Um bom episódio mas que deixou claro o problema de adaptar uma série muito longa em um anime relativamente curto. As revelações mais importantes desse episódio foram literalmente do nada, não havia o que servisse de premonição para elas. Não vimos os atores e eventos lentamente caminhando em uma direção. Ushio to Tora simplesmente informou: o Ushio provavelmente não vai conseguir retornar depois da próxima transformação e o Nagare cresceu consumido por angústia e raiva.

Mas isso não tira o efeito dramático da reunião entre Ushio e Asako ou da belíssima e emocionante luta entre Tora e Nagare. O anime como um todo poderia ser melhor, mas esse episódio por si só foi muito bom.

A historia do Ushio não conseguir mais retornar depois da próxima transformação faz sentido, considerando que ele já havia se deixado perder uma vez e que o anime introduziu nos episódios recentes os azafuse, que vem a ser exatamente ex-usuários da lança transformados para sempre em demônios. Mesmo assim eu ainda acreditava que a transformação só seria irreversível se o usuário exagerasse, se ele se entregasse à lança, enfim, eu mantinha a impressão que eu tinha desde o arco em que o Ushio foi resgatado pelas garotas na primeira temporada. E Ushio to Tora apesar de tudo ainda é um battle shounen, o que significa que é o tipo de história que costuma dar um final feliz para seus protagonistas. Sei lá, virar um monstro não me parece muito feliz quando você tem toda uma vida já estabelecida como ser humano.

Asako vem se despedir (??) de Ushio

Asako vem se despedir (??) de Ushio

Ushio diz que havia percebido isso porque “não se cura mais tão rápido”, e isso é algo que o anime poderia ter mostrado mas não o fez. O que o anime mostrou e eu acho que foi a tentativa de premonição desse destino foi a destruição da casa do Ushio, com ele se desfazendo de seus pertences mais queridos. Eu não interpretei como uma viagem sem volta, mas parece que foi o caso. De todo modo ainda insisto que isso é um battle shounen e eu acredito que ele vá ter seu final feliz e humano. O mesmo não se pode dizer do Nagare.

Eu confesso que, como o Ushio, ainda tinha no fundo a esperança de que ele não fosse um traidor de verdade. Ou que, também como o Ushio, mesmo ele sendo um traidor nada muda o fato de que ele ajudou muito no passado e era um personagem querido. Ushio to Tora teve sucesso em me fazer sentir na pele o que o protagonista sente, como de costume aliás. Esse é um dos pontos mais fortes de Ushio to Tora afinal, a forte identificação que ele consegue construir entre o espectador e seu protagonista, mesmo ele sendo um personagem tão simples e às vezes estúpido.

O momento derradeiro da batalha feroz

O momento derradeiro da batalha feroz

Nagare não era estúpido, bem pelo contrário, e embaixo de sua aparência simples ele escondia uma vida de amargor. Ou melhor: ele se escondia. Sua aparência buscava enganar a ele próprio, não apenas aqueles ao seu redor. Dotado de uma inteligência muito acima da média, bem como habilidades físicas e espirituais igualmente acima da média, ele se destacava naturalmente onde quer que estivesse, quisesse isso ou não. E ele nasceu em uma família japonesa simples, no mais das vezes ele não queria se destacar. Sem perspectiva de usar todo esse enorme potencial se destacar era muito mais um fardo do que uma benção.

A última conversa entre Nagare e Tora

A última conversa entre Nagare e Tora

Ele encontrou alguma paz quando se uniu aos monges do Clã Kohamei. Lá ele poderia usar seu poder espiritual sem se destacar (embora ele tenha se destacado como um dos candidatos à portador da lança; bom, pelo menos ele era um entre quatro, não o único) e viver uma vida no mais das vezes desligada do resto do mundo. Sua moto representa bem seu estado de constante fuga de si mesmo. Quando a batalha final se aproximou, contudo, Hakumen no Mono enxergou nele um bom peão a ser controlado. Sussurrou algumas palavras doces em seu ouvir e o lembrou de toda dor, raiva e angústia que ele sentiu por toda a sua vida, e o ajudou a direcioná-la contra o Tora, o primeiro que surpreendentemente o havia superado em confronto direto, ainda que a batalha em questão tenha sido interrompida.

