Se eu tivesse que resumir esse episódio final daria para fazer isso em poucas linhas. O roteiro e a forma como as coisas aconteceram foi aquilo que muitos já conhecem: herói e vilão discutem sobre seus ideais, depois o heróis toma uma surra chegando perto de morrer e após algum tipo de incentivo volta a vida e vence a batalha. Porém num cenário de guerra nem sempre vencer a batalha significa algo, ainda mais quando a guerra está quase perdida. 

Ler o artigo →

Nos dois últimos episódios lançados muita coisa aconteceu e mudou. A situação está mais crítica do que nunca e Hank passou por poucas e boas antes de avançar para o próximo passo. Além dele, Schaal também tomou importantes decisões para sua vida e claro, a continuidade de sua jornada que se tornará ainda mais perigosa. No meio disso tudo, também tivemos o início da guerra onde Cain e seus comandados começaram o grande conflito que assolará o país.

Ler o artigo →

O peso que Hank carrega é grande, muito grande. E mais do que nunca ele está com dificuldades de carregar esse peso consigo. Mortes de companheiros, pessoas inocentes e algumas outras pessoas que tinham alguma importância em sua vida. Na teoria todos morreram por conta do poder dos encarnados e isso no fim recai sobre seus ombros, afinal, ele não era só o líder do esquadrão como também representava algo maior que isso.

Ler o artigo →

Hank ainda está desaparecido e enquanto isso, Schaal continua com Claude e seu pelotão em busca de mais encarnados para exterminar. Isso chamou a minha atenção de uma forma especial nesse episódio, ainda mais depois da forma como eles lidaram com a Beatrice. Desde o início vemos o Claude ser bem incisivo nessa questão de exterminar todos os encarnados, um desejo um tanto quanto forte demais para uma motivação tão… comum.

Ler o artigo →

Depois da “fuga” destrutiva de Hank, Schaal volta para sua terra. Seu retorno não representa o fim de sua jornada, mas sim, uma pequena pausa (e bota pequena nisso). Depois de tudo o que aconteceu nesses 6 meses (eu não imaginava que seria tanto tempo) é hora e refletir sobre tudo o que ela viu, presenciou e ouviu de Hank e seus antigos companheiros. Aliás, não só isso como também estipular um novo objetivo, afinal, sua motivação inicial parece ter sido respondida até certo ponto.

Ler o artigo →

Cain é um inimigo de Hank que havia matado Elaine. Até então esse fato era tudo o que nós sabíamos sobre ele, além da antiga amizade que eles tinham entre si. Porém tudo mudou nesse episódio com a revelação das verdadeiras intenções dele e claro, a pequena amostra do que ele tem preparado para atingir seus objetivos. No fim, Hank acabou indo embora, gerando ainda mais problemas para absolutamente todos.

Ler o artigo →

Semana passada não houve artigo pois eu não estava legal e por isso, peço desculpas. Isso é uma pena pois os dois episódios em questão foram muito interessantes ao explorar dois elementos muito importantes e que eventualmente iriam ser usados: desejos e justiça. Ambos fazem parte de nossas vidas e possuem vários significados e interpretações diferentes, sempre trazendo discussões profundas, como por exemplo a questão sobre o que é justiça.

Ler o artigo →

Nancy e Hank fora foram fazer sua primeira missão “juntos” e o inimigo dessa vez era um Minotauro. Novamente Hank iria enfrentar um ex-companheiro que perdeu a razão e está causando problemas para a população. Como era de se esperar ele teve que enfrentar mais uma vítima da guerra, um companheiro que tanto ajudou e, agora, com pesar em seu coração, teve que matar. 

Ler o artigo →

No segundo episódio das bestas conhecemos a outra protagonista da obra, Nancy. Filha de um dos encarnados, ela viu sua família ruir por causa da guerra e seu pai morrer. Com isso tudo, ela decide ir atrás do assassino de seu pai e a partir daí tudo irá de fato começar.

Sinceramente, foi um episódio interessante, que apesar da falta de grandes explicações continuou o que havia sido iniciado no primeiro. 

Ler o artigo →

“Katsute Kami Datta Kemono-tachi e” ou “To the Abandoned Sacred Beasts” é um anime produzido pelo estúdio MAPPA (Dororo, Sarazanmai, Kakegurui…), dirigido por Jun Shishido, responsável por obras como Banana Fish, Hajime no Ippo, Beck, Death Parade e por aí vai. Dito isto, vamos comentar sobre a primeira estreia da temporada que já veio com tudo.

Ler o artigo →