Sim, sou fã de Arquivo X. Sim, acredito na existência de vida extraterrestre. Não, não acho que aliens fariam algo como o alien de Gleipnir faz, mas me divirto com esse anime e devo reconhecer os méritos, assim como os defeitos, desse episódio. A verdade está lá fora, saia para descobrir.

De cima do muro se pode jogar tijolos em quem está nos dois lados, não acha? Sendo assim, é muito fácil para o alien assumir uma posição aparentemente neutra enquanto vê o circo pegar fogo. Ele nem mesmo é humano, então por que se importaria com uma raça inferior? Só me pergunto se a relação que tinha com a Honoka, a humana que deu vida a esse jogo, significava algo para ele, seria um desenrolar clichê, mas esse alien já é humano.

Aparentar indiferença enquanto se delicia com o júbilo e sofrimento alheio me parece uma maneira bem humana de agir, assim como foi a reação dos integrantes do grupo a carnificina. Só questiono terem ficado de bobeira a céu aberto quando teria sido mais lógico se confinar em suas casas ao menos pelo resto do dia. De toda forma, ao se deparar com algo pesado como a realidade de tirar uma vida é normal que ocorra um “choque”.

Com o Shuichi e a Clair isso já é um pouquinho diferente. Aliás, talvez a melhor coisa desse episódio tenha sido a maneira como foi abordada a complexidade do Shuichi, alguém que ainda se questiona sobre as decisões que toma, mas vem se privando cada vez menos de se omitir. Inclusive, essa sua vontade de sair da ignorância sobre seu próprio passado vem disso, desse amadurecimento, ora trôpego, ora latente, pelo qual ele está passando.

Às vezes a gente espera que um personagem de ficção seja coerente o tempo todo, que sempre progrida, que nunca retroceda ou traia as expectativas, mas como exigir esse desenvolvimento certinho de alguém tão instável feito um ser humano? Não estou aqui passando pano para equívocos do anime não, é só que reconhecer a complexidade da figura representada, um ser humano, também é importante e nesse aspecto o anime é satisfatório.

Digo, acho que esse episódio, e principalmente ele, foi bem-sucedido em trabalhar com a ideia de que o Shuichi tem fraquezas, mas também forças, e que tudo isso faz parte de quem ele é. Pode ser que uma hora ele avance e em outra retroceda, até mesmo se mantenha parado por um tempo, mas uma coisa é certa, é só saindo de sua zona de conforto que ele conseguirá tomar as rédeas da própria vida e para isso precisa reunir as cem moedas.

Tem algo óbvio em que eu não havia pensado, mas se alguém já pode ter reunido cem moedas, então existem mais de cem por aí, não é? Sendo assim, o vilão apresentado no final do episódio pode não ser o único, e como o alien não sai de sua posição privilegiada acho que a trama de desenvolverá da seguinte forma, com antagonistas vilanescos querendo as cem moedas e o Shuichi tentando impedi-los com ajuda da Clair, e com sorte da Elena.

Isso, claro, se o anime acabar em aberto, mas se o final for original o vilão deve ser só o antigo amigo do Shuichi e da Elena mesmo. Enfim, o Shuichi perdeu um amigo que fazia parte do grupo inimigo, que ironia, não? Isso até que justifica as cenas com esse personagem alguns episódios atrás, além de ter servido como combustível para a determinação do garoto e ter nos lembrado o óbvio a esse tipo de anime, nem todos são o que parecem.

Assim como a animação de Gleipnir me pareceu uma jóia vívida nos primeiros episódios, mas nesses últimos tem cada vez mais perdido seu brilho. Dado o estúdio ainda em seus primeiros trabalhos acho que seguraram foi por muito tempo, mas deixar uma cena bacana como a do Shuichi conversando com o alien para o estagiário foi sacanagem. Podiam muito bem ter cortado a saída dele, falharam nisso, menos mal que cortaram bem a luta.

