Esperava um volume cheio de ação e conflito, mas não foi exatamente o que esse teve, ao menos não da forma que eu imaginava, mas isso foi bom, porque esse volume de transição para um arco maior e mais importante foi satisfatório no que tece a construção dos personagens e das situações a serem exploradas. Depois de ler esse terceiro volume minha expectativa pelo quarto só aumentou. Voltemos a distopia?

Ler o artigo →

Overlord é uma light novel escrita por Kugane Maruyama e magistralmente ilustrada por so-bin. A light novel, que já passou há muito das dez edições, teve seu primeiro volume lançado no Brasil (em uma belíssima edição, por sinal) e a adaptação em mangá já foi anunciada pela editora JBC. Você vai comprar?

Ler o artigo →

Ler nunca pode ser sinônimo de obrigação, mas sim de satisfação e caso não tenha lido a minha primeira lista de 10 light novels para iniciantes, e mesmo se tiver, não tem problema, pois estou aqui para fazer mais 10 indicações que acho adequadas para você que está começando a ler light novels agora, e até mesmo para você que já tem o hábito de lê-las, mas procura diversidade. Sem mais delongas, vamos as indicações!

Ler o artigo →

Ascendance of a Bookworm — Honzuki no Gekokujou: Shisho ni Naru Tame ni wa Shudan wo Erandeiraremasen —, que traduzindo fica algo como “A Ascensão de uma Viciada em Livros”; é uma light novel escrita por Miya Kazuki e ilustrada por You Shiina.

Ler o artigo →

Histórias de amor me fascinam, histórias de amor impossível me instigam, histórias de amor à distância me fazem lembrar de experiências pessoais.

Your Name, Kimi no Na wa no original japonês, é a magnum opus de Makoto Shinkai, um filme que engloba muitas das ideias que ele havia explorado anteriormente na carreira, mas tudo com uma roupagem mais pop, mais comercial.

Sem deixar o drama de lado, mas com tom bem menos melancólico, a história de Mitsuha e Taki invadiu não só os cinemas do oriente, mas também as livrarias de todo mundo nesse livro escrito em paralelo com o megassucesso mundial.

E por incrível que pareça, ainda não vi o filme, mas acho que isso é bom, pois assim posso comentar o livro apenas pelo que ele entrega, uma bela história de amor que tem sim seus defeitos, mas esbanja da maior qualidade que eu consigo ver em uma forma de arte.

Ler o artigo →

Didn’t I Say to Make My Abilities Average in the Next Life?! — Watashi, Nouryoku wa Heikinchi de tte Itta yo ne! —, que traduzindo fica algo como “Eu Não Disse Para Tornar Minhas Habilidades Medianas na Próxima Vida!”; é uma light novel escrita por FUNA e ilustrada por Itsuki Akata.

A obra tem anime marcado para a temporada de outono de 2019 e eu não poderia deixar de escrever minhas primeiras impressões sobre o original, né? Sem mais delongas, vamos falar de uma loli medianamente apelona?!

Ler o artigo →

The Hero Is Overpowered but Overly Cautious — Kono Yuusha ga Ore TUEEE Kuse ni Shinchou sugiru —; que traduzindo fica algo como “O Herói é Extremamente Poderoso, mas Extremamente Cauteloso”; é uma light novel escrita por Light Tuchichi e ilustrada por Saori Toyota.

A obra tem anime marcado para a temporada de outono de 2019 e é exatamente por este motivo que me adiantei e trouxe as primeiras impressões de sua light novel. Um isekai “típico” de forte tom cômico e um herói “peculiar”.

Ler o artigo →

Death Note: L change the WorLd é outra light novel do universo de Death Note, mas diferente de Death Note: Another Note ela se passa em uma espécie de universo alternativo no qual o maior investigador do mundo, L, consegue desmascarar o assassino em massa, Kira, só que ele e Watari, seu fiel escudeiro, acabam sendo pegos no fogo cruzado, ou seria melhor dizer, em um ataque cardíaco?

A verdade é que M, quem quer que seja, faz jus a uma franquia tão icônica ao não só adaptar o filme original, mas também acrescentar trechos inéditos, mudando um ou outro detalhe, e, principalmente, tornar ainda mais apaixonante um dos personagens mais icônicos da cultura pop japonesa. É hora de L no Anime21!

Ler o artigo →

Morte é uma light novel escrita por Keika Hanada e ilustrada por Yone Kazuki. A obra possui apenas três volumes e no seguinte momento está sendo publicada no Brasil pela editora New Pop.

O que posso comentar de Morte sem dar spoilers? Não muita coisa, então sim, em algum momento do texto darei alguns spoilers mais pesados, mas pode ficar tranquilo que avisarei antes.

O que posso adiantar sobre o primeiro volume da série? Ele é ótimo, a escrita de Keika prende o leitor, o que resulta em uma leitura para lá de satisfatória, que não se apoia em vícios de escrita comuns no meio otaku.

Aliás, pelo menos esse primeiro volume, que conclui um arco da história, é uma indicação mais que acertada tanto para quem costuma ler light novels, quanto para quem não tem esse hábito.

Sem mais rodeios, vamos a sinopse de Morte (extraída diretamente da light novel)!

Ler o artigo →

Miyamoto Sakura é fofa. Sabe por quê? Ela é fofa. O modo como a expressão dela muda constantemente é fofo. O modo como ela se anima tão facilmente é fofo. Ainda se lembrar da promessa que fizemos quando éramos pequenos é fofo. Seus sei** são surpreendentemente grandes.

…Veja, contando com tudo isso, como ela poderia não ser fofa? E assim esse romance existe para admirá-la. O romance mais puro do mundo… ou era isso o que eu esperava ler, mas não foi bem assim.

Porém, mesmo não entregando exatamente o que promete, e tendo uma penca de outros problemas, por que indicaria a leitura da light novel escrita por Daisuke Suzuki e magistralmente ilustrada por rurudo? Apenas uma história sobre Miyamoto Sakura sendo fofa, tradução livre do título, é um caso bem peculiar de obra que só existe devido a um fator, o moe, e ainda assim o usa de um jeito estranho.

Ler o artigo →