Esse anime não cansa de me impressionar e mais uma vez a história ganha contornos dramáticos interessantes, ao passo em que não perde a sua essência leve e cômica, encontrando o equilíbrio perfeito entre esses tons. Quem teve o seu momento dessa vez foi a Sophia e fiquei surpreso com os twists na história da menina, não bastasse o que já sabíamos sobre a sua dura vida até aqui.

Depois da rapida menção a sua pessoa, o episódio decide trazer em seu início uma breve introdução da Atsuko – vulgo Acchan – através dos olhos da Sophia, com direito a todos os acontecimentos que envolviam ela e a amiga, que agora é Catarina.

Apesar de não darem a confirmação direta, os flashbacks jogam tantas insinuações gritantes, que é impossível não chegar a conclusão óbvia de que a menina também ganhou a sua segunda chance em outro mundo, embora eu acredite que em outras circunstâncias obituárias.

A Acchan era uma menina reservada e gentil, que viu na amiga o seu raio de luz, alguém que lhe deu atenção e o carinho que precisava para sair de seu isolamento. Infelizmente a amizade foi intensa porém curta, graças a morte da protagonista, que parece ter sido causada pelo nosso famoso Truck-kun – o responsável pela grande maioria dos acidentes de trânsito no mundo otaku.

Confesso que fiquei chocado ao ver que a Catarina era praticamente uma arborígene selvagem – o que justifica sua forte ligação com a agricultura e a natureza -, porque aquele visual dela só Jesus na causa, o comportamento apenas soma.

Engraçado que não sei se foi impressão minha, mas notei uma certa dificuldade da animação em manter a consistência do cabelo dela nas cenas, pois horas estava mais arrumadinho, horas parecia uma macaca louca. No fim o que importa é que ela é esse bicho solto que a gente conhece mesmo e isso tava visível ali.

Com a perda dela a Acchan ficou completamente perdida e sem chão, mas do seu jeito buscou a superação, no que acredito que ela tenha vivido mais plenamente até que chegasse o momento de sua segunda chance. Por um instante também cogitei a possibilidade de ela ter morrido por depressão, mas com a fala segura dela acabei descartando essa chance.

Os indícios de que a menina é de fato Sophia são inúmeros e um meio que confirma o outro, começando pelo sonho da vida passada e fechando com a afinidade natural entre as duas em vários aspectos.

Como extra ainda posso citar o apoio que ela dá ao possível romance entre a amiga e o Nicol, mostrando um tipo de amor diferente dos outros personagens – incluindo a Mary -, um sentimento mais sublime, puro e fraternal.

No meio dessas revelações, devo dizer que gostei bastante da exploração de mundo que feita pela obra nesse episódio, pois com toda a coisa da magia que está inserida no enredo, seria interessante ver o desenrolar disso no meio do romcom e me trouxeram isso.

Desbravar “dungeons” como avaliação foi uma sacada bem legal para envolver os poderes mágicos e a divisão dos grupos não podia ser melhor, pegando a Sophia e a Catarina com o tom do drama em torno da amizade, completando com o Keith e o Geordo, que como sempre protagonizam os melhores embates pelo coração da lerdona.

Misericórdia, o que é o senso de direção da Catarina? Não fez uma coisa que preste, ativou todas as armadilhas, se perdeu… gente, eu achava que ela tinha um limite pra ser burra, mas já vi que me enganei.

Curioso que ela estava tão preocupada com as flags de romance e com a vida da Maria, que esqueceu que o maior risco a vida dela é ela mesma. Eu ri alto com o desastre ambulante que é essa bicha, a sua sorte está na pessoa resiliente e determinada que é, porque só assim para ela se erguer das confusões em que se mete.

Um mistério que me intrigou foi a sombra que a seguiu quando ela se separou dos outros, pois a mesma apenas vigiava a protagonista meio que ajudando escondido. A Maria ainda viu que tinha alguma marmota ali, mas a princípio fico com a hipótese de que pode ser o presidente manifestando suas habilidades, pois dos presentes em cena, ele era o único faltante cujo poder ainda desconhecemos.

Ainda tem algo mais estranho pois quando a Sophia parte para salvar sua companheira, as duas são salvas por um poder de vento que não pertence a garota e nem ao seu irmão, então seria o presidente um raro caso do garoto overpower que domina vários elementos? Fica a dúvida para os próximos capítulos nos responderem.

Para encerrar com a dupla de amigas, ainda tem um momento bem bonito entre elas nesse mesmo trecho, quando no desespero a Sophia grita que não quer perder a amiga de novo. Acho que mesmo não reconhecendo diretamente a outra, ela vê na nova Catarina a irmã do passado e daí a conexão forte – torço para que logo elas se descubram e revelem uma a outra.

Bom, achei esse episódio maravilhoso – como todos os outros -, mas o toque dado pelo twist das amigas deixou tudo mais interessante, fora os mistérios desse presidente que só vão aumentando. O anime tem sido bem competente no que tange ao desenvolvimento de seus personagens e já quero que chegue o próximo sábado para ver o que mais virá.

Agradeço a quem leu e até a próxima pessoal!

  1. Avatar

    Acho provável que apareçam outros personagens reencarnados na obra, que apesar da comédia, possui tons dramáticos. No episódio em que ela e o irmão postiço vão visitar a loirinha, fica claro que a mãe parece depressiva. Aquela imagem de corda dentro do depósito (que a mãe dela abriu, para pegar os moldes para os biscoitos) deu o que pensar. E o Truck-Sama, cadê a participação especial dele?

Comentários