico e experiência, mas como agora ele e o Yanagida vão juntos para a Aphro I Dite, isso vai ter tempo e condição de se desenvolver. Para os curiosos eu adianto que essa fase do mangá é 10/10, mas vou me abster de falar mais para deixar todos com vontade de saber o que acontece com essa dupla.

A Kokoro além do primeiro lugar, se livrou das suas dúvidas e parece ter dado uma segunda chance a modelagem, enquanto busca sua carreira de designer com o apoio sincero da Igarashi. Do outro lado a Chiyuki, além da satisfação com sua vitória pessoal, ganhou sua chance como modelo exclusiva de uma revista famosa.

Falando nela, essa conclusão só reforçou o imenso carisma da personagem, que merece o título de protagonista junto com o Ikuto. Desde o primeiro minuto ela se mostrou interessante, esforçada e divertida, seguindo desse modo até o último minuto sem me desapontar.

Runway de Waratte fecha sua temporada se mostrando uma jornada única de pessoas que mesmo debaixo de todas as limitações impostas, correm sem parar atrás do seu, contando com um toque realista que nem sempre aparece nos demais shounens. Já deixo expresso meu desejo por uma nova temporada, enquanto continuo seguindo o mangá.

Agradeço a quem leu e até o próximo artigo!

  1. Avatar

    Apesar de não ter comentado, acompanhei suas análises deste anime, que foi uma grata surpresa da Temporada Inverno 2020: sem grandes ambições, sem querer ser uma transposição do original, isso é adaptação não uma animação do mangá em movimento; personagens bem colocados e botou nas telas, o mundo da moda de uma maneira brilhante. Curto animes que mexem com carreiras reais e este pega duas, não uma, a de modelo e a de designer de forma que uma complementa a outra. E também estou ansiosa que ganhe nova temporada, este merece.

    • JG

      Escritora que bom lhe ver!
      Uma pena que eu não tenha tido a oportunidade de trocar ideias com você ao longo da temporada, mas fico feliz que tenha vindo ler minhas bobagens mesmo assim kkkkkk. Realmente Runway foi excelente do começo ao fim, sabendo cortar o que precisava ser cortado e jogar no tela o que de fato interessava. Assim como você eu gosto muito de animes que envolvem carreira, ambiente profissional e por aí vai, acho que eles tem um charme único e quando os personagens são bons, você acompanha com mais prazer ainda.
      Estou na torcida por uma nova temporada também, até porque o mangá pega fogo depois daquele desfile – tem muita coisa boa acontecendo com todos ali -, então vamos na fé porque a esperança é a última que morre.

      Obrigado por comentar e apareça mais vezes!

Comentários