Um episódio padrão “descobrimos uma pessoa com poderes, encontramos essa pessoa e a convencemos a não usar mais seus poderes, com um pouco de força se necessário e demonstrações de poderes de ambos lados”. Você sabe, igual o caso do fotógrafo raio-x. Se quiser ser chato, igual também aos casos do Yuu e da Yusa, o que significa que todos os episódios até agora foram só isso. Ah, mas não foram não!

Não preciso dizer, preciso? Mas vou dizer mesmo assim: o Yuu e a Yusa estão no núcleo de personagens principais. Eu até lembro os nomes deles. Já o do fotógrafo e o do arremessador de beisebal desse episódio não. Esse é o episódio do arremessador e eu já não me lembro do nome dele! Acho que me lembro vagamente do nome do amigo dele, era Takato, não era? Tá bom, vou pesquisar, está ficando feio para mim já, só um momento por favor. Enquanto isso, fique com essa captura de tela:

Pausa para os comerciais

Pausa para os comerciais

Oh, o amigo do arremessador se chamava Takato mesmo. Não estou tão ruim, estou? Mas o nome do arremessador eu não lembrava mesmo. Era o Arifumi. Enfim, o que eu quero dizer com isso tudo é que o episódio do raio-x foi para mostrar para o Yuu, mas principalmente para nós, de que se tratava o colégio Houshinomi, os super-poderes e outras coisas. Já esse episódio do arremessador serviu para mostrar como vai ser essa dinâmica de descobrir e neutralizar usuários de super-poderes com a presença da Yusa, já que ela entrou para o núcleo de personagens da série e é importante sabermos o que ela pode fazer. Bom, ela não pode fazer nada, mas o espírito de sua irmã Misa pode entrar e sair de seu corpo a qualquer momento para queimar coisas e fracassar tentando realizar tarefas que dependam de força física – isso foi só piada nesse episódio, mas provavelmente será importante em episódios futuros. Depois desse episódio podem haver mais alguns ainda com o “super-poderoso do episódio” para enrolar ou para introduzir personagens e elementos que serão importantes no futuro, mas o básico da dinâmica da série já foi exposto.

Sendo um episódio vazio de história relevante, me vejo pensando noutras coisas. Primeiro a menos importante (por enquanto): é interessante como os personagens “resgatados” pelo conselho estudantil do colégio Hoshinoume tendem a ter uma persona falsa. Um papel que atuam. O Yuu se fazia passar por um estudante exemplar, e agora está podendo ser ele mesmo (exceto na hora de falar para sua irmã que odeia molho de pizza, mas acho que isso não é exatamente uma persona). A Yusa é uma idol que mesmo depois de entrar no colégio Hoshinoume jamais consegue abandonar sua persona artística (e como isso é irritante! estou totalmente com a Tomori nessa). E ela ainda “tem” outra personalidade, que é sua irmã. A Tomori é excessivamente normal para alguém que passou por todo o sofrimento pelo qual ela passou, eu posso estar muito errado, mas acho ela bastante estranha.

Ela, o colégio Hoshinoume e a pessoa misteriosa que a abrigou lá. Ela diz que “escapou” dos cientistas, mas será que escapou mesmo? Quero dizer, teria jeito melhor de encontrar adolescentes com super-poderes do que reuni-los todos em um mesmo lugar..? Ainda não sei se é hora de desconfiar da Tomori. Mesmo se minha suspeita sobre o colégio e seu benfeitor se concretizarem, ela pode estar sendo tão enganada quanto todo mundo. O fato é que ela parece “calma” demais, e isso começou a me incomodar nesse episódio. Pode ser só equívoco meu, ou a razão do comportamento dela pode ser outra que eu nem consigo sondar ainda, mas acho que falta alguma coisa fundamental sobre o personagem dela que ainda será revelado.

Outra coisa que comecei a pensar nesse episódio é sobre o quão perturbadora a animação de abertura é. Bom, ela no geral é bem comum até, mas tem um detalhe que me incomoda demais: pela abertura, sei que a Ayumi, irmã do Yuu, é tão importante quanto os quatro membros do conselho estudandil. Ela está lá junta a eles em várias cenas. Daí a abertura termina assim:

Cadê a Ayumi?

Cadê a Ayumi?

Olha para todo aquele espaço incomodamente vazio à esquerda, onde caberia perfeitamente mais uma pessoa. Evidentemente isso não é por acaso, não é um erro ou equívoco de produção. Mas onde está a Ayumi? Claro que isso sozinho não é suficiente para preocupação. Só que não se trata disso sozinho: é isso em uma série tendo Jun Maeda como roteirista. O mesmo Jun Maeda que também tem seu nome associado a obras como Kanon, Air e Clannad. Eu pessoalmente não assisti nenhuma delas, mas conheço sua fama. Então, é, episódios vazios como esse servem para minha cabeça voar e me deixar preocupado com o destino da Ayumi.

Discussão