Aliás, o Shuichi ter ido até o alien sozinho foi a maior prova de que realmente está crescendo. Se deixasse o assunto de seu passado nebuloso de lado seria a prova de que não se importa em apenas seguir o que a Clair lhe ordena. Como está tentando desenterrar essa história, que é a história da sua própria vida, e sabe que sair agora do jogo deixaria pessoas que ele conhece e se importa, ou quer conhecer, na mão, ele mandou bem!

O Madoka morrer já me decepcionou um pouquinho, realmente tinha simpatizado com o personagem e ele saiu assim, pelos fundos. Menos mal que o parça dele apareceu e se a luta não foi encantadora, também não foi terrível, e ainda reforçou esse crescimento do Shuichi, afinal, foi a primeira vez que o “herói” matou sozinho, né? Matar não representa maturidade, mas assumir essa cicatriz. carregar esse peso, sim, pelo menos na história.

Enfim, essa tal de Honoka é bem doidinha para topar com um alien e até dar ideia torta para ele, né? Só podia ser amiga da Clair mesmo. As cenas dela com o alien abriram o anime para uma situação que estava meio que na cara e eu que não havia percebido. O zé matinho falou que o Shuichi não era o único na escolinha, que ele tinha amigos, dando a entender que não era só a Elena. Esse episódio sacou as cartas que haviam “escondido”.

Para que um grupo de amigos se dividisse em frente a uma poder inimaginável é claro que alguém teria que ter roído a corda e isso aconteceu. O loiro é o vilão, provavelmente foi quem matou a Honoka e usou a imagem da garota como seu poderzinho, é desagradável mesmo, mas, parando para pensar bem, o estranho não seria se fosse normal? O Shuichi era um beta bobão, a Elena uma tsundere, a Honoka amiga de alien, só carga torta.

Não que esses pontos realmente sejam um problema, não quero ser preconceituoso aqui (até porque a Elena não devia deixar transparecer obsessão para o Shuichi e a Honoka não fez nada de ruim premeditadamente), o que acho é que o anime dá a entender que é um grupo de amigos não tão convencional assim, que mesmo os outros que ainda não foram pincelados não devem ser normais. O Shuichi deve ser o mais comum do grupo…

Agora as coisas estão começando a fazer mais sentido, a Elena quer resolver a situação sem envolver ainda mais o Shuichi enquanto ele tenta escavar seu passado e nele há amizade, traição, morte e, claro, sofrimento. Por isso a Elena está tentando proteger o Shuichi, fazendo o papel de vilã para a Clair e o amado a fim de afastá-lo do perigo a espreita nas sombras da floresta. Mal posso esperar para ver a cara do Shuichi quando descobrir.

Por fim, só é uma pena que restem apenas dois episódios, então ou o anime dá uma acelerada para forçar um arco com o loirinho como antagonista ou no máximo fica na revelação do passado do protagonista. Eu espero curtir qualquer que seja o desfecho, só não curto da ideia de final original, pois até onde sei o mangá vai além disso e dois episódios não me parecem o suficiente para resolver tudo. Jogos só acabam quando todo mundo para de jogar…

Ou quando alguém queima o video game sem querer ao puxar o cabo do controle. Eu já fiz isso. Não faça isso.

Até a próxima!

  1. Avatar

    gostei mt das observações, acho q unica coisa q queria constar a acho q o loiro não era tao mal, acho q houve algum evento q a Honoka morreu dai ele “enputeceu” e usou as moedas pra “revive-la” e ficar junto dele . Digo isso pq ate agora não apareceu ninguém (exceto o carinha verde q morreu braço de laminas q só queria lutar) que era realmente mal, entao acho q sera alguma coisa q deixou ele desse modo

    unica outra coisa q quero ressaltar eh a química entre os protagonistas, acho mt boa ela e eh nisso q o anime me compra +, acho q nessa conexão quando se estreitar + vao conseguir fazer algo parecido com a fusão do epi 7, mas algo melhor controlável mas nao acho q sera no anime, ja tenho certeza q quando terminar vou pular pro manga

Comentários