"Monstros não choram"

“Monstros não choram”

Ele fugia porque era sempre o melhor mas da primeira vez que não foi o melhor ficou irritado? Bom, acontece, todo mundo tem orgulho, não é? Ele lutou com tudo contra o Tora. Deixou o Ushio ir embora. É como se soubesse que iria morrer. É como se quisesse, depois da vida que viveu, morrer. Tora, o demônio devorador de gente, se segurou durante a luta o quanto pôde, apenas revidando no mesmo nível que Nagare o atacava. Mas Nagare revelou um poder cada vez maior, que só um gênio como ele poderia ter, e enquanto Tora pôde suportar isso o mesmo não se pode dizer do próprio Nagare. Depois de um combate curto porém cansativo no qual recebeu diversos golpes poderosos de Tora, Nagare só pôde lamentar a vida que teve e a traição que cometeu enquanto sentia, imóvel, sua força vital abandonando o corpo que estava além de qualquer cura. Nem Tora pôde evitar o pesar pela queda do amigo.

Adeus, Nagare

Adeus, Nagare

  1. Excelente matéria como sempre Fábio. Este episódio foi muito bom, nunca pensei que o Nagare fosse um traidor, eu pensava que ele estava só a dizer aquilo para afastar o Ushio do Tora, para ter a derradeira batalha contra o Tora (quando o Nagare foi derrotado pelo Tora na primeira temporada ele sempre quis uma oportunidade para ter a desforra, mas nunca pensei que fosse acabar assim). A luta do Nagare com o Tora foi muito boa, o Tora tentou conter-se na luta para não matar o Nagare mas não foi capaz de cumprir o pedido do Ushio (o golpe fatal deu-se quando o Tora lhe mordeu o pescoço nesse momento percebi logo o desfecho da cena). Realmente às vezes ser um génio não é um dom/bênção é mais uma maldição, se a pessoa for melhor em tudo acaba por se afastar das outras pessoas que têm inveja e assim acaba por ficar sozinha, eu acho que o Nagare lá no fundo considerava o Ushio como amigo, mas o seu passado amargurado levou a este tráfico final.
    Finalmente a Asako (meio múmia) foi ter com o Ushio (mesmo ainda não se lembrando completamente dele), até gostei do momento e finalmente o Ushio demonstrou algum sentimento pela a Asako após muitos episódios chegámos nesse momento, como fiquei feliz quando a Asako se despede do Ushio na Janela do submergível, percebe-se que à quimifica entre os dois.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Foi um episódio triste, mas teria sido bem mais triste se tivesse sido preparado melhor. Agora é ver como o Ushio vai reagir quando souber, se é que ele vai ter tempo pra parar pra pensar em qualquer coisa daqui por diante.

  2. Conclusões e motivos inesperados, episódio ótimo, mas não perfeito.
    Acompanhei à 1° temp. de Ushio to Tora, mas não senti à mesma tensão de agora.
    Mesmo que clássico, continua sendo um ótimo anime.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Acho que essa impressão (“não perfeito”, “não tem a mesma tensão”) é causada pela aceleração do roteiro. Está claro que estão correndo muito nessa segunda temporada. Mas achei pelo menos o primeiro arco, da perda de memória e do resgate da Asako, bastante tensa. Ou talvez tenso não seja a palavra, mas sim emotivo.

  3. Antes de mais nada, tenho visto esta série e realmente, eles tem acelerado bem as coisas nestes episódios, é cada plot twist que me mandam que fico até em choque. O fato de estar em reta final faz com que corram pra poder concluir a trama sem pontas soltas. Mesmo assim, Ushio to Tora tá mandando o recado de que shounens de batalha não precisam ficar enrolando o tempo todo, como acontece na maioria dos casos. Tá na minha seleta lista de melhores shounens de batalhas em animes e é bacana mais uma obra da Shounen Sunday ganhar uma versão animada.

    E estou gostando muito dos comentários que tem feito da série, porque no outro blog que tava fazendo, não sei se vai continuar. Continue com este bom trabalho e até mais!!!

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Olá, obrigado pela visita e pelo comentário!

      Realmente, enrolar não precisa, mas essa segunda temporada está MUITO acelerada também, né? Mas de fato se tornou um dos meus battle shounens preferidos.

      O outro blog que você acompanhava era o Kimono Amarelo? A autora lá acompanhou a temporada anterior, mas o blog deu uma parada por problemas técnicos, se não me engano.

Discussão